quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

HIGIENE E SAÚDE


O(a) catequista dever levar em consideração que a criança ou o adolescente ainda não tem muita estrutura para discutir os problemas sérios decorrentes da má administração dos organismos que atendem a saúde pública. Por exemplo, essas verbas que nunca bastam, quando metade dela não fica pelo caminho. Também o fato do mau atendimento por parte de pessoas estressadas que têm que atender muito mais pessoas do que seria viável nos postos e hospitais.

Eu proponho que você oriente os catequizandos a cuidarem da própria saúde e colaborarem para a saúde pública do modo que puderem, principalmente conservando-se numa vida de higiene, de limpeza, na alimentação, de um cuidado especial em tudo o que faz.

Em seguida a estas orientações, você poderia mostrar, sim, todos os problemas do mau atendimento da saúde para o nosso povo simples, na maioria dos lugares. Para isso, dê uma lida no texto base da Campanha da Fraternidade, cujo endereço está logo abaixo, nesta mesma coluna. 

Diga com palavras simples, às crianças, que não está certo o modo tão injusto como nosso povo é tratado. A saúde é um dever do Estado (do governo) e um DIREITO do cidadão. 

Mesmo levando em consideração os grandes roubos e da má administração das verbas destinadas à saúde, temos, mesmo assim, pouco interesse no atendimento das pessoas, sobretudo das mais necessitadas. 

Muitas pessoas continuam morrendo simplesmente por falta de atendimento. Veja o nosso ex-presidente, tão paparicado e tão bem atendido. Se fosse um pobre, acho que já teria morrido por falta de atendimento. 

Acho que tanto as crianças, como principalmente os adolescentes, devem conhecer esse problema: Não é uma esmola que o governo dá quando atende gratuitamente, mas é um repasse de verbas arrecadadas pelos tremendos e pesados impostos que todos pagamos, mesmo ao comprar uma só bala. Todos, sem distinção, ricos e pobres, pagamos os impostos embutidos em tudo o que compramos. Diga isso às crianças! Nós temos o DIREITO de sermos atendidos gratuitamente e bem atendidos. Não estamos recebendo, com isso, uma esmola ou um favor. É UMA OBRIGAÇÃO DO GOVERNO. Leia mais sobre isso no texto base da campanha. Clique no site deles, nesta coluna, mais abaixo, e faça o "download". São quase 200 páginas, mas é bem rápido para baixar. 

Agora veja, aqui, uma relação de tudo o que podemos fazer no dia a dia para melhorar nossas condições de vida e de saúde,enquanto não somos bem atendidos. Isso que vou dizer é fácil de se observar, e muitas doenças provêm do fato de que não observamos esses cuidados mínimos:

1- A escovação correta dos dentes

2- O lavar as mãos após pegar qualquer coisa e depois do banheiro

3- Não andar descalço, mas quando fizer isso, lavar os pés logo que chegar em casa. Explicar que existe muitos organismos vivos nocivos à saúde que nós não vemos, mas estão lá.

4- Mastigar bem antes da alimentação.

5- Atender o que os pais dizem quanto a uma alimentação mais sadia. Nem tudo o que é gostoso é bom para o crescimento e para a saúde em geral, principalmente quando se é criança ou adolescente. As verduras, legumes e frutas não devem ser dispensados nunca. Se preciso for, pode-se aprender a fazer uma horta no fundo de casa. Isso até os mais pobres poderiam fazer.

6- Nunca jogar lixo na rua ou em qualquer lugar que não seja a lixeira. Preservar os rios, as fontes, os lugares em que existe mata etc.

7- Não deixar água parada em nenhum lugar, para que não prolifere o mosquito da dengue.

8- Não exagerar na alimentação. Comer demais nunca fez bem à saúde. Os santos que comiam pouco para fazerem penitência, são os que morreram mais idosos. Tomar muito cuidado com refrigerantes e alimentos gordurosos, como esses de saquinho (e das lanchonetes famosas), que a longo prazo, acabam com nossa saúde. Maneirar os doces. Muito doce estraga os dentes e pode provocar outras doenças.

9- Lembrá-los de que muitas doenças que aparecem na fase adulta provêm de maus hábitos na infância e adolescência.

10- O sol faz bem só de manhã e a tardezinha. Fora desse horário, faz mal à saúde.

11- Há pessoas que quase não bebem água. A água é muito necessária para nossa vida. Não substituí-la por refrigerantes, que podem ser bebidos, sim, mas só de vez em quando.

12- O exercício físico faz parte de nossa vida. Quem não tem tempo ou não gosta muito de fazer ginástica, invente algo que goste, como natação ou caminhadas. A boa saúde se baseia, entre outras coisas, nesse costume regular de se caminhar ou de se fazer algum exercício físico. Mas tome cuidado para não exagerar nisso também. Há pessoas que se viciam na malhação, que, feita de modo exagerado, só prejudica.

13- Fumar, usar drogas, nem pensar !

Prezado (a) catequista, em palavras simples, isso pode ajudar a mudar os hábitos de nossas crianças e adolescentes, para termos uma geração adulta cheia de saúde. Leia o texto-base da campanha, que estou pensando em publicar no blog “eremitas”, e dali você pode tirar outras idéias boas para a criançada. Escrevi isto para atender ao pedido de um nosso catequista, o Maycon, que, mesmo numa cadeira de rodas, é um dos melhores catequistas de sua paróquia. Infelizmente o meu tempo é curtíssimo! Só disponho de meia-hora por dia para digitar o que quer que seja. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário