quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

A DIOCESE


Várias paróquias formam a diocese, que geralmente abrange várias cidades. São poucas as dioceses que abrangem apenas uma cidade.

Quem dirige a diocese é o bispo, com seu conselho presbiteral.

Várias dioceses juntas formam a Província Eclesiástica. A diocese mais antiga se torna, entre elas, a de referência e passa a se chamar Arquidiocese e seu bispo, de Arcebispo. Nas reuniões e assembléias entre elas, a arquidiocese sempre tem a coordenação.

Cada diocese possui uma linha de trabalho que a caracteriza. Algumas são palco de disputas territoriais, cujos bispos são perseguidos e até ameaçados de morte pelos interesses dos poderosos, como as do Norte e Nordeste do país. Outras são mais calmas, e às vezes por manterem um estilo apostólico mais conservador, em que se evita qualquer crítica contra as autoridades corruptas e os magnatas (idem) da região.

A diocese possui uma sede, chamada Cúria Metropolitana ou Diocesana, em que se acham os arquivos dos sacramentos (Batismo, Crisma e Matrimônio) nas paróquias. Nessa sede funciona também a Mitra Diocesana, que coordena mais a parte financeira e administrativa da diocese.

Há muitos cursos que funcionam na sede diocesana, como os de teologia e instruções dos que trabalham nas paróquias. Em algumas há o curso para formação de catequistas e ministros leigos.

A diocese se mantém geralmente com as contribuições mensais das paróquias (uma determinada porcentagem acertada entre os párocos e o conselho administrativo), mas também há muitas que alugam imóveis doados ou do seu patrimônio, entre eles, alguns velhos seminários que foram substituídos por casas mais modernas e funcionais.

As dioceses do Brasil precisam, a meu ver, insistir mais na sobrevivência financeira paroquial baseada no dízimo, e abandonar de uma vez por todas a cobrança na administração dos sacramentos. Ou confiamos na Providência Divina, ou não. Se confiarmos, nunca faltará o necessário para o crescimento das paróquias e, consequentemente, da diocese. Se agirmos feitos pagãos num trabalho desesperado para angariarmos dinheiro, Deus nos abandonará a nossas próprias forças. O segredo da paz espiritual e material está em confiarmos plenamente em Deus (confira a parábola em que um homem quer construir uma casa, ou uma torre, e não tem dinheiro para terminá-la).
Pergunto: Você já participou de algum curso ou reunião de cunho diocesano?

Sabe quais as paróquias e cidades que pertencem à sua diocese?

Medite e comente 1ª Timóteo 3,1.3.7-10.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DIGITE AQUI O SEU COMENTÁRIO