terça-feira, 3 de maio de 2016

CRISMA 7, 8 E 9 - CONFLITOS

 

7-CONFLITOS COM A COMUNIDADE

 

a) Para ler: 2 Timóteo 4, 1 -5 e Tito 3, 1 – 2

 

b) Para conversar

1. Você tem conhecimento sobre algumas discussões na comunidade?

2. Por que elas ocorreram? Foram motivos válidos ou fúteis?

3. Como evitá-las?

 

c) Para saber

Desde os tempos bíblicos temos problemas nas comunidades. As discussões, desentendimentos, problemas eram comuns até nas comunidades atendidas pelos apóstolos (São Paulo, por exemplo), como está descrito nos dois trechos acima.

Essas brigas e conflitos nascem por vários motivos, mas os principais são a falta de humildade, a falta de conhecimento, a falta de educação, a falta de conversão, traumas trazidos da família em que se vive, complexo de inferioridade, falta de diálogo, mania de querer aparecer a qualquer custo, espiritualidade, mal orientada, falta de caridade.

A falta de humildade. Quando a pessoa perceber que está agindo erradamente, deve mudar de atitude. Isso não é humilhação, mas amor a Deus e aos irmãos.

A falta de conhecimento. Às vezes a pessoa não conhece bem a outra ou aquele assunto e briga pensando que está fazendo o que é certo.

A falta de educação. Muitos são briguentos mesmo e não têm um pingo de educação no relacionamento diário: não formaram ainda um bom caráter.

A falta de conversão. Muitos são pessoas que estão vindo de uma vida mundana ou estiveram ausentes por muito tempo da vida de igreja e não mudaram ainda de modo real o seu coração.          

Traumas trazidos da própria família. São os que em casa são humilhados, ou que não conseguiram atingir seus objetivos de vida e descontam isso na comunidade: querem impor suas ideias a qualquer custo.

Complexo de inferioridade. São os que ficam sentidos por quaisquer palavras que lhes são ditas no sentido de admoestação ou correção.

Falta de diálogo. Os que nunca dialogam, mas sempre e em toda parte querem impor suas ideias.

Mania de querer aparecer a qualquer custo. Isso os leva a pisar nos outros.

Espiritualidade mal orientada. Os que encasquetam uma ideia na cabeça e querem que a comunidade os siga a qualquer custo.

Falta de caridade. Os que acham que as ideias são mais importantes que o tratamento caridoso entre os irmãos.

 

d) Para viver

Procure dialogar com as pessoas briguentas que estejam dando problemas. Se não mudarem de atitude, peça ao pároco que participe da troca de ideias, para decidirem a questão. Não decida sozinho o que fazer.

 

e) Para fazer

Faça uma lista do que precisa mudar na comunidade e converse isso com o (a)catequista.

 

f) Para rezar

João 17, 1b - 5. 18 - 23

 

8-CONFLITOS COM A SOCIEDADE

 

a) Para ler: 1 João 4, 7 - 14

 

b) Para conversar

1. Qual seria pra você a cidade ideal para se viver?

2. Como surgem os conflitos na sociedade de hoje?

3. O que é migração? Seu bairro tem muitos migrantes?

 

c) Para saber

Uma cidade, quer seja grande, quer seja pequena, abriga muitos problemas e conflitos. Sempre costumamos imaginar qual seria uma cidade ideal para morarmos. Nessa cidade de nossos sonhos na certa não haveria conflitos, nem brigas, nem pobreza, nem desabrigados, nem desempregados. Isso está muito longe da realidade, e por vários motivos.

- sempre deixamos aos outros a solução dos problemas;

- muitas vezes nos achamos incapazes de mudar as coisas erradas;

- acomodamo-nos e queremos que todos concordem conosco;

- cada um quer solucionar o problema do seu jeito e isso dá briga; 

- os políticos muitas vezes só pensam em si mesmos; 

- falta diálogo entre as autoridades civis e religiosas da cidade;

- em vez de combatermos os problemas pela raiz, nos escondemos deles e "tapamos o sol com a peneira". Alguns exemplos: em vez de combatermos a pobreza, damos cestas básicas; em vez de combatermos a criminalidade, construímos muros cada vez mais altos nas casas; em vez de acabarmos com as doenças com uma alimentação mais adequada, abrimos farmácias comunitárias.

 

d) Para viver

Não espere milagres para viver feliz. Acostume-se a lutar em conjunto e nunca separadamente para vencer os problemas de seu bairro, de sua cidade. Lembre-se sempre que você também é responsável por muitos problemas que acontecem em sua cidade.

Procure, sobretudo, ocupar o seu tempo no estudo profundo e eficaz, longe das drogas, do cigarro, das bebidas. Engaje-se num grupo de jovens, ou mesmo de amigos de bairro, para ajudar a resolver ou pelo menos a cobrar as soluções dos vereadores e do prefeito. Veja com os amigos como ajudar os migrantes de seu bairro.

 

e) Para fazer

Faça uma lista dos problemas de seu bairro e de sua cidade e um planejamento de como podem ser resolvidos.

 

f) Para rezar

Senhor nosso Deus / nós vos pedimos que nos ilumineis / para que saibamos como viver atuantes / na sociedade onde vivemos, / para torná-la melhor / a fim de que todos vivam como irmãos. / Por Cristo nosso Senhor. Amém.

 

9-CONFLITOS COM A PRÓPRIA FAMÍLIA

 

a) Para ler: Colossenses 2, 18 - 21 e Efésios 5, 21 - 6, 4

 

b) Para conversar

1. Porque acontecem brigas na família?

2. Você já teve vontade de abandonar sua casa?

3. Por que os pais de seus colegas parecem melhores que os seus?

 

c) Para saber

Os conflitos e brigas na família acontecem por vários motivos. É difícil enumerar todos, porém poderíamos sintetizá-los.

Desse modo é preciso ressaltar a falta de diálogo entre pais e  filhos. Os pais tiveram um tipo de educação diferente dos filhos e não percebem que seus filhos hoje vivem num outro mundo. Muitas vezes forçam-nos os filhos a viver segundo um estilo de vida que não mais existe.

Por exemplo, muitos pais viveram até os 20 anos de idade sem conhecer a televisão: apenas conheciam o rádio. Quando a tevê Apareceu, era somente em preto e branco; a colorida apareceu no final da década de 70. As crianças e jovens atuais já nasceram num mundo de TV em cores, videogame, computadores etc. Eles não fazem ideia de como é viver num mundo sem isso. Os pais muitas vezes não pensam nessa situação: educam seus filhos esquecendo-se que eles nunca participaram daquele mundo mais antigo.

Por outro lado, os jovens de hoje precisam aprender também que esse ponto de vista e ter mais paciência com seus pais. No tempo mais antigo, a autoridade dos pais valia muito mais que hoje em dia.

Infelizmente muitos valores, ou seja, muitos bons costumes estão sendo esquecidos ou deixados de lado pelos jovens, o que deixa os pais aflitos. Como por exemplo, posso lembrar os vícios: cigarro, sexo desenfreado, drogas, álcool e outros.

Se os pais quiserem conquistar seus filhos, precisam convencê-los pelo diálogo, pela conversa franca e honesta. Precisam levá-los a obedecer não por medo (isso não funciona mais), mas por concluírem que de outra forma não terão um futuro feliz.

 

d) Para viver

Procure dialogar com seus pais. Não lhes responda com aspereza; ao contrário mostre que você quer ser alguém na vida e precisa de orientação. Se o que eles pedem está fora do tempo e do espaço, faça-os ver isso com jeito e delicadeza. Se for necessário, peça aos pais de um de seus colegas falarem com eles.

E mais: fugir de casa não vai resolver seus problemas. Se você estiver com vontade de fazer uma experiência de viver longe de seus pais, fale com eles. Pode ser que eles o entendam.

 

e) Para fazer

Converse com seus colegas e pergunte-lhes quais são as dificuldades que eles encontram na vivência familiar.

 

f) Para rezar

Rezem de mãos dadas a oração do Pai-Nosso 7z 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DIGITE AQUI O SEU COMENTÁRIO