quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

EV. JOÃO CAPÍTULO 12


v.1- Última semana da vida pública de Jesus. João narra pormenorizadamente como o fez na primeira semana da vida pública de Jesus, em 2,1s. Jesus, agora, não faz mais os "sinais", ou seja, as curas.

v.7- Precisamos ter muito cuidado para não interpretarmos mal este trecho. Muitas pessoas acham que o trecho permite enfeites suntuosos nas igrejas (=o perfume) em detrimento dos pobres. Não é isso! Diz São João Crisóstomo (veja na 2ª leitura do ofício das leituras do sábado da 21ª semana comum): "Que proveito haverá se a mesa de Cristo estiver coberta de taças de ouro e ele próprio (na pessoa do pobre) estiver morrendo de fome? Sacia primeiro o faminto e, depois, do que sobrar, adorna sua mesa. Fazes um cálice de ouro e não dás um copo de água?(...) Se vês alguém que precisa de alimento e deixando-o, vais rodear a mesa de ouro, será que Deus te agradecerá ou, ao contrário, se indignará?"

Esse trecho está aí para lembrar que  Maria valorizou plenamente a Jesus entre eles, e nós precisamos valorizar sua presença nos pobres e necessitados...

v.10- A atitude dos chefes dos sacerdotes poderia ser diferente, a de conversão à palavra de Jesus, mas o interesse de poder e monetário os impediam a isso. Podemos refletir aqui quantas vezes deixamos de mudar para melhor nossas atitudes por causa de nossas pendências e apegos financeiros ou de poder!

Se algo não estiver dando certo em sua vida, e o caminho alternativo que você vê é de retrocesso em sua vida econômica e financeira, não pense duas vezes! Aceite recomeçar da estaca zero! Quantos suicídios isso não teria evitado!

v.13- O "rei de Israel" aqui se refere ao rei messiânico, o Messias que estavam esperando. Eles pensavam que Jesus fosse tomar o poder pela força. Só depois da ressurreição e de Pentecostes é que perceberam a "novidade" das atitudes de Jesus.

v. 19- Perceba a inveja dos fariseus!

v.20- São os não judeus, que abraçaram o monoteísmo de Israel e, em certa medida, as observâncias de Moisés. São os "tementes a Deus" de Atos 10,2.

v.26- "Onde estou eu, aí também estará o meu servo", ou seja, na Glória do Pai. Confira Jo 14,3; 17,24.

v.28 - A Bíblia de Jerusalém comenta: "Jesus se oferece à  morte para realizar a obra que glorificará o Pai, manifestando o seu amor pelo mundo (Jo 17,6)".

v.30 - Muitas coisas que aconteceram entre Jesus e o Pai não são conhecidas nossas. Aliás, ninguém sabe plenamente qual é o relacionamento que o outro tem com Deus, por mais íntimo amigo sejam. Nosso encontro com Deus é único e indescritível!

v.31- O diabo é o príncipe deste mundo (dos que não acreditam ou não querem se unir a Deus de modo verdadeiro). Por suas mentiras (o diabo é mentiroso por natureza), ele é a causa de todas as desordens morais. O reino de Cristo, pelo contrário, é o do amor que gera a vida (BJ). 

v.32- Se fossem os judeus que matassem Cristo, ele seria apedrejado. Executado pelos romanos, foi "elevado" sobre a cruz, primeiro passo que deveria levá-lo à direita do Pai. O modo como Jesus foi morto tinha, portanto, valor de símbolo. Veja Jo 18,32-32 (BJ).

v.42-43- Muitos dos que acreditaram em Jesus, eram dependentes economicamente da sinagoga e não se arriscavam a segui-lo para não perder a fonte de sustento. Como isso é atual, não acham?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DIGITE AQUI O SEU COMENTÁRIO