sábado, 11 de fevereiro de 2012

22-O VATICANO NÃO É RICO!

18 de janeiro de 2012

(baseado no TEXTO SOBRE DAVI E GOLIAS)
do pe. Fernando Cardoso






Quem não conhece a famosa história de Davi e Golias? Mereceu até mesmo, esse Davi, uma estátua tão gigantesca como bela, de Michelangelo, e que pode ser contemplada e admirada por todos em Florença, na Itália. É um texto, o de hoje, bem aparentado com o de ontem. Davi assim se dirige ao gigante Golias: “tu vens a mim com a lança, a haste e a espada. Eu, porém, vou a ti, em nome do Senhor dos Exércitos, O Deus de Israel, a Quem tu desprezaste, e contra Quem tu blasfemaste.”




Ainda hoje este texto se repete de maneiras muito diversificadas, porém atuais. Quais são os meios que tem a Igreja em mãos?

Existem pessoas, mal informadas, que imaginam que a Igreja católica seja riquíssima; mas riquíssima de quê? Onde estão essas riquezas? E depois outra; quem é dono dessas riquezas, o Papa? O Papa pode fazer o que ele quiser, com o dinheiro da Igreja? Quanto vale uma estátua de Michelangelo? Ou quanto vale a Basílica de São Pedro? Isto é coisa que se possa vender; é propriedade do Papa?


A Igreja católica não é uma multinacional que busca lucro monetário e nada mais. E, em muitas dioceses, que são as igrejas particulares, há absoluta falta de meios. Não temos sacerdotes em número suficiente, não temos seminários, não temos bons professores de teologia, pelo menos não em número suficiente para nosso Brasil, não temos as melhores igrejas, não temos dinheiro para comprar terreno onde quer que queiramos, não temos dinheiro para construção de nossos edifícios, que depois servem ao povo cristão e católico, não temos as melhores redes de televisão do país, não temos a melhor imprensa do país. E o que é que nós temos, então?

Bem, nós temos muito mais; nós não temos meios humanos, nós não nadamos em meios humanos, mas nós temos a Palavra de Deus e, por incrível que pareça, quanto menores forem os meios humanos, quanto mais formos desprovidos de meios humanos, e sobretudo de dinheiro, tanto mais a graça de Deus pode agir por nosso intermédio.

A graça de Deus não necessita de cofres, de carteiras recheadas ou de contas milionárias para poder agir, beneficamente, em todos os corações. Recebemos tudo gratuitamente de Deus e, por isto mesmo, a Igreja pode, até mesmo, ser diferente do mundo, quando afirma que ela prefere ser uma Igreja pobre, a uma Igreja rica; ela prefere ser uma Igreja a serviço dos pobres, do que uma Igreja simplesmente a serviço de quem é rico. Ela prefere humilhar-se neste mundo, a se exaltar. Ela não tem os meios que possuía o gigante Golias do passado, e que possuem ainda os Golias do presente, mas ela possui, em todos os tempos, a Palavra de Deus. E isto basta para a edificação do Templo Espiritual, que é tarefa sua construir neste mundo com Deus. 


Revista Fortune desmente mito das “Grandes riquezas” do Vaticano

18 setembro 2014 Autor: Bíblia Católica | Postado em: Igreja





A revista norte-americana Fortune, especializada em temas econômicos, desmentiu o mito das “grandes riquezas” do Vaticano, e informou que se a Santa Sé fosse uma corporação, nem sequer chegaria perto das 500 mais ricas da sua famosa lista Fortune 500.


No seu artigo intitulado “This pope means business” (“Este Papa leva a sério”), a Fortune indicou que “frequentemente é assumido que o Vaticano é rico, mas se fosse uma companhia, não chegaria nem perto da lista Fortune 500”.

A Fortune assinalou que o orçamento operacional do Vaticano é de apenas 700 milhões de dólares, e “em 2013 registrou um pequeno superávit global de 11,5 milhões de dólares”.

A revista estadunidense assinalou, além disso, que a maioria dos ativos mais valiosos do Vaticano, “alguns dos maiores tesouros de arte do mundo, são praticamente sem avaliação e não estão à venda”.

“A Igreja Católica é altamente descentralizada financeiramente. Em termos de dinheiro, o Vaticano basicamente está por conta. Essa é uma importante razão pela qual as suas finanças são muito mais frágeis e a sua situação econômica é muito mais modesta que sua imagem de luxuosa riqueza”.

O Vaticano, indicou a revista econômica, não tem acesso ao dinheiro nem das dioceses nem das ordens religiosas.

Explicou que “cada diocese”, em termos econômicos, “é uma corporação separada, com seus próprios investimentos e orçamentos, incluindo as arquidioceses metropolitanas”.

A Fortune assinalou que as dioceses de todo o mundo “mandam quantidades importantes de dinheiro para o Vaticano todos os anos, mas a maior parte deste dinheiro é destinada ao trabalho missionário ou às doações de caridade do Papa”.

O Vaticano, indicou, “paga salários relativamente baixos, mas oferece benefícios generosos de saúde e aposentadoria”.

“Os cardeais e bispos das congregações e dos conselhos muitas vezes não recebem mais de 46 mil dólares por ano”.

“Os empregados leigos do Vaticano têm emprego vitalício, e praticamente ninguém se aposenta antes da idade”, assinalou.


Fonte: ACI Digital


Nenhum comentário:

Postar um comentário