quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

EV. JOÃO CAPÍTULO 06



CAPÍTULO 06 - A EUCARISTIA.

Neste capítulo está, para João, praticamente, a Instituição da Eucaristia por Jesus. Tanto assim que ele não narra as palavras da "consagração" na Santa Ceia, mas coloca o lava-pés, como que dizendo a todos os que desejam comungar Jesus, que sejam misericordiosos e serviçais, que acolham os irmãos necessitados.

A Igreja Católica acredita que o padre, ao repetir as palavras de Jesus na Santa Ceia, é o próprio Jesus, consagrando o pão e o vinho como seu Corpo e Sangue. Ao recebermos as espécies de pão e vinho consagrados na Santa Missa, estamos, na verdade, recebendo Jesus em seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade.

Há vários milagres da Eucaristia, ao longo da história, que confirmam isso. O milagre de Lanciano, por exemplo (veja clicando neste link).

O Pe. arqueólogo Teilhard de Chardin diz que, ao se transformar no Corpo e no Sangue de Cristo, na transubstanciação da Missa, a Hóstia, que então é o próprio Jesus, faz convergir a si tudo o que estiver ao redor, e é também como uma fornalha, que esquenta tudo o que estiver na proximidade.

Santo Agostinho estava rezando, após a comunhão, quando Jesus lhe falou: "Quando você me recebe, não sou eu que me torno seu corpo, mas é você que se transforma em mim".

Para receber com proveito a Eucaristia é preciso que nos mantenhamos puros de coração, ou seja, unidos a Deus por uma vida sem pecados e de apostolado, e pedir sempre perdão dos pecados que por fraqueza cometemos.

v. 3
"Jesus subiu ao monte": essa expressão sempre remonta a Moisés, que na montanha recebeu a lei e depois a transmitiu ao povo de Deus. O que Jesus vai falar e fazer é, pois, algo muito importante, que ele nos deixou não só como homem, mas como Deus e homem verdadeiro.

v. 4
Veja a ligação do que vai ser relatado com a festa da Páscoa.

v.10
O número, na Bíblia, é sempre simbólico. Pode ser que não houvesse tantas pessoas , pois se se contasse as crianças e as mulheres, o número praticamente triplicaria.

v. 11
Gestos semelhantes aos da Santa Ceia.

v. 12-13
Nunca devemos desperdiçar o alimento dado por Deus mas aqui também é um número simbólico: 12 tribos de Israel, 12 apóstolos, 12 cestos. Ademais, se estavam num lugar deserto, onde conseguiram os cestos?

v. 15-
As pessoas achavam que Jesus seria o Messias prometido, mas sua atuação seria, na opinião deles, referente à parte material: alimentação, casa, bem-estar, como um rei muito bondoso. Estavam ainda longe de conhecer a salvação de Jesus como algo mais global e para toda a eternidade.

v.19-20 -
O mar é símbolo do mal, para o povo antigo. Dominando o mar, Jesus mostra que é Deus, que domina soberanamente e totalmente não só a natureza, mas também toda a criação e o mal. Jesus é Deus! Veja o que ele disse: "Sou eu"! - que poderia ser entendido como "Eu Sou", como Deus disse a Moisés quando este lhe perguntou o nome.

v.25
A curiosidade do povo refere-se, principalmente, ao modo como Jesus chegara ali, pois não o haviam visto em parte alguma; também por interesse de obter mais alimento.

v.26-
Jesus repreende as pessoas por procurá-lo por interesse material. O que não diria atualmente, dessas pessoas todas que vivem procurando milagres em toda parte?

v. 27 -
 Jesus pede que trabalhemos sempre tendo em vista que não viveremos para sempre aqui, mas numa outra dimensão, na vida Eterna, em que muitas coisas que aqui fazemos não vai ter utilidade alguma. Até pelo contrário, muitas coisas nos vão levar ao inferno, e não ao paraíso. Não podemos perder tempo com coisas supérfluas e às vezes até perniciosa.

v. 28-29 -
Eles perguntaram a Jesus o que poderiam fazer para executarem as obras de Deus. Jesus respondeu que bastava que cressem nele e nas suas palavras.

v.30-31 -
Pedem um sinal, como se não bastasse a multiplicação de pães e peixes que Jesus havia feito, e lembram o maná.

v. 32-35 -
 Jesus lembra que não é o maná o pão do céu, mas Ele sim, é o verdadeiro pão do céu. Ele é o alimento que desceu do céu, e que pode nos dar a vida eterna, se o recebermos.

v.42-
Os judeus não conseguiam ver Jesus como Deus. Apenas o viam como o pobre filho de José.

v.48 e seguintes:
Jesus se mostra como o Pão da Vida. Ele se dará em alimento. Pão verdadeiro, material, visível, que alimenta o corpo e a alma, que mantém a vida terrena e nos dá a vida eterna, a Eucaristia.

V.66-
Muitos discípulos abandonaram Jesus depois que ele disse que precisavam alimentar-se dele. Não haviam entendido o alcance dessas palavras. Pensavam de modo muito materialista.

v.67 -
Jesus convidou os apóstolos a irem embora, também, se quisessem, mas ele não iria mudar o seu discurso. Ele é, verdadeiramente, comida; o se sangue é, verdadeiramente, uma bebida.

v.68-
Simão Pedro, como o primeiro papa e o chefe da Igreja, fez a sua profissão de fé.

v. 70-71 -
Como na Santa Ceia, aparece aqui a traição de Judas. João, na verdade, coloca neste capítulo 6 a Instituição da Eucaristia, mais do que na Santa Ceia, como os outros três evangelistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DIGITE AQUI O SEU COMENTÁRIO