segunda-feira, 16 de outubro de 2017

ÍNDICE PARA CELULARES

ÍNDICE GERAL

EVANGELHOS EM VÍDEO- ÍNDICE



AS NOVELAS E AFINS


Reedito aqui esta matéria por estar perfeitamente atual, tendo em vista as aberrações que a Globo está fazendo em matéria de moral. Deixo os detalhes para o What's App, que está propagando a crítica da campanha contra a família e contra a banalização da arte. Se você estiver interessado(a) nesses vídeos, veja nosso blog RUATIZAPE DO TEÓFILO

(out. 2016)


Não quero deixar passar em branco este assunto. Muitas novelas e programas do gênero estão batendo todos os recordes de imoralidade e propaganda de doutrinas anticristãs, como a doutrina da reencarnação.

A relação sexual foi banalizada a tal ponto como nunca antes na humanidade, nem nos tempos das"orgias imperiais romanas”

Li um comentário sobre uma dessas novelas, referindo-se à maneia imbecil com que a mãe de uma garota parabeniza-a por ter perdido a virgindade com seu namorado. E o preceito de guardar a virgindade intacta até o casamento? Não tem mais valor?

O problema sério é que as pessoas mais jovens mentalizam a imoralidade como se fosse coisa moral. Não se colocam o problema do pecado, do mal que um relacionamento íntimo pode fazer na vida da pessoa, se não for baseado numa estrutura mais sólida, como o casamento, e mesmo às atitudes que as levam à infelicidade. Ninguém é feliz sem Deus. Ficar atado ao pecado é o caminho mais curto para ficar sem Deus. Não podemos servir a dois senhores: ou servimos a Deus ou ao pecado. Não há meio termo.

Outras doutrinas errôneas de certas novelas são as que levam as pessoas a idolatrar o dinheiro, como se fosse o triunfo da felicidade. As pessoas pobres são mostradas, muitas vezes, como infelizes e problemáticas, ou simplesmente não se fala delas, porque “não dá Ibope”. Para ser feliz, acham que devem casar-se com alguém rico.

Raras vezes vimos pessoas ricas aceitarem um nível mais simples de vida para encontrarem a felicidade. É sempre ao contrário que funciona o “mecanismo” das novelas.

Os casamentos são mostrados banalizados e fora da realidade. Só para dar um exemplo, há muitas décadas que o padre não pergunta mais: ”Quem tiver algo contra...” Isso é feito nos proclamas, semanas antes do casamento.

Numa das últimas novelas, o noivo foi trocado na hora do casamento. Não existe isso!

A pregação da reencarnação, em muitas novelas, levam muitos a acreditar nisso, apesar de serem cristãos. O cristão não acredita na reencarnação. Hebreus 9,27, diz que só vivemos uma vez aqui na terra, após o que vem o julgamento.

Em outra emissora eles inventam tantas coisas para ter assunto para fazer suas novelas bíblicas, que as pessoas que não leem a bíblia ficam com uma imagem errônea do que viram. Essa emissora é de uma religião que se diz cristã, mas aprova o aborto em menores estupradas. Jesus nunca aprovaria isso! Como podem dizer que seguem Jesus se mandam às favas um de seus maiores mandamentos, que é amar o próximo (no caso a criança que está sendo gerada e não tem culpa de ser produto de uma violência!).

Amigos (as), já é hora de começarmos a mudar nossa programação televisiva para não nos tornarmos “vômito de Deus”, como diz Apocalipse 3,20: A pessoa que é morna, não é fria nem quente, “vou vomitar da minha boca”.

Mas, antes de mudarmos nossa programação na tevê, que tal pedirmos perdão pelas idiotices que já assistimos até agora?

Termino com uma notícia que recebi pelo What's APP:

Por ROBERTA ARAÚJO - Juíza Federal do Trabalho TRT 6ª Região.

Queridas, antes de divulgar e exultar com a postura da Globo em “punir” José Mayer por assédio ou afastar Otaviano Costa do vídeo show por rir de atitude machista do Big Brother lembrem-se de que foi a Globo que universalizou entre nós a cobiça por Anita, apresentada como uma “ninfeta” ousada que seduzia um homem casado e com idade de ser seu pai. Foi a Globo que nos apresentou Angel, uma adolescente que permeou o imaginário dos desejos mantendo um ardoroso caso com o marido da sua própria mãe.

Foi a Globo que em Laços de Família envolveu o Brasil na polêmica trama em que a jovem filha rouba Edu, o namorado da mãe, interpretado por Reynaldo Gianecchini.

Foi a Globo que em Avenida Brasil nos trouxe como núcleo de comédia a trama com três mulheres envolvidas com o mesmo homem, o empresário Cadinho e que declinam de suas vidas e sem dignidade para se sujeitarem a viver com ele, mesmo após se descobrirem enganadas. Em Império, a Globo preencheu o imaginário de desejos com a trama do charmoso Comendador que mesmo casado com Marta, mantinha um fogoso affair com uma menina mais jovem que sua própria filha.

Foi a Globo que fez o Brasil se divertir com o programa Zorra Total, que tinha em seu quadro principal duas amigas em um vagão de metrô, sendo uma delas, a Janete, bolinada de várias formas e tocada em suas partes íntimas com a batuta de um maestro enquanto a sua amiga Valéria, ao invés de defendê-la, dizia: “aproveita. Tú é muito ruim, Babuína se joga.”

Então queridas, quando essa emissora diz em nota que "repudia qualquer forma de desrespeito, violência ou preconceito" está em verdade sendo dissimulada e ofensiva por nos considerar alienadas ou parvos.

A verdade é que a Rede Globo coisifica as mulheres, naturaliza a violência, os abusos e assédios, incentiva o desrespeito, ridiculariza o papel e a posição da mulher e subalterna nossa dignidade.

São mensagem explícitas e subliminares como as que a Rede Globo universaliza e crava no imaginário masculino brasileiro que estupram, abusam, ferem e vitimam milhares de Mirellas que habitam entre nós.

O OUTRO LADO DO PAI NOSSO

16/10/2017
Meu filho, que estás na terra,
preocupado, solitário, desorientado,
Eu conheço perfeitamente teu nome
e o pronuncio, santificando-o, porque te amo.
Não estás só, mas habitado por mim
e, juntos, construiremos este Reino,
do qual tu és herdeiro.
Gosto que faças minha vontade,
porque minha vontade é que sejas feliz.
Conta sempre comigo e terás o pão para hoje.
Não te preocupes,
mas só te peço
que saibas compartilhá-lo com teus irmãos.
Saibas que em Cristo
perdoei todas as tuas ofensas
e continuo a perdoar-te
sempre que me pedes.
Por isso te peço
que faças o mesmo com os que te ofendem.
Para que nunca caias em tentação,
segura forte na minha mão
e eu te livrarei do Mal.
Amo-te sempre!
TEU PAI.

(enviado pelo Prof. Benedito Prezia, da Fraternidade Leiga Jesus-Cáritas)

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

O JULGAMENTO APÓS A MORTE



13/10/17

A coisa mais certa desta vida é a morte. E a coisa mais certa depois da morte é o Julgamento a que nós vamos nos submeter. 

Li hoje a passagem do célebre livrinho “A Imitação de Cristo” (leio um trecho todos os dias, assim como os monges nos mosteiros. Eles o leem no café da manhã) intitulada “O Juízo e as Penas dos Pecadores”. Vou resumir o assunto tratado nesse trecho para vocês:

“Em todas as coisas, olha o fim e de que modo estarás diante do severo Juiz a quem nada é oculto, que não se deixa aplacar com dádivas, nem aceita desculpas, mas que julgará segundo a justiça”.

Você talvez me diga: “Mas... e a tal da misericórdia divina, que o Papa Francisco tanto menciona”? É aí que mora o problema. Deus é misericordioso, mas nós, geralmente, não. E quem vai julgar-nos somos nós mesmos! Sim, senhores e senhoras. Nós mesmos! Ou vocês acham que Deus quer que fiquemos no inferno? 

Não estou inventando isso. Diz uma santa, parece que Santa Teresa de Ávila, que, se uma pessoa do inferno se dirigisse a Deus dizendo “Meus Deus, eu vos amo”, seria tirada de lá na hora. Com a sinceridade adquirida pela morte, nós seremos talvez muito duros conosco mesmos, se assim o fizemos com os outros durante a vida. Talvez essa seja a melhor explicação do ensinamento: “Com a medida com que medimos os outros, seremos também medidos”. Aí que vem a famosa frase de Tiago 2,13: “A misericórdia triunfa sobre o Juízo”. Se fomos misericordiosos aqui na Terra, seremos misericordiosos na outra vida também para conosco. E saberemos, humildemente, pedir perdão a Deus de nossos pecados, e admitir nossa culpa, mas também o desejo que temos de nos purificar antes de entrarmos no paraíso. Aí, escolheremos o purgatório, se não temos merecimento para entrar diretamente no céu. 

Continua o livrinho: “Ó misérrimo e insensato pecador! (...) Por que não te acautelas para o dia do juízo, quando ninguém poderá ser desculpado ou defendido por outros? Agora o teu trabalho é frutuoso, o teu pranto aceito, o teu gemer ouvido, tua contrição, satisfatória”!

Nesse ponto o autor lembra como podemos já nesta vida pagarmos nossos pecados como num purgatório:

- ser paciente: se for injuriado (a), mais se dói da maldade alheia do que da ofensa recebida; 

- se rogar, de boa vontade, por seus adversários e de todo o coração perdoar os agravos;

- se não tardar em pedir perdão aos outros;

- se mais facilmente se compadecer do que se irritar;

- se constantemente fizer violência a si mesmo e se esforçar por submeter de todo a carne ao espírito (poderíamos simplificar isto dizendo: se procurar vencer seus maus hábitos).

“Melhor é expiar já os pecados e extirpar os vícios, que adiar a expiação para mais tarde”.

Aí, diz o texto, daremos maior valor à “tribulação sofrida com paciência”, “os piedosos se alegrarão e os ímpios se entristecerão”. Mais exultará o que mortificou-se do que os que sempre se nutriram de delícias. 

“As vestes grosseiras brilharão”, mas “as vestimentas preciosas, caras, se desbotarão”. “Terá maior apreço o pobre casebre que a dourada mansão”.

“Mais valerá a paciente constância que todo o poderio do mundo. Mais será engrandecida a obediência sincera do que toda a sagacidade do mundo. Mais satisfação dará a pura e boa consciência que a douta filosofia”.

“Mais valerá o desprezo das riquezas que todos os tesouros da terra. Mais te consolará a lembrança duma devota oração que a de inúmeros banquetes”.

“Mais folgarás de ter guardado silêncio, do que de ter falado muito. Mais valor terão as boas obras que as lindas palavras”.

“Aprende agora a padecer um pouco, para poupar-te mais graves sofrimentos no futuro. (...) Se tanto te repugna o menor incômodo, que te fará então o inferno”?

“Logo, tudo é vaidade, exceto amar a Deus e só a Ele servir. Pois quem ama a Deus de coração não teme nem a morte, nem o castigo, nem o juízo, nem o inferno, porque o perfeito amor dá seguro acesso a Deus. Mas quem ainda se delicia no pecado, não é de estranhar que tema a morte e o juízo” .

Termino dizendo a todos e a todas que precisamos aproveitar certos percalços na vida a fim de recomeçarmos uma vida sem pecado, de muita misericórdia, oração e confiança plena em Deus. 

Maria, em suas aparições (como em Fátima, Lourdes e Medjugorie) lembra que muitos até pensarão em se converter, nos seus dias finais, mas vão estar tão acostumados ao pecado que não conseguirão. Eu já presenciei isso com muita dor no coração. Um senhor recusou-se a confessar-se porque dizia que não tinha pecado, e morreu alguns dias depois. 

Há pessoas que se acostumam tanto com o pecado que não mais o discernem. Acham que não estão pecando. Tudo se torna válido em seus pensamentos. 

A Igreja está aí para isso, entre outras coisas: mostrar-nos o que é certo, o que é errado, e conduzir-nos no caminho de Deus. Escolher por si mesmo o que é certo ou errado é algo diabólico, e é justamente esse o pecado de Adão e Eva: decidirem por si mesmos o que podiam ou não fazer. 

Muitos santos começaram o caminho da santidade após algum fato crucial em suas vidas. São Francisco Borja (1510-1572, celebrado no dia 10 de outubro), por exemplo, converteu-se quando viu o corpo já em estado inicial de putrefação da imperatriz Isabel, mulher até então “de extraordinária formosura. Ele fora encarregado pelo rei de acompanhar o corpo até ao mausoléu, em Granada (Espanha). Antes de colocar o corpo no túmulo definitivo, foi novamente aberto o caixão. Aquele corpo em estado de putrefação impressionou profundamente o espírito do santo, levando-o a desejar uma consagração total a Deus na vida religiosa” (“O Santo do Dia, Dom Servílio Conti, IMC, dia 10/10).

Eu comecei a encarar mais profundamente a minha vida espiritual após um acontecimento desagradável e triste em minha vida. Aproveitei ao máximo esse fato e estou decidido a recomeçá-la a cada dia, preparando-me para a minha morte (que não deve estar tão longe, pela minha idade). 

Confiemos na misericórdia divina, sim, mas também na força, vigor e coragem que Deus nos dá diretamente e por meio do nosso Anjo da Guarda (não o despreze. Dê um nome a ele e peça sua ajuda em tudo, todos os dias) e de Maria, assim como dos nossos santos prediletos. Peçamos diariamente que nos livre de todo e qualquer pecado e, sobretudo, que sejamos sempre humildes, a fim de que possamos pedir sempre e sempre o auxílio divino. Diz a Lumen Gentium: “Sem Deus a criatura se reduz a nada”.

(Teófilo Aparecido de Jesus)

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

N. SRA. APARECIDA



12/10/17

De terracota a pequenina imagem
no rio se fez enegrecer,
pronta para nos dar a mensagem
da escravidão desaparecer.

No ano que vem o tricentenário
comemoramos com alegria!
Até um novo campanário
faz aumentar nossa euforia!

Nossa tristeza se apresenta
quando sabemos que a escravidão
à nossa era se acrescenta,
ainda nos magoa o coração!

Modernos escravos do trabalho,
jovens pelos vícios escravizados,
valores diversos como um baralho,
mas todos pela Mãe muito amados.

Por Maria chegamos a Jesus,
pelo amor chegamos à salvação!
Levando com paciência a nossa cruz,
partilhando nossa vida com o irmão.

Aparecida foi o nosso presente,
uma dádiva amorosa de Deus.
Nela o mal se faz ausente!
Como tenho pena dos ateus!

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

MENSAGENS DE DOM ANGÉLICO

Dom Angélico Sândalo Bernardino, 83 anos (2017), um bispo realmente santo.


06/10/2017- semana das crianças


07/09/2017- SOBRE A CASTIDADE



retiro da Lapa de 27/06/2012- retiro- Sobre o amor à Trindade Santa e a oração. Ter uma experiência viva de Deus. Comenta o livro e o filme: A Cabana



ENTREVISTA NO RODA VIVA-22/07/2013


D. Angélico comenta a posição da Igreja sobre as uniões de mesmo sexo e sobre o homossexualismo em geral em 30/08/2011


Fala sobre o papa Francisco em 22/05/2013

Debate sobre o livro "Francisco, renasce a esperança", organizado por Afonso Soares e João Décio Passos e publicado por Paulinas Editora. Este vídeo traz a reflexão de Dom Angélico Sândalo Bernardino, bispo emérito de Blumenau (SC), autor do posfácio da obra. O livro reúne artigos sobre o significado da eleição do Papa Francisco, a escolha do nome, as novidades e expectativas em torno de uma nova era na Igreja Católica. O debate foi realizado dia 22/05/2013, no auditório de Paulinas Livraria da Vila Mariana, em São Paulo, e contou com a participação de Ir. Vera Bombonatto (Paulinas), Afonso Soares (organizador da obra), Fernando Altemeyer Jr., frei Carlos Josaphat e Dom Angélico Bernardino.

sábado, 30 de setembro de 2017

A LUZ DIVINA E O CÉU

São João Bosco esteve no céu, durante uma visão, e viu São Domingos Sávio mostrar-lhe uma amostra humanizada do paraíso. Vale a pena ver esse vídeo. Eu li esse fato tempos atrás e até o narrei numa das postagens, que não consegui achar. 
No relato que li, a centelha de luz que São João Bosco viu deixou-o cego por vários dias!


quinta-feira, 14 de setembro de 2017

A PAZ É FRUTO DO PERDÃO

Bonita meditação de 4 minutos do Pe. Fernando Cardoso, sobre o evangelho da 4ª feira da 23ª semana do tempo comum, 13/09/2017. Ser misericordioso como o Pai que está no Céu é fazer aos outros o que queremos que nos façam. E se alguém nos fizer o mal, não responder com o mal, mas com a misericórdia, com atitudes de acolhida e perdão, como queremos que Deus nos faça se pecarmos. "O Deus de misericórdia lhe dará muito mais do que você ofereceu aos demais em seu nome. Faça essa experiência, comece-na hoje, e depois, logo depois, me digam se isso não lhe trouxe paz, não lhe amenizou a vida espiritual e não o (a) colocou mais perto de Deus que é AMOR" (Transcrição do trecho final do vídeo).


domingo, 10 de setembro de 2017

A CORREÇÃO FRATERNA

Quem não sente dificuldade para corrigir? E para aceitar a correção? O Padre Fernando Cardoso fala sobre isso, com bastante sinceridade.( 10/09/17, 23° dom. comum A)
Veja o que o Padre Paulo Ricardo fala sobre o mesmo assunto, e dá um exemplo concreto. 


segunda-feira, 28 de agosto de 2017

FÉ, ESPERANÇA E CARIDADE

São as três virtudes principais do ser humano, infundidas por Deus, e que temos a possibilidade de acolhê-las ou não. Os cristãos de Tessalônica, comunidade pequena, já as praticavam. É o primeiro escrito do Novo Testamento que chegou até nós, antes mesmo que os evangelhos. Ouça com atenção, se for preciso, várias vezes. (De 28/08/17, Pe. Fernando Cardoso)


quinta-feira, 24 de agosto de 2017

A NOVIDADE DA ESPERANÇA CRISTÃ


Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 23-08-2017, Gaudium Press) O encontro desta quarta-feira com os milhares de fiéis na Audiência Geral foi realizado na Sala Paulo VI.



A catequese de Francisco foi inspirada na passagem do Apocalipse: "Eis que faço novas todas as coisas", para falar sobre a "novidade da esperança cristã", uma esperança "baseada na fé em Deus que sempre cria novidades na vida do homem, na história e no cosmos. Novidades e surpresas".

Olhar para o Horizonte último

"Não é cristão caminhar com o olhar voltado para baixo - como fazem os porcos: sempre vão assim - sem levantar os olhos para o horizonte, como se todo o nosso caminho se consumisse aqui, no palmo de poucos metros de viagem; como se na nossa vida não existisse nenhuma meta e nenhum ponto de chegada, e nós fossemos obrigados a um eterno vaguear, sem nenhuma razão para tantas nossas dificuldades. Isto não é cristão", disse o Papa.


E Francisco explicou que "As páginas finais da Bíblia nos mostram o horizonte último do caminho do crente: a Jerusalém do Céu, a Jerusalém celeste", "imaginada antes de tudo como uma grande tenda onde Deus acolherá todos os homens para habitar definitivamente com eles. E esta é a nossa esperança".


Quando estiver com Deus, o que fará Ele comigo?


Mas quando estivermos com Deus, o que Ele fará conosco?, perguntou Francisco e logo respondeu:

"Usará uma ternura infinita em relação a nós, como um pai que acolhe os seus filhos que passaram por muitas dificuldades e sofreram muito".

Foi então que aconselhou seus ouvintes a ler e meditar, de maneira concreta, a profecia de João em Apocalipse 21,3-5. Ali São João diz que Deus enxugará as lágrimas de todas as faces e fará novas todas as coisas. Faça isso, recomendou Francisco, "depois de ter visto o telejornal ou as manchetes dos jornais, onde existem tantas tragédias, onde se fala de tantas notícias tristes às quais todos correm o risco de se acostumar":


"Procurem pensar nos rostos das crianças amedrontadas pela guerra, ao choro das mães, aos sonhos desfeitos de tantos jovens, aos refugiados que enfrentam viagens terríveis. A vida infelizmente é também isto. Às vezes se diria que é sobretudo isto".


E recomendou que diante desta realidade relembrasse que "existe um Pai que chora conosco; existe um Pai que chora lágrimas de infinita piedade em relação aos seus filhos. Nós temos um Pai que sabe chorar, que chora conosco. Um Pai que espera para nos consolar, porque conhece os nossos sofrimentos e preparou para nós um futuro diferente".


Visão da Esperança Cristã


"Esta é a grande visão da esperança cristã, que se dilata sobre todos os dias da nossa existência, e nos quer reerguer!", exclama Francisco.


Deus não criou a nossa vida por equívoco, "obrigando a Si mesmo e a nós a duras noites de angústias", mas nos criou "porque nos quer felizes. É o nosso Pai, e se nós aqui, agora, experimentamos uma vida que não é aquela que Ele quis para nós, Jesus nos garante que o próprio Deus está operando o seu resgate. Ele trabalha para nos resgatar".


Viver é um lento declínio?


O Papa disse que algumas pessoas acreditam que "a vida ofereça todas as suas felicidades na juventude e no passado, e que o viver seja um lento declínio", ou que "as nossas alegrias sejam esporádicas e passageiras, e na vida dos homens esteja inscrita uma falta de sentido. Os que, diante de tantas calamidades dizem: "Mas, a vida não tem sentido. O nosso caminho não tem sentido".

A advertência veio logo a seguir:

"Mas nós cristãos não acreditamos nisto":

"Acreditamos, pelo contrário, que no horizonte do homem existe um sol que ilumina para sempre. Acreditamos que os nossos dias mais belos estão ainda por vir. Somos gente mais de primavera do que de outono: vemos os brotos de um mundo novo antes que as folhas amareladas nos ramos. Não nos refugiamos em nostalgias, arrependimentos e lamentações: sabemos que Deus nos quer herdeiros de uma promessa e incansáveis cultivadores de sonhos".

Eu sou uma pessoa de primavera ou outono?

O Pontífice recomendou como um conselho: "Não esqueçam a pergunta: Eu sou uma pessoa de primavera ou outono? De primavera, que espera a flor, que espera o fruto, que espera o sol que é Jesus, ou de outono, que está sempre com o rosto olhando para baixo, amargurado e, como disse às vezes, com a cara de pimentão no vinagre?".


Para Francisco, o cristão sabe que o Reino de Deus, o seu Senhorio de amor "está crescendo como um grande campo de trigo, mesmo que no meio exista a cizânia. E no final o mal será eliminado":

"O futuro não nos pertence, mas sabemos que Jesus Cristo é a maior graça da vida: é o abraço de Deus que nos espera no final, mas que já agora nos acompanha e nos consola no caminho. Ele nos conduz à grande tenda de Deus com os homens, com tantos irmãos e irmãs, e levaremos a Deus a recordação dos dias vividos aqui embaixo".

Nós choraremos. Choraremos de alegria... porque cultivamos sonhos.

Segundo afirma o Papa, então, "será bonito descobrir naquele instante que nada foi perdido, nenhum sorriso, nenhuma lágrima. Mesmo que a nossa vida tenha sido longa, nos parecerá de ter vivido um sopro. E que a criação não para no sexto dia da Gênesis, mas prosseguiu incansável, porque Deus sempre se preocupou conosco. Até o último dia em que tudo se cumprirá, na manhã em que se enxugarão as lágrimas, no instante mesmo em que Deus pronunciará a sua última palavra de bênção: "Eis que faço novas todas as coisas". Sim, o nosso Pai é o Deus das novidades e das surpresas. E naquele dia nós seremos realmente felizes, e choraremos. sim, mas choraremos de alegria".

E isso tudo acontecerá porque "Nós acreditamos e sabemos que a morte e o ódio não são as últimas palavras pronunciadas sobre a parábola da existência humana. Ser cristão implica uma nova perspectiva: um olhar cheio de esperança (...) sabemos que Deus nos quer herdeiros de uma promessa e incansáveis cultivadores de sonhos". (JSG)


(Da Redação Gaudium Press, com Informações RV)

Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

A DEPRESSÃO DOS PADRES

Autor: Pe Joacir Soares / Diocese de Formosa
(a respeito do que ocorreu com o pe. Fábio de Melo)

Possivelmente, muitas pessoas viram a reportagem em que o Padre Fábio de Melo declarou estar passando pela síndrome do pânico. Algo me chamou a atenção (tirando a força midiática e o poder manipulador e ideológico que possa estar por trás da matéria)! No fundo, ele se fez porta-voz de inúmeros sacerdotes que também enfrentam a depressão e outras angústias. É algo a ser pensado, pois carregamos muitas aflições e cansaços, muitos pesos e perseguições, muitas humilhações e desesperos, muitos desprezos por falar a verdade! 

Quantas vezes não podemos dizer o que sentimos e o que passamos, pois somos vistos como "máquinas de solução de problemas". Quantas noites choramos escondidos, porque devemos estar sempre alegres! Quantos momentos gostaríamos de ficar descansado e precisamos estar na luta do dia! Quantas vezes o telefone nos incomoda e engolimos o soluço para atender as preocupações e inquietações dos que nos chamam! Quantas ocasiões, como muitas pessoas, não sabemos como pagar contas paroquiais! 

Quantas vezes, a refeição (Ou a marnita) esfria para atender uma pessoa. Infelizmente, o contexto social mostra que a vida de um padre não pode ser frágil e nem triste, não se dá o direito de assumir a dor, a tristeza ou as angústias... Quando muitos descansam, passamos noites em claro pensando nas soluções, nos remédios que temos a oferecer, nas atividades a concluir. 

Um padre também sofre, também se decepciona, também se sente abandonado, também se sente esquecido, também chora e ri!

Querem que sejamos homens de profunda fé, irreparáveis administradores, eloquentes oradores, arquitetos de catedrais, incansáveis animadores (de diferentes eventos), agentes solucionadores de angústias. 

No fundo, com nossos poucos dons, queremos ajudar a proclamar a beleza do evangelho ensinado por Jesus Cristo!

Rezemos pelos padres, pequenos grandes gigantes da fé!!!


Autor: Pe Joacir Soares / Diocese de Formosa

sábado, 19 de agosto de 2017

A FÉ DA MULHER PAGÃ


20/08/2017



Na missa que era para ser rezada hoje, do 20° domingo do tempo comum, foi substituída pela festa da Assunção de N. Senhora. Vamos perder um evangelho muito bonito e que confirma a atitude coerente do papa Francisco. Ele está seguindo o evangelho, que infelizmente com o decorrer dos séculos foi um pouco deixado para trás por causa da burocracia eclesiástica.

É Mateus 15,21-28. Uma mulher pagã, ou seja, que não era do povo judeu (hoje diríamos que não era batizada e seria estrangeira, e de um povo que sempre teria tido ódio de nosso povo). pedia que Jesus curasse sua filha. Jesus não ligou. A mulher insistiu. Jesus lhe disse que não podia dar os pães aos cachorrinhos (era assim que apelidaram os cananeus). A mulher lembrou Jesus que os cachorrinhos comem as migalhas que caem da mesa dos que estão se banqueteando. E era isso mesmo: nas casas dos ricos, eles limpavam os dedos (comiam a carne com as mãos) com miolos de pães que eram jogados ao chão e comidos pelos cachorros. 

Jesus disse, então à mulher PAGÃ e cananeia, ou seja, inimiga dos judeus, o que poucas vezes dissera: “GRANDE É A TUA FÉ”! Gente, lembro-lhes que no evangelho do domingo passado Jesus disse a PEDRO; “HOMEM DE POUCA FÉ”! E Pedro, como sabemos, foi depois o primeiro papa, nomeado pelo próprio Jesus. 



Isso mostra como o papa Francisco está certo ao estender o cristianismo a todos, sem distinção. Precisamos vencer esse paradigma e sermos missionários deste novo tempo! (Paradigma é quando a gente acha que deve continuar tudo como está, que não há como superar esta ou aquela dificuldade). 

ORAÇÃO PELO BRASIL 2017








NOTÍCIA IMPORTANTE!
Os Bispos do Brasil (CNBB) convocam todos os padres, diáconos e fiéis para a Jornada de Oração pelo Brasil. Todos somos convidados a jejuar pelo país para superarmos a crise que seus filhos atravessam. Veja como se dará esta importante intercessão por nosso país:

1. Todos os padres devem ler oficialmente a convocação para a jornada de oração e jejum pelo Brasil nas missas dos finais de semana até o dia 7 de setembro;

2. Todos devem divulgar essa convocação por meio das redes sociais;

3. No dia 7 de setembro, o Sacerdote deve celebrar Missa pela pátria (Missal Romano, 907) e rezar a oração sugerida pela CNBB.
Participe pessoalmente da jornada de oração e jejum pelo Brasil.

Jejum e oração para que possamos superar a crise!

+Julio Akamine SAC (Arcebispo de Sorocaba SP)

Obs. Abaixo veja a Oração Oficial que todos faremos nas Missas e pessoalmente:
JORNADA DE ORAÇÃO PELO BRASIL

Semana da Pátria

01 a 07 de setembro de 2017

07 de setembro - dia da Pátria: Vida em primeiro lugar

“A paz é o nome de Deus” (Papa Francisco)

Diante do grave momento vivido por nosso país, dirijamos nossa oração a Deus, pedindo a bênção da paz para o Brasil.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Vivemos um momento triste, marcado por injustiças e violência. Para construirmos a justiça e a paz, em nosso país, necessitamos muito do vosso amor misericordioso, que nunca se cansa de perdoar.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Estamos indignados, diante de tanta corrupção e violência que espalham morte e insegurança. Pedimos perdão e conversão. Nós cremos no vosso amor misericordioso que nos ajuda a vencer as causas dos graves problemas do País: injustiça e desigualdade, ambição de poder e ganância, exploração e desprezo pela vida humana.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Ajudai-nos a construir um país justo e fraterno. Que todos estejamos atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas! Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos! Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação! Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Vosso Filho, Jesus, nos ensinou: “Pedi e recebereis”. Por isso, nós vos pedimos confiantes: fazei que nós, brasileiros e brasileiras, sejamos agentes da paz, iluminados pela Palavra e alimentados pela Eucaristia.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Vosso filho Jesus está no meio de nós, trazendo-nos esperança e força para caminhar. A comunhão eucarística seja fonte de comunhão fraterna e de paz, em nossas comunidades, nas famílias e nas ruas.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Neste ano em que celebramos os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, queremos seguir o exemplo de Maria, permanecendo unidos a Jesus Cristo, que convosco vive, na unidade do Espírito Santo.

Amém!

(Pai nosso! Ave, Maria! Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo!)

terça-feira, 15 de agosto de 2017

TRÊS BEIJOS

15/08/17
Essa música me inspirou este texto:
Deus, Eterno, Todo Poderoso, mesmo vivendo numa Trindade, nunca recebera um beijo. Não havia quem o beijasse.
Ele criou o ser humano à sua imagem e semelhança. O ser humano podia beijar e ser beijado. Eva decerto beijou com ternura seus filhos. Mas Deus, mesmo em sua Onipotência, não recebera beijo algum. Os séculos se passaram, mas ele continuava de certa maneira isolado da humanidade, pelo menos fisicamente. Espiritualmente, é claro, nunca esteve longe de nós.
Chegou o tempo da encarnação de Jesus. Em sua segunda Pessoa, a do Filho, Deus se encarnou entre nós. Não era mais do que uma criança nos braços de uma criatura sua, de dezesseis anos, frágil, ambos sujeitos às mais imprevistas situações. Entretanto, como uma contradição aparente, Deus recebeu o seu primeiro beijo: o de Maria. Será que ela sabia que ao beijar Jesus estava beijando o próprio Deus, que com o Pai e o Espírito Santo criara o universo?
Deus precisou deixar de lado sua Onipotência para receber o seu primeiro beijo, de sua tão puríssima mãe. Que beijo gostoso! Como eu invejo ambos: Maria, por ter beijado Jesus, e Jesus, por ter sido beijado por Maria! Foi o beijo de uma mulher imaculada, um beijo de uma pessoa que nunca havia pecado. Nós também só poderemos beijar Jesus se deixarmos nossa soberba, nosso orgulho, nossa prepotência de lado e pedirmos perdão humildemente a esse nosso Senhor e Salvador.
Esse foi justamente o  segundo tipo de beijo que Jesus recebeu: o da mulher adúltera, em Lucas 7, 36-38: "... e, estando a seus pés, por detrás dele, começou a chorar. Pouco depois suas lágrimas banhavam os pés do Senhor e ela os enxugava com os cabelos, beijava-os e os ungia com o perfume" (Bíblia Católica Online)
Beijo de gratidão. Jesus a perdoara de todos os seus pecados. Foi talvez o primeiro beijo casto, puro, sincero, que aquela mulher dava em sua vida de pecados. Um beijo de arrependimento, de quem diz: “obrigado, Senhor, por ter transformado a minha vida”! Tenho inveja também dessa mulher. Que santa ousadia! Jesus se deixou beijar por alguém que havia sido pecadora. Grande notícia para nós, que tanto pecamos! Se pedirmos perdão, podemos também beijar os pés de Jesus. Poderemos nos aproximar dele e sentir sua presença salvífica em nossa vida. Recomeçaremos uma nova vida com esse “beijo“ que espiritualmente damos nos pés do Senhor com o nosso arrependimento. Nós estaremos, assim, confortando-o e reparando nossos pecados. Para isso é preciso, entretanto, o humilde reconhecimento de nossas misérias, de nossa fraqueza, de nossos pecados.

O terceiro e último beijo que Jesus recebeu foi o de Judas, na véspera de sua paixão. Beijo asqueroso, nojento, pútrido, fingido, cheio de ódio ou indignação. Lembro-me do relato da Vicka, em Medjugorje, que, inquirida por uma repórter se podia beijar o manto de Maria, esta disse que podia. No lugar do beijo a vidente viu uma mancha feia. Perguntou à Maria o porquê ficara manchado sua veste, e ela respondeu que era por causa dos pecados daquela repórter (veja isso em A VESTE) . Maria, toda pura, Jesus, infinitamente santo, não se agradam de beijos fingidos. Nosso beijo não pode ser como o terrível beijo traidor de Judas. Entretanto, como não podemos beijar Jesus com os lábios tão castos e puros de Maria, pelo menos beijemo-lo com os lábios de uma pessoa arrependida e disposta a recomeçar uma vida nova!




LETRA DA MÚSICA E TRADUÇÃO
Lyrics

Google play
Mary did you know that your baby boy will one day walk on water?
Maria, você sabia que seu bebezinho um dia iria andar sobre a água?
Mary did you know that your baby boy will save our sons and daughters?
Maria, você sabia que seu bebezinho salvaria nossos filhos e filhas?
Did you know that your baby boy has come to make you new?
Você sabia que seu bebezinho veio para dar-lhe uma nova vida?
This child that you've delivered, will soon deliver you
Essa criança que você ofereceu, logo irá oferecê-la!
Mary did you know that your baby boy will give sight to a blind man?
Maria, você sabia que o seu bebezinho iria dar visão a um cego?
Mary did you know that your baby boy will calm a storm with his hand?
Maria, você sabia que o seu bebezinho acalmaria uma tempestade apenas com sua mão?
Did you know that your baby boy has walked where angels trod?
Você sabia que seu bebezinho andava onde os anjos pisavam?
And when you kiss your little baby, you have kissed the face of God
E que quando você beija seu bebezinho, você beija a face de Deus?
Mary did you know, Mary did you know, Mary did you know
Maria, você sabia, Maria, você sabia, Maria, você sabia?
The blind will see, the deaf will hear and the dead will live again
O cego irá enxergar, o surdo irá ouvir e o morto ressuscitará
The lame will leap, the dumb will speak the praises of the lamb
O coxo vai pular, o mudo vai proclamar os louvores do Cordeiro
Mary did you know that your baby boy is Lord of all creation?
Maria, você sabia que o seu bebezinho é o Senhor de toda a criação?
Mary did you know that your baby boy will one day rule the nations?
Maria, você sabia que o seu bebezinho um dia governaria as nações?
Did you know that your baby boy is heaven's perfect Lamb?
Você sabia que o seu bebezinho é o perfeito Cordeiro do Céu?
This sleeping child you're holding is the great I am
Essa criança adormecida que você está embalando é o grande EU SOU!
Mary did you know, Mary did you know, Mary did you know
Maria você sabia? (três vezes)

Written by Buddy Greene, Mark Lowry • Copyright © Warner/Chappell Music, Inc, Capitol Christian Music Group

sábado, 12 de agosto de 2017

HOMENAGEM AOS PAIS FALECIDOS


Homenagem dos filhos, noras e netos na Missa de 7.o dia de nosso Pai – Dr. Eduardo Guenka – 15-Jun-2014

Amigos na fé em Jesus Cristo, bom dia!

No último domingo nossa família passou por uma grande provação: perdemos nosso patriarca, pai, marido, avô, sogro, conselheiro, companheiro e amigo. E de outro lado, Deus operou dois milagres e manteve aqui conosco Marcos e Aline, que se recuperam bem e participam desta celebração conosco.

Em nome de nossa família e de nosso saudoso pai, queremos agradecer a todas as manifestações de carinho, respeito, suporte e, principalmente, as orações que apaziguam nossos corações e nos ajudam a silenciar a dor e aceitar o plano de Deus com serenidade. Nada temeremos, pois Deus é nossa força, e envia seus anjos em forma de amigos que nos sustentam e amparam.

Não foram poucos os que nos ajudaram neste momento tão difícil, de todas as formas possíveis. Tudo isso nos faz meditar e regozijar o quanto é fundamental o nosso laço de irmandade em Jesus Cristo. Nossa família ficou maravilhada com tantos gestos de amor e palavras de gratidão ao legado de nosso pai. Todas essas demonstrações nos deixam extremamente tocados e com a certeza que Jesus acalentará nossos corações e abençoará nossa caminhada, como sempre o fez. Neste momento, olhamos nossos passos na areia e enxergamos apenas um par de pegadas, não são nossas, é Jesus que nos carrega em seu colo. Sentimos seu abraço carinhoso e cheio de ternura enquanto Ele suporta todo o nosso pesar. Queremos agradecer em especial a Comunidade de Santa Rosália. Aqui fomos batizados, catequizados, crismados, participamos do grupo de jovens Shaen, casamos e nossa Fé floresceu!

Pedimos que não deixemo-nos levar pelo julgamento humano acerca da forma inesperada como tudo ocorreu. O importante é a certeza que nosso pai combateu o bom combate, e está agora ao lado de quem ele mais amava: Jesus.

Nosso pai foi nosso herói sempre pronto e disponível que ajudava a todos com seu carinho e modo amoroso de dizer as coisas, nos corrigir e orientar. Pai amoroso e acolhedor, não esqueceremos jamais suas orações nos encontros familiares, no Natal, Páscoa, Ano Novo e nos aniversários. Víamos seus olhos brilharem de alegria e chorarem ao ver a família reunida ao redor da mesa como se fosse uma celebração – a celebração da vida. Sua vida foi um testemunho contínuo de sua fé em Deus, trabalhando incansavelmente pela santificação das famílias, através das Pastorais, Movimento de Emaús, Cursilho, Grupo de Palestras para Adolescentes, participação na Liturgia e na Catequese, doando seu tempo, sua voz e seu coração para o que lhe era mais caro: santificar as famílias para edificação do Reino de Deus. Suas palavras acendiam o fogo em nossos corações e acalmavam nossas almas. Sua preocupação era nos deixar a formação nos princípios e valores cristãos. Agora sentimos o peso e a força de tudo que ele fazia! Isso nos conforta e dá alento para seguir adiante.

Ainda é muito estranho, sentimos sua presença em tudo! E sua falta nos corta o coração.
Mais uma vez, com Jesus e o suporte de nossos irmãos em Cristo temos a certeza de podermos seguir adiante.

Sentimos-nos compelidos a compartilhar com vocês mais esta experiência do amor de Deus em nossas vidas. A alegria verdadeira que só Jesus Cristo pode dar tem inundado nossos corações, tanto pela certeza da vida eterna quanto pelo poder imensurável do Espírito Santo, que inspirou a tantos amigos e irmãos na fé para nos auxiliar neste momento. Diante de um sofrimento que o mundo consideraria insuportável, a presença de Deus conforta e reforça nossa fé, pois tudo posso Naquele que me fortalece. Tenham a certeza que Deus ama a todos os seus filhos e Pai perfeito que é, sempre cuida de todos os seus e nos oferece vida em plenitude. Nunca nos confia mais do que nossos humildes talentos são capazes de suportar.

Finalmente, em honra a tudo que nosso pai fez nesta vida, peço a todos que meditem sobre os pilares que ele defendia arduamente e escutem esta mensagem com atenção: a Fé inabalável em Deus, a família, os princípios de moral e ética cristãos sem concessões e a evangelização constante a serviço de nossa Igreja!


Mais uma vez, muito obrigado! Nosso abraço carinhoso a todos vocês em nome de NSJC! Deus os abençoe!




Mensagem de Santo Agostinho


A morte não é nada. Apenas passei ao outro mundo. Eu sou eu. Tu és tu. O que fomos um para o outro ainda o somos.

Dá-me o nome que sempre me deste. Fala-me como sempre me falaste. Não mudes o tom a um triste ou solene. Continua rindo com aquilo que nos fazia rir juntos. Reza, sorri, pensa em mim, reza comigo. Que o meu nome se pronuncie em casa como sempre se pronunciou.

Sem nenhuma ênfase, sem rosto de sombra. A vida continua significando o que significou: continua sendo o que era.

O cordão da união não se quebrou. Porque eu estaria fora de teus pensamentos, apenas porque estou fora de tua vista?

Não estou longe, somente estou do outro lado do caminho. Já verás, tudo está bem. Redescobrirás o meu coração, e nele redescobrirás a ternura mais pura.

Seca tuas lágrimas se me amas, não chores mais.




Ser pai é ser ...
Marcos Leandro


Ser pai é ser criança, 
aprendendo e vivendo sempre coisas novas e boas 
Pois só assim é que se cresce

Ser pai é ser filho, 
seguindo e trilhando os rumos traçados pelos pais 
Pois eles só querem o nosso bem

Ser pai é ser irmão, 
sendo um pai dos filhos mais novos e mais velhos 
Pois desta maneira se treina para paternidade

Ser pai é ser amigo, 
compreendendo e ajudando os amigos que precisam de um pai 
Pois eles retribuirão com gratidão

Ser pai é ser avô, 
observando e encaminhado os filhos a serem bons pais 
Pois eles conseguirão a maturidade

Ser pai é ser mestre, 
espalhando a sabedoria e seus conhecimentos 
Pois é assim que se constrói um mundo melhor

Ser pai é ser pai, 
orientando e encaminhado os filhos a seguirem o bom caminho 
Pois só assim se obtém a felicidade

Ser pai é ser como Cristo, 
educando e praticando seus ensinamentos 
Pois é assim que se conquista a benção de Deus