sábado, 19 de maio de 2012

OS “REDENTORES” DAS PARÓQUIAS




Já tivemos a oportunidade de conversar sobre esse tipo de pessoas nos capítulos 3 e 4 . Vamos aprofundar um pouco mais esse assunto:

Os “redentores”, como chamo aqui ironicamente, são aqueles que, a despeito de Jesus, do Papa, do Bispo, do Pároco, querem salvar os outros paroquianos a qualquer custo, mesmo que tenham de pisar em todos eles.

Quando há algo errado na paróquia ou na comunidade, lá vai o “redentor” tomar as dores deste ou daquele e vai tomar satisfações com a outra parte acusada. São essas pessoas que querem resolver todos os problemas da paróquia sem o padre, que e o representante do bispo ali, e tem uma visão mais completa da comunidade, e por esses dois motivos, resolveria melhor o problema, informando-se ou consultando sobre o assunto.

Os “redentores” acabam sendo o segundo pároco da paróquia, e sem provisão, autoridade e carisma para isso. Acabam sendo antipatizados por todos, e atravancam o caminhar de todos. O motivo principal é o fato de que o pároco quase nunca fica sabendo das falhas que o “redentor” procura encobrir, para não “perturbar” o padre. Na verdade, não é para não perturbar o padre que cobrem as falhas, mas sim, para poderem eles mesmos resolverem o tal ou qual problema.

COMO DEIXAR ESSA MANIA

1- Quando surgir um problema, colocá-lo no Conselho Paroquial. Até lá, não tomar providência alguma, se não for de nossa alçada.

2- Se a coisa for urgente, conversar em particular com o padre, mas ser o mais imparcial possível.

3- Lembrar-se de que não temos responsabilidade sobre o tal problema e que não temos autoridade para resolvê-lo, e muito menos a visão global necessária para isso.

4- Se a encarregada de abrir as janelas no horário de terminada missa, por exemplo, não fez isso, ofereça-se ao padre ou ao responsável por esse tipo de problemas para abri-las. Não as abra sem pedir permissão. Depois comente o assunto no conselho paroquial ou comunitário, se for o caso.

5- Precisamos aprender a confiar mais em Deus . Ele vê udo e tem a todos nós sob a sua proteção. Não interfiramos na vida dos outros, se não formos convidados para isso. Deus age assim! Como Ele exigiria de nós outra coisa? Ele nos dá inspirações de ação, mas não entra em nossa vida sem nosso conhecimento. Faça a mesma coisa, ou seja, só interfira na vida dos outros QUANDO FOR SOLICITADO, ou com o seu testemunho de vida.

Pode acontecer também que as pessoas peçam muitas coisas para fazermos por não estarem muito “a fim” de fazê-las e estão aproveitando de nossa boa vontade. A comunidade só será eclesial, ou seja, de Igreja, se caminhar em conjunto, e não com apenas 01 ou 02 pessoas trabalhando e o resto fazendo nada.  

CONCLUSÃO DA SECÇÃO DOS VÍCIOS

1- Deus é Pai. Ele nos ama, tem-nos, todos em seu coração e sabe o que é bom para nós. Ele não nos desampara e sempre nos conduz, se o deixarmos.

2- Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como Deus nos ama.

3- Uma paróquia ou uma comunidade é uma obra de santificação. Assim, é feita por pessoas de boa vontade, mas pecadoras. É preciso muito amor, paciência e caridade cristã para que o amor de Deus surta efeito sobre ela.

4- A paróquia é conduzida pelo pároco, que é auxiliado pelo Conselho Paroquial Esse é o lugar para resolver as dúvidas e os problemas. O local certo não é nas fofocas da padaria, da feira, da cabeleleira, do barbeiro, dos bares, das esquinas. O pároco é o representante do bispo e de Jesus Cristo. Quando age de acordo com a Igreja, é o porta-voz de Deus para nós.

5- Agir contra o padre ou contra o bispo, quando falam em nome da Igreja e de Deus, não agrada a Jesus Cristo. Se estiver havendo algum problema grave, o diálogo é a melhor solução. Pode ser que, nessa “briga”, o padre ou o bispo é que estão com a razão, e só o tempo vai mostrar isso. Como ficaremos, então, se isso ocorrer? Se o padre ou o bispo não estiverem com razão, mas nós não conseguirmos captar a vontade de Deus para determinado caso, seguir as orientações dos superiores nos livra de qualquer culpa.

6- Deus é um Pai misericordioso. Sejamos misericordiosos também! Perdoemos as pessoas, que Deus também nos perdoará Diz Mt 6,14-15:

Se perdoardes aos homens os seus delitos, também o vosso Pai celeste os perdoará. Mas se não perdoardes aos homens, o vosso Pai também não perdoará os vossos delitos”

É bobeira nossa ficarmos remoendo maus pensamentos em nosso coração contra esta ou aquela pessoa na comunidade. A coisa se resolve por si só, se usarmos misericórdia e caridade. Tenhamos, pois, confiança em Deus!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DIGITE AQUI O SEU COMENTÁRIO