sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

CATECISMO RESUMIDO - 01


Resumo da doutrina católica para cursos rápidos.

Como ler as citações bíblicas deste texto:

Lc 18,1-8: Evangelho de S. Lucas, capítulo 18, versículos de 1 a 8

Lc 18,1.8; 19,1: Evangelho de S. Lucas, capítulo 18, versículos 1 e 8. Capítulo 19, versículo 1.

Lc 18,1.3-8: Evangelho de S. Lucas, capítulo 18, versículo 1 e versículos 3 a 8.

Ou seja: o ponto separa os versículos. A vírgula separa capítulo de versículos. O ponto e vírgula separa capítulos. O traço significa que devemos ler todos os versículos entre o primeiro e último número.

1- É POSSÍVEL SER LIVRE E FELIZ!

O único modo de ser livre e feliz é fazer a vontade de Deus e viver como ele nos programou. Fomos criados para viver a vida em abundância: “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10,10b), mas independentes e livres de tudo: sem estarmos amarrados a nenhum vício, a nenhum tipo de vingança, de ódio, de maus desejos, de malícia, de gulodice, de vaidade, de orgulho, de autossuficiência, de egoísmo, de impureza, de preguiça etc. Todo somos chamados à santidade (Mt 5,48; 1Pe. 1,16). Não há outra maneira de ser feliz. Pecar contraria tanto nossa natureza como se lavássemos meias num liquidificador. Não dá certo! Se viermos a pecar, pedir logo perdão e recomeçar a vida.

2- DEUS NOS AMA SEMPRE!

O amor de Deus por nós é eterno: “Com amor eterno eu te amei!” (Jer 31,3). “Deus amou tanto o mundo que deu seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3,16). Deus nos ama tanto que enviou seu Filho à terra, Deus como ele, que morreu na cruz para nos salvar e nos abrir as portas do paraíso, fechadas pelo pecado da humanidade, simbolizada em Adão e Eva. Ressuscitando, Jesus venceu a morte e renovou a vida. Se colocarmos em Jesus nossas preocupações, ele cuida de nós (1 Pd 5,6-8) porque nos ama. Se o amarmos, apenas estaremos respondendo seu apelo de amor, pois foi Ele quem nos amou por primeiro (1João 4,10; Provérbios 23,26).

Uma das mais belas imagens do amor de Deus por nós, na minha opinião, é o da galinha choca, que acolhe os pintinhos debaixo de suas asas. O próprio Jesus foi quem fez essa comparação: comparou-se a uma galinha choca, que recolhe seus pintinhos sob suas asa. Ele quer nos abrigar, com receber, nos confortar, mas precisa que O aceitemos (Mt 23,37), pois até ele concorda que nosso é, muitas vezes, pesado (Mt 11,28-30).

3- O NOSSO AMOR POR DEUS:

Acontece quando obedecemos aos ensinamentos de Jesus. O maior mandamento dado por Deus e ratificado por Jesus é o amor a Deus e ao próximo: “Assim como eu vos amei, vós deveis amar uns aos outros” (Jo 13,34-35). “Amar ao próximo como a si mesmo” (Mc12,28-34). Jesus nos manda amar até aos inimigos (Rm 12,19-20; Mt 5,44-48). Isso é possível porque amar não é o mesmo que gostar. Amar é próprio da alma. Gostar é próprio do corpo. Jesus não nos mandou gostar, mas amar, mesmo que não gostemos. Amar é fazer tudo para que o outro possa aprender a agradecer a Deus, ir par o céu e realizar-se como pessoa. Veja Rom 12-20: Se tratarmos bem quem nos odeia, isso vai levá-lo ao remorso e à conversão, como se tivéssemos colocado “brasas” de remorso em sua cabeça. Leia e medite os capítulos 5,6 e 7 de Mateus, o Sermão da Montanha, que comentaremos logo adiante.

4- QUEM É DEUS.

Deus é puro Espírito, eterno, totalmente perfeito. “Deus é poderoso para realizar por nós, em tudo, muito além, infinitamente além do que pedimos ou pensamos” (Efésios 3,20).
“Deus não é solidão, mas uma família” (Doc. De Puebla 582 e de Aparecida 434). Deus é um só, mas vive em três Pessoas: o Pai, cuja voz se ouviu no céu no Batismo de Jesus, o Filho (Jesus), que estava sendo batizado, e o Espírito Santo, que nesse trecho apareceu como uma pomba, mas em Pentecostes se manifestou como “vento impetuoso” e como línguas de fogo (Atos cap 1 e 2). Este é o “Mistério da Santíssima Trindade”, revelado em Mt 3,26-17 e 28,19-20.

Foi Deus que criou tudo o que existe. Deus sabe tudo, está em todos os lugares, ou melhor, ele vive fora do tempo e do espaço, e o que existe só subsiste porque Ele quer e sustenta. É todo-poderoso, eterno, todo misericordioso, infinitamente perfeito. Ele é totalmente independente de tudo o que existe.

Como Ele é perfeito e tem em plenitude tanto as virtudes de Pai como as da Mãe (Frei Carlos Mesters). E quer que tenhamos a mesma união entre nós como ele a tem na Santíssima Trindade.

Textos para refletir: Jeremias 31,2; Mt 28,19-20; Jo 1,1-15; cap.14,11; cap.17,21-22.

5- ADÃO E EVA.

Eles existiram, sim, mas não sabemos exatamente como foram criados. A história do Gênesis é simbólica. Deus criou tudo o que existe e Jesus estava presente não ainda como homem, mas como Verbo ou Palavra de Deus (João 1,1-18). O ser humano foi criado por Deus de modo especial: ele é feito à imagem e semelhança de Deus. A cada criança concebida Deus cria nela uma alma imortal. Isso está colocado, em forma simbólica, em Gênesis cap. 1, vers. 1 até cap. 2, vers. 4A, e Gênesis cap. 2, vers. 4a até cap. 3, vers. 24.

Não podemos ler esses trechos ao pé da letra. São duas versões diferentes, como você pode constatar (na primeira o homem e a mulher teriam sido criados num mesmo instante, já dentro do paraíso, e em último lugar, ou seja, depois de tudo o mais. Na segunda, a mulher foi criada do homem, este foi criado fora do paraíso e antes das outras coisas). Em qual delas acreditar?

A ciência diz que o homem inteligente apareceu há mais de dois milhões de anos (recentemente descobriram um fóssil de três milhões de anos) e os cientistas aceitam a teoria da evolução das espécies de Charles Darwin, que diz que o homem e o macaco vieram de um ancestral-primata comum (eles não dizem, como muitos afirmam, de que o homem veio do macaco, mas que os dois vieram de um outro animal primata).

Essa teoria pode ser admitida, se quiserem, desde que acreditemos que é Deus que a criou e a mantém. A um dado momento da história, Deus interferiu e infundiu, já então nesse animal bem evoluído, a alma imortal.

6-O PECADO DE ADÃO E EVA NÃO FOI SEXUAL.

Eles eram marido e mulher. O pecado deles foi, mesmo, de desobediência e o desejo de se igualarem a Deus. Jesus nos salvou fazendo o contrário disso: ele, mesmo sendo Deus, humilhou-se fazendo-se homem, e morrendo numa morte horrível, morte de cruz, e obedeceu plenamente ao Pai (Filipenses 2,6-11).

7-O DEMÔNIO EXISTE! O PECADO.

O pecado de Adão e Eva prejudicou toda a humanidade. Somos purificados dele, assim como de todos os demais pecados, pelo Batismo.

Há dois tipos de pecado: o mortal (grave) e o venial (leve). Para um pecado ser mortal, é preciso que tenha três quesitos:

1- Seja matéria grave;

2- Tenha sido feito com pleno conhecimento disso.

3- Tenha sido feito com pleno consentimento.

Por exemplo, matar uma mosca não é pecado grave (nem pecado leve), porque não é matéria grave e você sabe disso, embora tenha matado a coitadinha com pleno consentimento.

Já os demônios são anjos, chefiados por Lúcifer (significa: o portador da luz!), que também desobedeceram a Deus e não o aceitaram. Jesus disse:”Eu via Satanás cair do céu como um relâmpago!” em Lucas10,18. Dê uma olhadinha também em Apocalipse 12,7-9 (conta a história da expulsão do demônio do céu, por S. Miguel Arcanjo).

Como eu disse acima, Jesus venceu o demônio fazendo o caminho inverso deste e de Adão e Eva, ou seja, obedecendo ao Pai até à morte, e morte de Cruz (Filipenses 2,6-11).

Depois do Batismo somos perdoados dos nossos pecados pedindo perdão a Deus pelo sacramento da confissão, no caso dos pecados graves, ou por meio dos sofrimentos, penitências, orações e boas obras deste mundo, oferecidos com amor e arrependimento a Deus.

Sem a purificação não podemos entrar no céu, pois lá nada de impuro entrará, como diz Apocalipse 21,27. Cada um é responsável pelos seus atos!

Podemos vencer o demônio e o pecado com a vigilância e a oração, a penitência e os sofrimentos do dia a dia quando os oferecemos a Deus, e sobretudo nos esforçando para não pecarmos mais.

O demônio não pode nos obrigar a pecar. O poder de Deus é maior do que o poder do mal, e se confiarmos plenamente em Deus, ele nos ajudará a vencermos qualquer tipo de mal.

Veja Marcos 3,23-30.

Quando tiver um tempinho extra, leia: 1Jo 1,9; MT 16,18-19; Tiago 5,15; Gênesis 2e3; Lucas 10,18; Apocalipse 12,7-9; 1Coríntios 15,21-22; Filipenses 1,6-8; Provérbios 23,26; 1Pedro 5,8-9; Mc 1,12-13; Mt 4,1-11; Mt 12,31; Rom 3,23-24 (todos pecaram!), João 20,21-23; Mt 26,41 e Apocalipse 16,15 (Vigiar para não pecar).

8- A  BÍBLIA


A bíblia foi escrita no decorrer dos séculos, desde o tempo do rei Salomão, aproximadamente no ano 1000 antes de Cristo, a partir de narrativas e tradições orais contadas de pai para filho. 

A Bíblia não foi ditada por Deus, como muitos pensam, mas inspirada por Ele a pessoas muito simples, que entendiam essa inspiração de acordo com a instrução ou com a pouca instrução que possuíam. Como os costumes de um lugar geralmente são diferentes do outro, há fatos iguais contados de maneiras diferentes pelos que escreviam. 

Isso nos leva a tomar muito cuidado ao lermos ou procurarmos interpretar os textos bíblicos. Na Igreja Católica é costume já muito antigo confiarmos essas interpretações e esclarecimentos a especialistas aprovados pelas autoridades eclesiásticas. Eles dedicam suas vidas nesse trabalho e merecem toda a nossa confiança. 

Como uma obra inspirada por Deus mas escrita por homens limitados que usavam aquilo que sabiam, a bíblia não pode ser lida ao pé da letra. Há muitas informações contraditórias. Ao lermos um trecho precisamos, pois, saber o que aquilo queria dizer para as pessoas da época e só então aplicá-lo ao nosso tempo. 

Dou alguns exemplos: O capítulo 1 do Gênesis diz que Adão e Eva foram criados juntos, ao passo que o capítulo 2, diz que Eva foi criada depois de Adão, de uma costela dele. 

O cap. 1 fala que o homem e a mulher foram criados após todo o restante da criação; O cap. 2 fala que foram criados em primeiro lugar. 

O cap. 3 fala que os primeiros filhos de Adão e Eva foram Caim e Abel, mas o cap. 5 diz que foi Set, e nem sequer mencionam Caim e Abel que, na verdade, não foram filhos de Adão e Eva, mas nasceram muito tempo depois, na era do bronze, quando já havia muita gente na terra. Isso inclusive é mostrado no finalzinho da Bíblia de Jerusalém. 

Em Lucas cap. 6 Jesus teria dito:” Bem aventurados os pobres”. Em Mateus, cap. 5, ele teria dito: “Bem aventurados os pobres em espírito”. Afinal, Jesus falou pobres ou pobres em espírito? Em Mateus, o sermão foi dito numa montanha; Em Lucas, numa planície. Qual dos dois tem razão? 

É por isso que precisamos tomar muito cuidado com as interpretações. Esse, aliás, é também o motivo pelo qual muitos fundaram outras religiões. Geralmente nascem de uma discordância a respeito dos textos evangélicos. 

Por esse motivo os cristãos que não são católicos seguem a bíblia definida pelos judeus no ano 100 de nossa era, que não tem os livros escritos em grego depois de Esdras (400 a.C) acrescentado o Novo Testamento. Esses livros que foram tirados da bíblia por eles são:1º e 2º Macabeus, Eclesiástico (não confundir com o Eclesiastes, que tem nos dois), Sabedoria, Baruc, Tobias, Judite e complementos gregos de Ester e Daniel, restando 66 livros. Permaneceram 73 na bíblia católica: 46 no AT e 27 no NT (Eles têm apenas 39 no AT). 

Acostume-se a ler os ótimos comentários encontrados em nossa bíblia, tanto antes das leituras como no rodapé delas. Esses comentários são feitos por pessoas realmente capacitadas, que dedicam suas vidas nesse estudo, como já dissemos. 

Quanto às diferenças que mostramos acima, não devem deixar você preocupado (a). O núcleo da narrativa é verdadeiro, baseada num fato real, mas contada de formas diferentes, dependendo muito da região onde era contada e que tipo de pessoas a contaram. 

Dou um exemplo: um médico, um engenheiro, um psicólogo e um mecânico vão ver cada um a seu modo um mesmo acidente ocorrido no caminho por onde passavam. Ao chegarem às suas casas e contarem o fato às respectivas esposas, cada um contará a seu modo, notando coisas próprias de sua profissão. Só mesmo unindo as quatro narrativas é que chegaremos perto do que realmente aconteceu no dito acidente. É isso que ocorreu com a Bíblia.

Várias pessoas, mesmo inspiradas por Deus, viram os acontecimentos cada um a seu modo. Cabe aos estudiosos e especialistas, também eles inspirados por Deus, definirem quais as partes principais de cada fato e narrativa. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

DIGITE AQUI O SEU COMENTÁRIO