domingo, 16 de julho de 2017

MINHA FÉ 4- A VONTADE DE DEUS


É um tema muito controvertido para muitos, mas na verdade é muito claro.
Nem tudo o que acontece é a vontade de Deus. O mal, por exemplo, nunca será vontade de Deus, embora ele o permite. Tudo o que acontece, acontece pela permissão de Deus. Isso é verdade. Entretanto, nem tudo o que ele permite é de sua vontade.
Dou um exemplo bem simples: a filha pede ao pai para ir ao baile. O pai permite, mas pede que ela fale também com a mãe. Sua mãe lhe diz que não é de sua vontade que ela fosse, mas para não contrariar o esposo, lhe permite. Veja bem: ela permitiu, mesmo contra a sua vontade.
Então é nisso que acredito: tudo tem que passar pela permissão divina, mas nem tudo é de sua vontade. Isso muda muitos conceitos que se fazem por aí! O mal nunca será da vontade de Deus, embora ele o permita. Aquela doença não é vontade de Deus; Ele a permite para que nos purifiquemos de nossos pecados, ou para mudarmos nosso ponto de vista!
É comum os presos apelarem a Deus para se libertarem e falarem que “não pode ser vontade de Deus que eu fique aqui. É desumano. Não está certo”! Entretanto, ninguém faz a mesma afirmativa quando está cometendo o crime que o levou à prisão! Se Deus permite que pequemos ou que pratiquemos crimes, vai permitir também que paguemos isso, seja do modo que for. Deus permite tanto o prazer quanto o sofrimento, mas nem tudo corresponde à sua vontade.
Jesus, ao ensinar o Pai-Nosso, ensinou-nos, por consequência, a fazermos a vontade do Pai e, por conseguinte, a sua vontade: “Seja feita a vossa vontade na terra como ela é feita nos céus”.
Buscar sempre fazer a vontade de Deus é a atitude mais inteligente que podemos ter. Nenhuma paz é comparável à que procede do cumprimento da vontade divina. É uma paz envolvente e altamente tranquilizante.
Se nos propormos a fazer unicamente a vontade divina, estamos colocando nossa vida em suas mãos, com a certeza de que ele só vai nos permitir aquilo que possa nos levar ao paraíso. Nem tudo o que nos dá prazer nos faz bem. Se estamos a fim de fazer sua vontade, não teremos preocupações desnecessárias, estressantes e deprimentes, pois sabemos que Deus está no leme do nosso barco. Isso nos dará essa paz incrível que os santos vivem. É como se estivéssemos em “piloto automático”: vamos vivendo a nossa vida, cientes de que fazemos apenas o que Deus quer, seguros de que ele nos levará ao porto da salvação, não teremos ambições desordenadas, não nos angustiaremos pelo que vai ou não ocorrer no futuro.
O Beato Carlos de Foucauld era dominado pelo empenho em fazer a vontade de Deus. Eis o que ele diz:
“A única perfeição não é senão viver este ou aquele gênero de vida que Deus quer, onde Ele quer, e conduzi-la como a teria conduzido Ele próprio” (“Um pensamento a cada dia”, dia 8/06). “Conhecer a vontade de Deus para cumpri-la, qualquer que seja ela, e a ela nos atirarmos com todo o coração e com todas as nossas forças” (idem, 04/06).

Faço diariamente a Oração do Abandono dele. É assim: “" MEU PAI, A VÓS ME ABANDONO. FAZEI DE MIM O QUE QUISERDES. O QUE DE MIM FIZERDES, EU VOS AGRADEÇO. ESTOU PRONTO PARA TUDO, ACEITO TUDO, CONTANTO QUE A VOSSA VONTADE SE FAÇA EM MIM E EM TODAS AS CRIATURAS. NÃO QUERO OUTRA COISA, MEU DEUS. ENTREGO A MINHA VIDA EM VOSSAS MÃOS. EU VO-LA DOU, MEU DEUS, COM TODO O AMOR DO MEU CORAÇÃO, PORQUE EU VOS AMO E PORQUE É PARA MIM UMA NECESSIDADE DE AMOR DAR-ME E ENTREGAR-ME EM VOSSAS MÃOS SEM MEDIDA E COM INFINITA CONFIANÇA,PORQUE SOIS MEU PAI”. (CHARLES DE FOUCAULD)

Nenhum comentário:

Postar um comentário