SOBRE DEUS

Caso você queira se aprofundar, clique nesses links. Caso queira ler uma síntese, continue lendo esta postagem.


A AÇÃO DO ESPÍRITO SANTO

A CONFIANÇA EM DEUS




01 – QUEM É DEUS?

Não podemos representar Deus como ele realmente é. Só podemos representar Deus na pessoa de Jesus, porque ele tornou-se homem como nós. Deus é um Espírito Eterno, ou seja, nunca teve princípio nem terá fim. Ele é perfeitíssimo, possui todas as virtudes em grau infinito. 

Deus está fora do tempo e do espaço: para Ele não existe tempo, e não ocupa lugar nenhum, pois tanto um como outro foram criados por Ele. Alguns salmos (89, 6-14; 90; 93,4; 104;108) falam sobre a magnitude de Deus. Se fossem escritos hoje, seriam mais ou menos assim:

“Deus põe sua toalha para secar no pico do Everest, usa a floresta Amazônica como o capacho de seus pés, usa o vulcão Cracatoa para fritar o seu bife, guarda sua taça de sorvete na Antártida, usa a vértebra da maior baleia que existe para palitar os dentes, usa as cataratas do Iguaçu para lavar o seu rosto, joga xadrez com as estátuas da Ilha de Páscoa” etc. O salmo 108 fala exatamente sobre isso.

A SANTÍSSIMA TRINDADE

Vemos no documento de Puebla nº 582, e o de Aparecida nº 434, que “Deus não é solidão, mas uma família”. Essa família em que Deus vive é a Santíssima Trindade: o Pai, o Filho (Jesus Cristo) e o Espírito Santo. São três pessoas, mas um só Deus. É como se encostássemos três velas para obtermos uma só chama, ou um trevo, que é uma só planta, mas com três folhas iguais. 

As três pessoas de Deus são reais (realmente existem), são um só Deus, mas ao mesmo tempo são distintas (cada pessoa é uma).

DEUS, a origem primeira de tudo, é PAI e MÃE, como diz o Frei Carlos Mesters. Deus tem as virtudes, em perfeição, dos pais e das mães. Como ele é a origem primeira de tudo, Ele também é Mãe!

Jesus é tão Deus quanto o Pai e o Espírito Santo. Nasceu por meio de Maria, que nunca perdeu a virgindade, e é 100% Deus e 100% homem. Obedeceu ao Pai em tudo, até mesmo aceitando a morte violenta de Cruz. Ressuscitou e está no céu, mas nunca nos abandonou. Ele está presente de modo invisível e pela Eucaristia, nas formas de pão e vinho consagrados. 

A terceira Pessoa da Santíssima Trindade é o Espírito Santo, revelado em várias passagens da Escritura, como em Pentecostes e no Batismo de Jesus. Ele é o Amor do Pai com o Filho, é o amor de Deus por nós, nos santifica e nos dá todos os dons necessários para conhecermos, servirmos e amarmos a Deus e ao próximo. Ele é chamado também de Paráclito, Advogado nosso, o Consolador. Nós o recebemos no Batismo, na Crisma e nos demais sacramentos. 

Para Deus, nada é impossível. Ele faz tudo o que quer (Sl 115; Marcos 10,27; Lucas 1,37). Se alguma coisa não agradasse a Deus, Ele não a teria criado! (Sabedoria 11,24). Ele sempre faz exatamente o que deve e precisa ser feito! Nunca tem dúvida alguma a respeito do que deve fazer.

“Eu te amei com um amor eterno!”(Jeremias 31,3). “Eu vim para que todos tenham vida, e a tenham em abundância!” (João 10, 10b); “Lançai sobre Deus toda a vossa ansiedade, porque Ele cuida de vós!” (1Pedro 5,7); “Deus é poderoso para realizar por nós, em tudo, muito além, infinitamente além do que pedimos ou pensamos” (Efésios 3,20). Esse amor que Deus foi-nos revelado pelo próprio Jesus Cristo em João 17,21-22: “Para que todos sejam um, ó Pai, como tu o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste”.

O SINAL DA CRUZ: PERSIGNAR-SE E BENZER-SE

Nós honramos e pedimos a proteção da Santíssima Trindade com o Sinal da Cruz, que é feito em duas partes: o persignar-se e o benzer-se.

Para bem fazer o sinal da cruz, comece com o “persignar-se”: faça com o dedo polegar da mão direita uma cruz na testa, dizendo: “Pelo sinal da santa cruz”; depois faça uma cruz na boca, dizendo: “livre-nos Deus, nosso Senhor”. Depois faça um sinal no peito, dizendo: “dos nossos inimigos”. A cruz na testa é para que Deus nos livre dos maus pensamentos; a cruz na boca, para que nos livre das más conversações, de fazermos mau juízo dos outros, para não caluniarmos ninguém etc.; a cruz no peito é para sempre amarmos a Deus e ao próximo sem exceção, e nunca consentirmos nos maus sentimentos.

Em seguida, você faz o “Sinal da cruz”, dizendo: “Em nome do Pai” - e coloca a mão espalmada sobre a testa; “do Filho” - e põe a mão espalmada sobre o peito; “e do Espírito” - e põe a mão espalmada sobre o ombro esquerdo; “Santo” - e põe a mão espalmada sobre o ombro direito. A cruz nos lembra a morte voluntária de Jesus na Cruz, que nos salvou. Ele aceitou morrer por todos nós, para nos salvar. Devemos fazer o sinal da cruz completo no início do dia, das orações, nas tentações, ao passarmos por uma igreja em que haja o Santíssimo Sacramento, para dormir, em todas as ocasiões.

O AMOR DE DEUS

Jeremias 3,13: “Eu te amei com um amor eterno; por isso, conservei para ti o amor. Eu te construirei de novo”. Deus nos ama intensamente, apaixonadamente.

Em seu infinito amor, Deus quer que estejamos juntos a ele no céu, após nossa morte, mas respeita nossa liberdade e vontade. Não obriga ninguém a ir para o céu. Por isso, sempre está disposto a perdoar. Deus perdoa sempre! Nós é que nos cansamos de pedir perdão! (Papa Francisco). Amar a Deus nada mais é do que permitirmos e darmos condições para que ele possa nos amar com todo o amor que ele tem. Para isso, é preciso aceitarmos o sofrimento purificador, como diz Hebreus 12, 10, que nos lembra de que o sofrimento nos purifica para que Deus possa infundir em nós sua santidade. O amor de Deus é gratuito: ele não necessita de nós. 

Romanos 11,29- Os dons e o chamado de Deus são sem arrependimento. Deus nos amou por primeiro (1ª João 4,19). Ele não se arrepende de nos ter criado nem de ter-nos dado a vocação à qual fomos chamados. Só há uma coisa impossível para Deus: pecar. Isso inclui a mentira. É impossível para Deus mentir. 

João 3,16- Deus mandou seu Filho Jesus ao mundo para nos dar a vida eterna, porque nos ama infinitamente e quer que nos salvemos. Jesus foi semelhante a nós em tudo, menos no pecado.

Isaías 54,10- Tudo pode mudar, mas o amor de Deus nunca mudará.

Isaías 49,15-16: Deus nos ama mais do que a mãe ao filho. Ele nos tatuou na palma de sua mão!

Gálatas 6,7:- De Deus não se zomba! Não duvidemos de seu amor! Nós zombamos dele quando deixamos para nos converter no final da vida, além de outras atitudes nossas. 

Sabedoria 11.24:- Se houvesse algo de que Deus não gostasse, não o teria criado. Deus ama tudo o que criou. Até aquele pernilongo chato!

Efésios 3,20:- Deus tem poder para fazer tudo o que quiser, muito além do que pedimos ou pensamos. Por que, então, duvidar do seu amor e de sua ação a nosso favor? Vamos, pois, fazer plenamente sua santa e sábia vontade! Abandonemo-nos em seus braços! Ele sempre irá nos conduzir ao paraíso, à felicidade eterna! Salmo 100(99),5: o amor de Deus é para sempre!

Lucas 13,34: Jesus se compara a uma galinha que quer recolher os pintainhos sob suas asas!

Quando falamos do amor de Deus, falamos do amor da Santíssima Trindade, como em João 14,9-10: “Filipe, quem me vê, vê o Pai! Não crês que estou no Pai e o Pai está em mim”?

Deus pode fazer conosco o que ele bem entender, mas prefere estar conosco só se nós quisermos, se o acolhermos. Sabedoria1,1-4: “A sabedoria não entra numa alma maligna, ele não habita num corpo devedor ao pecado”! Provérbios 23,26: “Meu filho, dá-me o teu coração, e que teus olhos gostem dos meus caminhos!” Enquanto vivermos podemos buscar a Deus e pedir-lhe perdão. Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida para irmos ao paraíso. 

Entretanto, tudo isso só se concretizará se nos amarmos uns aos outros como Jesus nos amor (Jo15,9). Sem o amor ao próximo, o amor de Deus por nós nunca estará realmente sendo retribuído por nós. Como diz 1ªJoão 4,20-21: “Quem odeia o seu irmão (que vê) mas diz que ama a Deus (que não vê)é um mentiroso (e o amor de Deus não está nele). Aquele que ama a Deus, ame também seu irmão”.

A MISERICÓRDIA DIVINA

Miquéias 7,19:- Deus lançará ao mais fundo do mar nossos pecados. Deus nunca se afasta de nós: nós é que nos afastamos dele! O perdão de Deus é isto: deixar que voltemos aos seus braços. Não devo ter vergonha nem receio de me achegar a Deus para pedir perdão. Nunca devemos desistir ou desanimar. “A misericórdia divina será sempre maior do que qualquer pecado” (papa Francisco).

Confiemos plenamente em Deus! Ele realmente nos ama, nos quer junto dele, mas, como não quer robôs, espera que nos cheguemos a Ele com o pedido de perdão e com os propósitos que permitem essa aproximação. Às vezes nos parece que Deus não está nem aí conosco, não O ouvimos e achamos que nos abandonou. É preciso fazer silêncio interno para que O ouçamos!

Jesus nos dá o exemplo do perdão quando perdoa a tantos quantos lhe pedem. Por exemplo: Mateus 18,21-22:- perdoar não sete vezes, mas setenta vezes sete, ou seja, sempre! Se ele mandou fazer isso, é porque o faz conosco! Temos a tendência de projetar em Deus nossos limitados pensamentos e tendência. Se aprendermos a perdoar tantas vezes quantas o irmão vier nos pedir perdão, acabaremos acreditando que Deus, fonte do amor, do perdão e da paz, também nos perdoará. Basta que nos proponhamos a mudar de vida, não mais pecar e pedir incessantemente a graça do arrependimento.

A PROVIDÊNCIA DIVINA

Mateus 6,25-34 :- Não vos preocupemos por nossa vida, pois Deus, que dá tudo aos animais e às aves, não deixará que nos falte o necessário. Isso implica, é claro, que estejamos livres. Jesus quer dizer nesse trecho que precisamos aprender a trabalhar e a lutar confiando em Deus. Façamos a nossa parte que ele nos abençoará e tudo será resolvido a seu tempo. Deus não deixa faltar nada aos pássaros, mas se estiverem livres. Se nós o prendermos, nós é que devemos tratar deles. Assim também referindo-se ao ser humano. Se estiver livre, Deus poderá ajudar. Deus não passa por cima da vontade humana. 

1ª Pedro 5,7: “Lançai nele (em Deus) toda a vossa preocupação, porque é ele que cuida de vós!” Aliás, é a mesma frase que o Salmo 55(54), 23, portanto, já conhecido desde o Antigo Testamento. Nunca devemos confiar em nossas próprias forças, mas, humildemente, confiarmos plenamente em Deus. 

Quando abrimos nosso coração para Deus, acabamos encontrando tempo para todas as outras coisas e, principalmente, para o irmão. Precisamos aprender a confiar na presença de Deus em nossa vida! Somos apenas instrumentos (e tão frágeis!) em suas mãos misericordiosas. Nada mais do que isso! Trabalhemos o quanto pudermos, mas nos lembremos de que o resultado é Deus quem provê! Lembremo-nos sempre do salmo 126(127),2: “É inútil que madrugueis e que atraseis o vosso deitar, para comer o pão com duros trabalhos: ao seu amado, Deus o dá enquanto dorme!”. Quem põe sua confiança em Deus, vive na paz.


 DEUS TEM O MUNDO EM SUAS MÃOS

(04/06/2012, Milão)

O Papa Bento XVI assinalou que embora pareça que a Igreja está a mercê de adversários difíceis, Deus sempre tem em suas mãos o governo do mundo e o coração dos homens. “Se alguma vez se pode pensar que a barca de Pedro está realmente a mercê de adversários difíceis, também é verdade que vemos que o Senhor está presente, vivo, que ressuscitou realmente, e tem em suas mãos o governo do mundo e o coração dos homens”, afirmou. “Esta experiência de Igreja viva, que vive do amor de Deus, que vive por Cristo ressuscitado, é o dom destes dias. Por isso damos graças ao Senhor”, concluiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DIGITE AQUI O SEU COMENTÁRIO