sábado, 21 de julho de 2012

MARCOS:- CAPÍTULO 04




Marcos 4,1-20: PARÁBOLA DO SEMEADOR

Na Palestina havia o costume de se jogar a semente primeiro e só depois arar. Desse modo, todas as sementes ficariam, no final, em terra boa, mesmo as que fossem jogadas à beira do caminho, em solo pedregoso, entre os espinhos. Quando o arado passava, acabava com os caminhos, com o solo pedregoso, com os espinhos, e transformava tudo em terra boa. Quase todas as sementes brotavam e cresciam. Quando o evangelho passou a ser pregado em outras regiões, que usavam o nosso costume de arar primeiro, a parábola precisou ser adaptada e ficou de modo como a conhecemos hoje, ou seja, de parábola passou a ser alegoria (veja a diferença entre parábola e alegoria no cantinho bíblico). Quanto à explicação, ela já está bem clara no próprio texto.

Quanto ao trecho dos versículos 10 a 12, a explicação mais provável é eque devemos ter boa disposição, boa vontade, espírito aberto, para entendermos as palavras de Jesus. Quem o ouve com má vontade ou com pouco caso, ou ainda com má intensão, como era o caso dos fariseus e autoridades da época, não vai levar a palavra em consideração e não vai “entendê-la'. Ou seja, mesmo que a entendesse, a desprezaria. (Comentário do missal cotidiano, 4ª feira da 4ª semana comum).

Marcos 4, 21-25:-COMO RECEBER E TRANSMITIR O ENSINAMENTO DE JESUS.

Uma pessoa que ouve e pratica a palavra de Jesus, não vai passar desapercebido, pois a luz de sua vida cristã vai ser notada pelas pessoas. Como ao olhar a luz da lua sabemos que é um reflexo da luz do sol, assim, ao olhar as boas obras de uma pessoa, sabemos que é um reflexo da luz de Cristo.

O último versículo, “Pois ao que tem, ser-lhe-á dado, e ao quem não tem, até o que tem lhe será tirado”, isso foi dito, primeiramente, aos fariseus: a quem acreditar em Jesus, uma vida nova lhe será dada em abundância. A quem não acreditar, até o pouco que têm lhe será tirado. É o caso dos judeus que não acreditaram em Jesus: até o fato de pertencerem ao povo de Deus lhes foi tirado. Só pertence ao novo povo de Deus os que são batizados ou com água, ou com o desejo, ou com o martírio (Veja a catequese 2012, batismo).

Hoje em dia, o versículo 25 deve ser entendido deste modo: quem ouvir com atenção a palavra de Deus e a pôr em prática, receberá “novas graças”; quem a ouvir com indiferença, má disposição, vai perder até o puco que tem, pois essa sua indiferença e má disposição, na verdade, é uma recus à graça de Deus. O pouco que temos se esgota logo! (Comentário do Missal, 5ª f. da 3ª semana comum)


Marcos 4, 26-29:- PARÁBOLA DA SEMENTE QUE GERMINA POR SI SÓ.

A semente é a Palavra de Deus que tem uma força secreta que modifica o coração de quem a ouve. Ela não depende do esforço ou da capacidade do pregador. Cabe a nós pregarmos a palavra (=plantar a semente). Antes de a pregarmos, nós a ouvimos. O fruto que essa palavra der na pessoa que ouviu depende da própria pessoa e de Deus (= a germinação da sem,ente) e não do pregador. Se estamos agora pregando a palavra, é porque nós a ouvimos, a aceitamos, e recebemos a graça de Deus, que realiza tudo em todos.

Marcos 4,30-32:- PARÁBOLA DO GRÃO DE MOSTARDA

O Reino de Deus é como um grão de mostarda: pequeno, singelo, quase não aparece. Entretanto, Deus o fará crescer de modo que nunca imaginaríamos. Mesmo criticado e perseguido por muitos, o Reino de Deus triunfará sobre todas as coisas. Nossa missão é plantar a semente, ou seja, plantar na terra o Reino de Deus, por meio de nossa luta, de nosso empenho, ampliado pela graça de Deus. Fazê-lo crescer é obra de Deus. Não é nossa.

Marcos 4, 33-34:- CONCLUSÃO SOBRE AS PARÁBOLAS

As parábolas de Jesus eram tiradas do cotidiano das pessoas, que todos entendiam. Veja mais sobre as parábolas no Cantinho Bíblico, deste blog.

Marcos 4,35-41: A TEMPESTADE ACALMADA

Deus permite que a Igreja, que a comunidade (o barco) sejam balançadas pelo mal, pelo demônio, pelas tentações (o mar e a tempestade), como se Ele não existisse (Jesus dormindo). No meio de todas as tentações, provações, tempestades espirituais, temos de acreditar que há um Deus sempre presente em nossa vida,que no momento certo vai mostrar o seu poder transformador. Ele nunca vai nos deixar sozinhos, por mais que pareça estar ausente. Esse trecho da tempestade não deve ser visto ao pé da letra, da maneira como está, mas como uma mensagem teológica da presença de Deus na vida da Igreja, comunidade cristã de amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DIGITE AQUI O SEU COMENTÁRIO