sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

LUCAS CAPÍTULO 11



Lucas 11,1-4 - O  PAI NOSSO

O discípulo é o que reza com Jesus e como Jesus. O texto de Lucas contém cinco petições, ao passo que o de Mateus contém sete. O motivo é porque o número sete é de predileção de Mateus. Ele acrescentou a terceira (Mt 7,21; cap. 21,31; cap. 26,42) e a sétima (cf o "Maligno" em Mt 13,19.38) para satisfazer essa sua predileção pelo número sete.

Vejam: Mateus tem duas vezes sete gerações na genealogia (Mt 1,17); sete bem aventuranças (Mt 5,3); sete parábolas (Mt 13,3); dever de perdoar não sete, mas setenta vezes sete (Mt 18,22); sete maldições dos fariseus (Mt 23,13). (BJ).

v.4a - Observe que Lucas não coloca nossas "dívidas", como Mateus, mas "nossos pecados", embora conserve o aspecto jurídico de Mateus no "nossos devedores" (BJ).

v.4b-  "Não nos deixes cair na tentação" - Deus nos submete à prova, mas não tenta ninguém. Veja Tiago 1,12; 1Cor 10,13.

Nós pedimos a Deus que nos livre do Tentador e para não entrar em tentação (veja Mateus 26,41), que é a apostasia (abandonar a Deus e ao "caminho").

Lucas 11,5-13- O AMIGO IMPORTUNO - A ORAÇÃO.

"Ensina a perseverança, que é o princípio fundamental de toda a doutrina evangélica sobre a oração. Jesus insiste nisso continuamente, conhecendo nossa inconstância. É preciso orar continuamente, sem desanimar (Lc 18,1). Orar é insistir com perseverança". (MC)

O Espírito Santo é o dom que devemos buscar e pedir até à importunação, mais do que qualquer outra coisa. (MC). Muitas vezes Deus não atende nossas orações, pelo menos de imediato, mas assim mesmo confiemos que Ele nos ouviu e não vai nos "deixar na mão". Se ele não atendeu aquele determinado pedido, é porque talvez aquilo não nos vai levar ao céu (TA).

Lucas 11,14-26 - JESUS E BELZEBU

Jesus é aquele que faz triunfar na terra o Reino de Deus (vv15-20). Jesus é mais forte que o demônio (vv21-22). Os outros versículos mostram que as pessoas são colocadas diante de uma opção definitiva (MC).

Nós, batizados, fomos arrancados por Cristo do domínio de Satã e estamos com Cristo, e todos os que consagram sua vida ao serviço, mesmo que não tenham recebido o batismo de água, e abandonam as tentações diabólicas de poder, imoralidade e inércia espiritual, os que põem em prática a palavra do Espírito Santo: "Estou pronto". Jesus não apagará qualquer centelha, qualquer brasa que haja sob as cinzas.

vv 24-26 - Entendo que esse trecho pode ser aplicado principalmente quando não aceitamos nossos pecados e nossas más tendências e, em vez de pedir perdão e enfrentá-las, "recalcamos" tudo. O recalque nos torna piores a cada dia" (TA).

Lucas 11,27-28- A VERDADEIRA BEM-AVENTURANÇA.

Jesus confirma e estende a bem-aventurança além dos vínculos do sangue, e nela inclui todos os que, como sua mãe, sabem aceitar a palavra e guardá-las (MC). 

Lucas 11,29-32 - JONAS

O sinal de Jonas não é tanto o que fala Lucas (a pregação), mas o que fala Mateus 12,40: Jonas ficou no ventre da baleia três dias e três noites, como Jesus ficará no "ventre" da terra por três dias e três noites, antes da ressurreição. Esses três dias e três noites se aplica apenas aproximadamente ao intervalo entre a morte e a ressurreição de Cristo (BJ).

Lucas 11,33-36- A LÂMPADA

A mensagem que Jesus dirige a todos pode ser compreendida por todos. Basta, para isso, possuir inteligência sadia, ou seja, estar livre de preconceitos egoístas. Veja João 3,19-21 (BJ).

Lucas 11,37-54 - CONTRA OS FARISEUS E LEGISTAS

Jesus estabelece a distinção entre o interno e o externo, o de dentro e o de fora (vv39-40). Aquilo que conta não é o que se faz, mas a intenção com que se faz. Entretanto, temendo más interpretações (alguém poderia pensar que bastariam as boas intenções), Jesus logo apresenta uma intenção traduzida na ação, ou seja, dar esmolas (v.41). (MC).

vv.42-46 - Lucas reúne em dois grupos de três as "maldições" de Cristo contra os fariseus e escribas, ao passo que Mateus tem sete (BJ).

01- discutem sem fim preceitos ínfimos, mas esquecem os mandamentos essenciais.

02- Contra as autoridades religiosas que preferem as honras ao serviço.

03- Essas pessoas são tão acostumadas aos vícios, que a simples aproximação delas faz contrair a mesma impureza que se contrai quando se entra em contato com um túmulo (v.44).

Invetiva aos doutores e escribas

01- Agravam a lei de tal forma que tornam intolerável a vida religiosa, ao passo que o fardo de Cristo é suave e fácil de levar (v.46 cf. Mateus 11,28-30). 
02- A perseguição a que os escribas moveram contra os profetas (vv 47-51).
03- Contra o autoritarismo intelectual dos doutores da lei, que não entram (eles próprios) na verdadeira compreensão da lei e não trazem nenhuma luz aos outros (MC).

Em suma: "Gritar (mais do que apenas proclamar) o Evangelho não apenas com as palavras, mas com a própria vida" (Ch. de Foucauld. É preciso harmonizar a plena fidelidade a Deus e aos homens, tanto na pregação como no testemunho de palavra e vida, para favorecer os encontros com Deus (MC).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DIGITE AQUI O SEU COMENTÁRIO