domingo, 9 de agosto de 2015

NOV. NATALn° 2-2º DIA

SEGUNDO DIA
ORAÇÃO PARA TODOS OS DIAS
INICIAL: um cântico, um terço ou uma dezena do terço.
FINAL:  Senhor Deus, que nós nos preparemos dignamente para o Natal de vosso Filho, tirando de nossos corações a tristeza, a falsa alegria, o desânimo, o apego ao pecado, o individualismo, a falta de amor e a falta de autodoação. Fortalecei-nos, para que transformemos a nós mesmos e o mundo que nos circunda, por Cristo, nosso Senhor, que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo. Amém.
PARA LER
Romanos 13,11-14 : “Vós sabeis em que tempo estamos, pois já é hora de acordar. Com efeito, agora a salvação está mais perto de nós do que quando alcançamos a fé. A noite já vai adiantada, o dia vem chegando: despojemo-nos das ações das trevas” (glutonerias, bebedeiras, orgias, imoralidades, brigas, vícios perniciosos, rivalidades) “e vistamo-nos as armas da luz”.

PARA RESPONDER
1- Você se esforça em praticar o que ensina aos outros, aos filhos?
2- Você se conhece? Aceita os seus próprios defeitos?
3- Ainda há algum traço dessas “ações das trevas” no seu dia a dia?

PARA REFLETIR
O papa falou à Cúria Romana no Natal de 2014 que muitos têm a “doença da esquizofrenia existencial”, ou seja, “criam um mundo paralelo seu, onde põem de lado tudo o que ensinam severamente aos outros e começam a viver uma vida escondida e muitas vezes dissoluta. A conversão é muito urgente e indispensável para esta gravíssima doença”.
É preciso conhecermo-nos, saber quais defeitos temos, e aceitarmo-nos como somos, pedindo a Deus que nos transforme naquilo que ele quer que sejamos (um bispo disse isso, mas não me lembro quem). Isto conseguimos não apenas pela oração em si, mas também ouvindo o que os outros dizem a nosso respeito. Depois de os ouvirmos, reflitamos imparcialmente e nos descubramos!
Muitas pessoas não têm consciência de seus próprios pecados, embora o apontem nos outros. A conversão pessoal consiste justamente nisto: tomarmos consciência de nossas faltas e defeitos e pedir a Deus e a ajuda dos irmãos para que possamos vencê-los.
Os vícios mencionados no texto nos trazem tribulações, tristezas, depressão, desânimo, desejo de morrer ou de matar (ou prejudicar) a quem nos oprime, desejo de vingança, dependência química, miséria (vende-se tudo o que se tem para sustentar os vícios), e as doenças.
Jesus veio a este mundo para nos salvar e nos dar paz, amor, bondade, perdão, hábito da oração, fraternidade, sobriedade, a pertença a uma comunidade eclesial, a luta contra as injustiças etc. Ele nos oferece um suave, um peso leve (=levar nossa cruz com alegria), tão diferente do que nos trazem os vícios e as obras das trevas (=dependência, ódio, sofrimento quando não os obtemos, roubos, prostituição, aids, doenças, depressão etc). O jugo de Jesus Cristo nos dá como prêmio a vida eterna, o paraíso.

Estamos nos preparando para o Natal, que é um tempo de luz, em que não há trevas. É um tempo de, humildemente, encontrarmos os nossos pontos fracos, as nossas atitudes que ainda estão nas trevas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DIGITE AQUI O SEU COMENTÁRIO