sábado, 11 de fevereiro de 2012

QUEM É DEUS?

A Santíssima Trindade como representada em imagens, não tem nada a ver com o que Deus realmente é.
   DEUS- A SANTÍSSIMA TRINDADE

  Deus é um Espírito Eterno, ou seja, nunca teve princípio nem terá fim. Ele é perfeitíssimo, Todo-poderoso, Todo misericordioso, Plenamente sábio, plenamente justo, plenamente humilde, plenamente bom, plenamente puro, enfim, tem todas as virtudes no máximo grau.


     Dessa forma, é impossível ser mais perfeito, mais poderoso, mais misericordioso, mais sábio, mais justo, mais humilde, melhor, mais puro, ter em maior grau qualquer outra virtude do que Deus.
     Deus está fora do tempo e do espaço: para Ele não existe tempo, e não ocupa lugar nenhum, pois tanto um como outro foram criados por Ele. Quando morremos, entramos na “dimensão” de Deus, ou seja, saímos fora do tempo e do espaço. É difícil, ou até diria impossível intendermos isso aí, mas é a mais pura verdade.

     Alguns salmos (89, 6-14; 90; 93,4; 104;108) falam sobre a magnitude de Deus. Se fossem escritos hoje, seriam mais ou menos assim:

     “Deus põe sua toalha para secar no pico do Everest, usa a floresta Amazônica como o capacho de seus pés, usa o vulcão Cracatoa para fritar o seu bife, guarda sua taça de sorvete na Antártida, usa a vértebra da maior baleia que existe para palitar os dentes, usa as cataratas do Iguaçu para lavar o seu rosto, joga xadrez com as estátuas da Ilha de Páscoa” etc. O salmo 108 fala exatamente sobre isso.

                    Vemos no documento de Puebla nº 582, e o de Aparecida nº 434, que “Deus não é solidão, mas uma família”. Essa família em que Deus vive é a Santíssima Trindade: o Pai, o Filho (Jesus Cristo) e o Espírito Santo. São três pessoas, mas um só Deus. É como se encostássemos três velas para obtermos uma só chama, ou um trevo, que é uma só planta, mas com três folhas iguais. As três pessoas de Deus são reais (realmente existem), são um só Deus, mas ao mesmo tempo são distintas (cada pessoa é uma).

DEUS, a origem primeira de tudo, é PAI e MÃE, como diz o Frei Carlos Mesters. Deus tem as virtudes, em perfeição, dos pais e das mães. Como ele é a origem primeira de tudo, Ele também é Mãe!

Seu Filho único, Jesus Cristo, tão eterno como Verbo quanto o Pai e o Espírito Santo, nasceu dentro do tempo terrestre de Maria sempre Virgem, e é cem porcento Deus e cem porcento homem. Após sua morte na cruz, que aceitou com amor, e a ressurreição, subiu ao céu e nos enviou seu Espírito Santo para nos fortalecer, nos santificar e nos iluminar.

O Espírito Santo desceu sobre os apóstolos reunidos no cenáculo com a Virgem Maria e vem também sobre todos os que são batizados. Ele vem também a quem Ele bem entender, não dependendo de nós, do Batismo ou de qualquer outra coisa. Deus é livre para agir como quiser. Qualquer pessoa de qualquer religião, ou mesmo sem religião alguma, pode receber o Espírito Santo.

O Espírito Santo é o Amor do Pai e do Filho, é o Amor de Deus por nós, e nos santifica, nos faz sábios para nos decidirmos por Cristo, e nos fortalece. Muitos sentem o Espírito Santo como uma espécie de luz, de força, de unção. Quero deixar bem claro que o Espírito Santo é uma Pessoa de Deus, tão Deus quanto o Pai e o Filho, uma Pessoa divina completa, a quem podemos nos dirigir, como nos dirigimos ás outras duas pessoas. Ele é chamado também de Paráclito, Advogado nosso, o Consolador. (veja a definição do dicionário: paráclito: grego parákletos, -os, -ou, chamado para ajudar, invocado, intercessor). Veja também o que está nos textos do curso para crisma, neste mesmo blog.

Para Deus, nada é impossível. Ele faz tudo o que quer (Sl 115; Marcos 10,27; Lucas 1,37). Se alguma coisa não agradasse a Deus, Ele não a teria criado! (Sabedoria 11,24).  Então, penso eu, este pernilongo que insiste em querer chupar o meu sangue, e que chupou tantas vezes o do próprio Jesus, naquelas noites que ele passava no Jardim das Oliveiras, ou pescando, esse pernilongo é do agrado de Deus; caso contrário , Deus não o teria criado.

Tudo o que ele quer provém de dua vontade justa e de sua sábia inteligência. Deus, em sua onipotência divina, de modo algum é arbitrário: Ele não “tira a sorte” ao nos permitir alguma coisa; Ele faz exatamente o que deve e precisa ser feito!

Diz Isaías 66,12-13: “ Assim fala o Senhor(...) sereis amamentados, carregados nos braços, acariciados nos joelhos. Como uma mãe consola um menino, assim eu vos consolarei”. Isaías 49,15: “Mesmo que alguma mãe esquecesse do filho que gerou, eu não te esquecerei”! Isaías 44,21c: “Eu nunca te esquecerei!”; Jeremias 31,3: “Eu te amei com um amor eterno, por isso conservei meu amor por ti”; v. 16 : “Deus amou tanto o mundo...”; Provérbios 23,26: “Dá-me, filho, teu coração, e faze que teus olhos gostem de meus caminhos!”

Outros textos que falam do amor de Deus por nós: Romanos 8,32; 1ª João 4,10; Jeremias 31,34; Jeremias 1,4-5; Isaías 49,1; Romanos 11,29; Sabedoria 11,24; Eclesiástico 39,17; Mateus 10,33; Timóteo 2,11-12.

Diz Isaías 54,8-10: “Agora, com amor eterno, volto a me compadecer de ti, diz Javé, Meu amor nunca vai se afastar de ti”. Isaías 44,21: “Nunca vou esquecer-te!”; Isaías 49,15-16: “Ainda que a mãe se esqueça do filho que gerou, eu não me esquecerei de ti, diz o Senhor. Veja: eu te tatuei na palma de minha mão!”

A intensidade de nossa alegria e de nosso amor a Deus, no paraíso, não depende só de Deus, mas principalmente de nós, da intensidade com a qual amarmos agora. Vamos “brotar” no céu com a força do amor que tivermos agora! Mesmo ao lado de Santa Teresinha, por exemplo, eu vou estar bem mais longe de Deus que ela, se não vivi aqui e agora a mesma intensidade de amor a Deus que ela viveu.

Deus é um Espírito Eterno, ou seja, nunca teve princípio nem terá fim. Ele é perfeitíssimo, Todo-poderoso, Todo misericordioso, Plenamente sábio, plenamente justo, plenamente humilde, plenamente bom, plenamente puro, enfim, tem todas as virtudes no máximo grau.

Dessa forma, é impossível ser mais perfeito, mais poderoso, mais misericordioso, mais sábio, mais justo, mais humilde, melhor, mais puro, ter em maior grau qualquer outra virtude do que Deus.

Deus está fora do tempo e do espaço: para Ele não existe tempo, e não ocupa lugar nenhum, pois tanto um como outro foram criados por Ele. Quando morremos, entramos na “dimensão” de Deus, ou seja, saímos fora do tempo e do espaço. É difícil, ou até diria impossível intendermos isso aí, mas é a mais pura verdade.

Alguns salmos (89, 6-14; 90; 93,4; 104;108) falam sobre a magnitude de Deus. Se fossem escritos hoje, seriam mais ou menos assim:

Deus põe sua toalha para secar no pico do Everest, usa a floresta Amazônica como o capacho de seus pés, usa o vulcão Cracatoa para fritar o seu bife, guarda sua taça de sorvete na Antártida, usa a vértebra da maior baleia que existe para palitar os dentes, usa as cataratas do Iguaçu para lavar o seu rosto, joga xadrez com as estátuas da Ilha de Páscoa” etc. O salmo 108 fala exatamente sobre isso.

“ Eu te amei com um amor eterno!”(Jeremias 31,3). “Eu vim para que todos tenham vida, e a tenham em abundância!” (João 10, 10b); “Lançai sobre Deus toda a vossa ansiedade, porque Ele cuida de vós!” (1Pedro 5,7); “Deus é poderoso para realizar por nós, em tudo, muito além, infinitamente além do que pedimos ou pensamos” (Efésios 3,20).

Esse amor que Deus foi-nos revelado pelo próprio Jesus Cristo em João 17,21-22: “Para que todos sejam um, ó Pai, como tu o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste”.

Nós honramos e pedimos a proteção da Santíssima Trindade com o Sinal da Cruz, que é feito em duas partes: o persignar-se e o benzer-se.

Para bem fazer o sinal da cruz, comece com o “persignar-se”: faça com o dedo polegar da mão direita uma cruz na testa, dizendo: “Pelo sinal da santa cruz”depois faça uma cruz na boca, dizendo: “livre-nos Deus, nosso Senhor”Depois faça um sinal no peito, dizendo: “dos nossos inimigos”. A cruz na testa é para que Deus nos livre dos maus pensamentos; a cruz na boca, para que nos livre das más conversações, de fazermos mau juízo dos outros, para não caluniarmos ninguém etc.; a cruz no peito é para sempre amarmos a Deus e ao próximo sem exceção, e nunca consentirmos nos maus sentimentos.

Em seguida, você faz o “Sinal da cruz”, dizendo: “Em nome do Pai” - e coloca a mão espalmada sobre a testa; “do Filho” e põe a mão espalmada sobre o peito; “e do Espírito” - e põe a mão espalmada sobre o ombro esquerdo“Santo” - e põe a mão espalmada sobre o ombro direito. A cruz nos lembra a morte voluntária de Jesus na Cruz, que nos salvou. Ele aceitou morrer por todos nós, para nos salvar. Devemos fazer o sinal da cruz completo no início do dia, das orações, nas tentações, ao passarmos por uma igreja em que haja o Santíssimo Sacramento, para dormir, em todas as ocasiões.

Pergunto: Quantas vezes você faz o sinal  da Cruz durante o dia?

Procura amar as pessoas como a Santíssima Trindade nos ama?

Faz o sinal da cruz para levantar-se, às refeições, ao iniciar o estudo, o trabalho, para deitar-se?



Nenhum comentário:

Postar um comentário

DIGITE AQUI O SEU COMENTÁRIO