terça-feira, 3 de maio de 2016

7.8.1.1-BATISMO E CRISMA

7.8.1-OS SACRAMENTOS DE INICIAÇÃO CRISTÃ

 BATISMO  E    CRISMA

São o Batismo, a Confirmação e a Eucaristia, e constituem os fundamentos de toda vida cristã: os fiéis, renascidos pelo Batismo, são fortalecidos pelo sacramento da Confirmação e nutridos com o alimento da vida eterna na Eucaristia.

 

O BATISMO 

 

É o sacramento da regeneração pela água na Palavra. É chamado de "o banho da regeneração e da renovação no Espírito Santo. Ele significa e realiza o nascimento a partir da água e do Espírito" (Jo 3,5).

É um sacramento ministrado desde o dia de Pentecostes para os que querem tornar-se cristãos. A pessoa pode ser balizada ainda quando criança ou quando adulta. No segundo caso, também é crismada e faz a primeira comunhão na mesma cerimônia.

Quem ministra o Batismo é o bispo, o padre e o diácono. Na prática, são os diáconos e os padres que ministram esse sacramento. O bispo pode, entretanto, dar a qualquer cristão o ministério de batizar. Tendo a intenção exigida pelas normas da Igreja, até mesmo quem não é batizado pode batizar outra pessoa que queira receber o Batismo. As duas condições para a validade do Batismo ministrado por leigos é que queiram fazer o que a Igreja faz quando batiza e aplicar a fórmula batismal trinitária: "Eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo".

O Batismo é necessário, para a Salvação, para aqueles aos quais o Evangelho foi anunciado e que tiveram a possibilidade de pedir esse sacramento, segundo as próprias palavras de Jesus, que ordenou que seus discípulos anunciassem o Evangelho e balizassem todas as nações. 

Entretanto, Deus pode salvar a quem ele quiser, mesmo aos que não foram batizados, pois ele mesmo não está ligado aos seus sacramentos. É o caso das crianças mortas sem o Batismo, ou mesmo das pessoas que seguem religiões não cristãs.

Os dois efeitos principais do Batismo são a purificação dos pecados (pelo Batismo todos os pecados são perdoados, tanto o pecado original como os pecados pessoais, e também as penas do pecado) e o novo nascimento no Espírito Santo, ou seja, o que foi batizado se torna uma criatura nova, um filho adotivo de Deus que se tornou participante da natureza divina (2Cor 5,17; 2Pd 1,4).

A Santíssima Trindade dá ao batizado a graça santificante, pela qual ele pode crer em Deus, esperar nele e amá-lo, através das virtudes da Fé, da Esperança e da Caridade, pode viver e agir sob a moção do Espírito Santo pelos seus dons, e pode crescer no bem pelas virtudes morais.

O Batismo faz-nos membros do Corpo de Cristo, a Igreja, e faz-nos participar do sacerdócio comum dos fiéis. Desse modo, é chamado a servir os outros na comunhão da Igreja, a ser obediente e dócil aos chefes da Igreja e considerá-los com respeito e afeição. O batizado pode receber os sacramentos, ser alimentado com a Palavra de Deus e ser sustentado pelos outros auxílios espirituais da Igreja.

Uma vez batizado, o fiel se torna cristão e filho de Deus para sempre. O pecado, embora possa impedir o Batismo de produzir os frutos de salvação, de modo algum apaga essa marca. Não tem sentido, portanto, a pessoa "repetir" o Batismo. O Batismo é o selo da vida eterna.

 

A CONFIRMAÇÃO OU CRISMA

 

É o sacramento necessário para consumar a graça batismal. Pelo sacramento da Confirmação, os fiéis são vinculados mais perfeitamente à Igreja, enriquecidos de força especial do Espírito Santo, e assim mais estreitamente obrigados à fé. Como verdadeiras testemunhas de Cristo, devem difundir e defender seu Evangelho tanto por palavras como por obras.

Consiste na imposição das mãos e na unção com o óleo perfumado (crisma). Quem crisma é o bispo ou, por ordem dele, o padre. Quando batizada adulta, a pessoa recebe uma só unção pós-batismal, a da Confirmação. Se for criança, o padre unge-a, depois do batismo, com o santo crisma; unção essa ligada ao rito batismal: ela significa a participação do batizado nas funções profética, sacerdotal e régia de Cristo.

Pela confirmação, o cristão é enraizado mais profundamente na filiação divina, une-se mais solidamente a Cristo, recebe mais os dons do Espírito Santo, torna-se vinculado à Igreja de modo mais perfeito, recebe uma força especial do Espírito Santo para difundir e defender a fé pela palavra e pela ação, como verdadeira testemunha de Cristo, para professar com valentia o nome de Cristo e para nunca sentir vergonha em relação à cruz.

Como o Batismo, do qual é a consumação, a Confirmação é dada uma só vez. Pode recebê-lo os que já foram balizados. É necessário estar em estado de Graça e, portanto, todos os que já foram batizados anteriormente, quando crianças, devem participar do sacramento da Penitência antes da Confirmação.

Somos ungidos na Crisma, e recebemos o Espírito Santo como Dom, para seguirmos Jesus Cristo e participarmos na Missão da Igreja, nas seguintes dimensões:

- no anúncio (querigma) de Jesus Cristo e sua mensagem;

- no serviço (diaconia): assumir a ação pastoral da Igreja a serviço do Reino de Deus;

- na comunhão (coinonia): promover a unidade, a fraternidade, a participação;

- no testemunho (martíria) da fé através de uma vida cristã e da defesa da justiça em favor dos enfraquecidos e pobres.

- na celebração (liturgia) do mistério de Cristo na vida da comunidade: eucaristia, sacramentos, festas litúrgicas, expressões da piedade popular.

A Crisma é o começo, e não o ponto de chegada! Muitos somem da igreja depois que recebem a Crisma!

 

&quo�3��$D9

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DIGITE AQUI O SEU COMENTÁRIO