sábado, 21 de julho de 2012

MARCOS CAPÍTULO 05




Além do que já falei sobre a possessão diabólica, lembramos que neste trecho Jesus mostra que a Boa Nova (=evangelho) é anunciada também aos pagãos. Os “novos pagãos” são os “cristãos” que vivem do consumismo e de uma vida sem compromisso algum com Deus, com a Igreja, com a comunidade e com os irmãos.

Nos versículos 18 a 20, vemos que Jesus não tinha dado ao endemoniado curado uma vocação de deixar tudo para segui-lo, como ao jovem rico, nem de dispor uma parte de seus bens (se bem que parece que ele não tinha coisa alguma), como a Zaqueu. A vocação que Deus lhe deu foi a de todos os leigos, ou seja, a de pregar o Evangelho com as palavras, com as obras, e com o bom exemplo no próprio lugar onde reside. E Jesus deu a esse jovem uma vocação, uma ordem, que não deu a mais ninguém: “Vai para a tua casa e para os teus e anuncia-lhes tudo o que fez por ti o Senhor na sua misericórdia” (v. 19). Se vocês bem lembram, Jesus sempre dizia exatamente o contrário às pessoas que curava: “não digam nada a ninguém”..

Por último, enche-nos de tristeza ver que naquela região o interesse econômico superava o interesse pelo próximo. Estou falando isso pelo fato de que as pessoas “Começaram então a rogar-lhe que se afastasse do seu território” (v. 17). Se a cada cura que Jesus fizesse ou a cada demônio que Jesus expulsasse eles fossem perder tantos porcos, o prejuízo seria grande. Muitas vezes precisamos deixar de lado o lucro em benefício do próximo. É o que fez aquele mau administrador, que renunciou aos seus lucros para que os beneficiados lhe dessem abrigo quando fosse despedido do trabalho!

Marcos 5,21-43\; CURA DA HEMORROÍSSA E RESSURREIÇÃO DA FILHA DE JAIRO

A hemorragia da mulher a tornava oficialmente impura para participar das cerimônias no templo e para tocar nas pessoas. Quem tocasse nela ficaria também impuro e teria de passar por complicadas cerimônias para poder voltar a participar da comunidade. A mulher resolveu, então, agir em segredo, para não prejudicar Jesus. Ela já tinha gasto todo o seu dinheiro com os médicos, e nenhuma melhora notara. Jesus era sua única esperança, mas não podia tocá-lo, para não deixá-lo impuro. Tocando apenas na sua veste, achava que ia ficar curada sem deixá-lo impuro. E ficou curada!

A mulher foi percebida por Jesus porque tocara nele com fé. Os demais, por aperto ou por causa dos empurrões. Vejo muitas vezes algumas pessoas passando a mão no sacrário, em vez de rezarem nos bancos, como é o correto, e fico pensando: esse ato é um ato de fé ou de falta de fé?

Muitos estudiosos dizem que o número 12, que aparece 2 vezes no texto (os 12 anos de doença da mulher e os 12 anos da filha de Jairo é o símbolo de Israel. Isso significa que Israel está “doente” por causa do pecado e Jesus é o único que pode salvá-lo. Talvez isso seja forçar um pouco o texto. Enfim...

Apesar de toda a aparência de morte e de caso perdido, sempre devemos confiar em Jesus e na energia vital que Ele nos transmite. Jesus é a ressurreição e a vida, em todos os sentidos: no sentido real (a ressurreição final) e no sentido atual (a ressurreição da morte trazida por nossos pecados). É interessante notar que a primeira coisa que Jesus mandou que fizessem depois de ressuscitar a menina, não foi que rezassem agradecendo a Deus, mas que dessem comida a ela. Morrer deve dar uma fome danada! Jesus sempre se preocupa com todos: com a multidão que estava faminta, com João, Tiago e Pedro que estavam no Horto das Oliveiras (“agora vocês podem ir dormir), e assim por diante.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DIGITE AQUI O SEU COMENTÁRIO