sábado, 21 de julho de 2012

MATEUS CAPÍTULO 28 (ÚLTIMO)



Mateus 28, 1-8 – O relato da Ressurreição de Jesus é muito problemático e tem muitas explicações diferentes. Mateus, Marcos e Lucas mostram a Ascensão no mesmo dia da Ressurreição, assim como João, mas que ainda mostra uma 2ª e 3ª aparição de Jesus, uma a Tomé, 8 dias depois, e uma aos apóstolos na praia (cap. 21 e 21). O mesmo São Lucas, nos Atos, diz que a Ascensão deu -se 40 dias depois da Ressurreição (Atos 1,3). Há certos grupos que acreditam na Ressurreição, mas dizem que Jesus não teria aparecido de modo real e visível aos apóstolos, mas estes apenas “vivenciaram” o Ressuscitado. O terremoto,o relâmpago etc, é o modo comum como eles acostumavam mostrar o que não podiam explicar, de grandes acontecimentos.

Vamos ficar com a doutrina oficial da Igreja Católica, que na liturgia divide, didaticamente, a Ressurreição, a Ascensão (40 dias depois) e o Pentecostes (50 dias depois). É mais seguro e nos traz maior satisfação.

Há outros problemas no relato da ressurreição, mas fiquemos com esta idéia: Jesus venceu a morte e ressuscitou triunfante, prometendo ressuscitar a todos nós no dia final, se ouvirmos e praticarmos os seus ensinamentos.

Mateus 28,9-10:- Essa ordem do Senhor é dirigida não só às mulheres, mas a todos nós: anunciar a sua ressurreição, colocar nos corações desanimados uma nova esperança de vida eterna e verdadeira.

Mateus 28,11-15:- Os que se apegam aos bens e aos prazeres deste mundo, não se importam nem um pouco em mentir e prejudicar os outros, para ganharem dinheiro. É o que aconteceu aqui com os guardas, e acontece diariamente na vida do dia a dia. 

O amor ao dinheiro é a causa de tantas guerras, assassinatos, a vida tão triste e difícil dos pobres, a insegurança dos moradores de rua etc. Sem o dinheiro não há drogas, nem carrões de luxo, nem piscinas térmicas, nem mansões, nem intermináveis viagens ao exterior, nem status. As pessoas se esquecem de que estão apenas de passagem por este mundo.

Mateus 28,16-20: Mateus coloca o início da pregação dos apóstolos na Galiléia, porque foi aí que Jesus havia começado sua vida pública. Essa região era composta de judeus que haviam se misturado com os pagãos e, por isso, muito desprezada pelos judeus “puros”, sem mistura racial.

Quanto ao versículo 17: “Alguns, porém, duvidaram”. Como é possível, depois de tudo o que aconteceu? Pois é possível, sim. Ter fé é próprio de quem não tem certeza. Quando temos certeza de alguma coisa, não precisamos ter fé, não é mesmo?

No vers. 19, Jesus mandou batizar, a fim de que todos possam participar da vida eterna, junto à Trindade: o Pai, o Filho (=Jesus Cristo) e o Espírito Santo. Não só batizar, mas ensinar a observar tudo o que Ele nos ensinou e ordenou. Aliás, a única “ordem” que Jesus nos deu, realmente, foi: “Eu vos dou um novo mandamento(vejam que não é um conselho: é um mandamento, uma ordem!) que vos ameis uns aos outros. Como eu vos amei, amai-vos uns aos outros”. (Jo 13,34).

E termina dizendo que estará conosco até o fim dos tempos. Jesus, ao ir para o Pai, ficou também conosco, está ao nosso lado, de modo invisível, pois agora Ele tem todo o poder e ouve nossas súplicas. Ele está conosco também em forma de alimento,na Eucaristia. Qualquer pessoa pode encontrar Jesus, em qualquer lugar e em qualquer situação. É só querer! Ele mesmo nos dará forças para o obedecermos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DIGITE AQUI O SEU COMENTÁRIO