sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

POEMA À VIRGEM MARIA FEITA PELO DEMÔNIO


1 - POEMA À VIRGEM MARIA feita pelo próprio demônio dominado por dois padres italianos dominicanos em 1823, num possesso analfabeto. Eles pediram ao demônio que fizessem um soneto com rimas MÃE/FILHO sobre a Imaculada Conceição de Maria. O dogma só foi proclamado pela Igreja 31 anos mais tarde, em 1854. Os sobrenomes dos padres eram Pignataro e Gassiti. Eis o poema. É claro que em língua portuguesa perde um pouco o tom do original.



Verdadeira Mãe que sou de um Deus que é meu Filho,
E sou sua filha, ainda que sua mãe.
Ab Aeterno (desde a eternidade) foi gerado, e é meu Filho,
No tempo nasci eu, mas sou sua mãe.

Ele é meu Criador e é meu Filho,
Sou criatura sua e sou sua mãe;
Foi prodígio divino ser meu Filho,
Um Deus Eterno, que me tem por Mãe.

Ser quase comum entre Mãe e Filho,
Porque o ser do Filho teve a Mãe
E o ser da Mãe teve também o Filho;

Pois se o ser do Filho teve a Mãe,
Ou se dirá que foi manchado o Filho,
Ou, sem mácula, tem que ser a Mãe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DIGITE AQUI O SEU COMENTÁRIO