sexta-feira, 10 de agosto de 2018

CELULARES

Basta clicar na palavra "Início", aí acima.

O CRISTO DO CEMITÉRIO

Tirei esta foto no cemitério. Foi por puro acaso, sem nenhum planejamento, mas o sol ficou como auréola da imagem. Achei-a bonita e quis partilhar com vocês. Tirada em julho de 2018


sexta-feira, 3 de agosto de 2018

SANTA BRÍGIDA


(Veja neste blog AS 15 ORAÇÕES DE STA. BRÍGIDA)

Roma (Segunda-feira, 23-07-2018, Gaudium Press) "A mensagem de Santa Brígida hoje é tão atual quanto era em sua época: a Europa é tão marcada pelo secularismo, pelo materialismo e também pelo ódio. Hoje, mais do que nunca, existe a necessidade de viver a mensagem de Santa Brígida, que nos chama à unidade, à paz e à solidariedade".

Estas afirmações fazem parte da entrevista ao Vatican News dada pela Madre Hilária Vieyra, Vigária Geral da Ordem do Santíssimo Salvador, fundada por Santa Brígida no século XIV e renovada por Santa Maria Isabel Hesslblad no século XX.

Madre Hilária reitera o apelo que a Santa sueca fazia à Europa de seu tempo e ainda muito atual para nossos dias.

Co-Padroeira da Europa

Sanata Brígida é recordada no dia de hoje, 23 de julho, pela Igreja. Ela foi declarada co-Padroeira da Europa, em 1999, por São João Paulo II. 
Na entrevista ao Vatican News, a Madre Hilaria Vieyra, Vigária Geral da Ordem do Santíssimo Salvador, fala sobre essa mulher que ela qualifica de extremamente moderna e que deixou uma cheia da atualidade.

Esposa e mãe de 8 filhos

Mas quem era essa mulher tão moderna e tão importante na história da Igreja, para ser declarada co-Padroeira da Europa?

Santa Brígida nasceu em 1303 de uma nobre família sueca e, apesar de sentir sua vocação, aceitou se casar como era o desejo de seu pai. Ela teve oito filhos.

Ela viveu um casamento feliz e pleno de fé cristã com seu marido Ulf, que era governador de um importante distrito do Reino da Suécia: 
"A vida de Brígida era de oração, de escuta do Evangelho, ela meditou sobre a Paixão de Nosso Senhor e daqui nasce o seu carisma, de união, de paz e de solidariedade", explica Madre Hilaria.

O empenho para o retorno do Papa de Avinhão a Roma

A segunda parte da vida de Santa Brígida começa quando fica viúva. 
"Ele veio a Roma em 1349 para celebrar o Ano Santo de 1350, antes de tudo para ter a aprovação das regras da Ordem que estava fundando", conta a religiosa.

Brígida queria, de fato, fundar uma Ordem composta por freiras e religiosos.

"Vindo a Roma, encontra uma situação desastrosa. O Papa estava em Avinhão, não em Roma, o povo romano era como ovelha sem pastor, havia a peste, havia uma guerra entre França e Inglaterra", prossegue Madre Hilaria, que procura sublinhar que "o seu grande amor por Jesus, a levou a fazer com que o Papa voltasse de Avignon para Roma".

A espiritualizada e forte mulher sueca decide estabelecer-se em Roma e, em seus aposentos da Praça Farnese - onde hoje está localizada a Cúria Geral - "recebeu a maior parte das Revelações, que foram recebidas também em diferentes igrejas de Roma".

Evangelho, Mensagem, união a Jesus, amor ao Cruifixo
"Santa Brígida, de fato, tira sua mensagem do Evangelho, da união com Jesus, de seu ardente amor ao Crucifixo".

O coração de sua missão e também o de outra santa que foi sua contemporânea Santa Catarina da Sena, será pedir fortemente ao Papa para que retorne ao túmulo de Pedro.

Brígida não verá o Papa retornar a Roma, porque Urbano V retorna a Roma por apenas um breve período de tempo e Santa Brígida faleceu em 1373, mas Catarina vai testemunhar o retorno definitivo do Papa Gregório XI em 1377.

"Santa Brígida não somente rezou e fez sacrifícios, mas falou diretamente com o Papa, os cardeais, os príncipes da Europa", recorda Madre Hilaria.

Paz para a Europa

A outra "frente" em que se empenhou com força, foi a paz na Europa.

Ela intercede para que tenha fim a Guerra dos Cem Anos entre a França e a Inglaterra.

Suas obras de caridade foram decisivas nesse período. Ela, que tinha sido nobre vivia na pobreza, encontrando-se também pedindo esmolas nas portas das igrejas.

São os anos de peregrinação a várias partes da Itália: de Assis a Gargano.

E, por fim, com quase 70 anos, de peregrinação em peregrinação, chega à Terra Santa.

Mística

A Paixão de Cristo e a Virgem Maria foram o centro de sua experiência de fé.
Testemunham isto o rosário brigidino e as orações, ligadas a particulares graças prometidas por Jesus àqueles que as recitassem.

Santa Brígida e os Papas

Canonizada em 1391 por Bonifácio IX, Santa Brígida é a santa padroeira da Suécia.

Foi declarada em 1999 co-Padroeira da Europa por São João Paulo II.

"Indicando-a como co-Padroeira da Europa, tem a intenção de fazer com que a sintam próxima não somente aqueles que receberam a vocação a uma vida de especial consagração, mas também aqueles que são chamados às ocupações comuns da vida laical no mundo e especialmente à alta e exigente vocação de formar uma família cristã", escreveu S. João Paulo II em sua Carta Apostólica em forma de Motu Proprio com a qual a proclamava, de fato, co-Padroeira da Europa, juntamente com Santa Catarina de Sena e Santa Teresa Benedita da Cruz.

O Papa também salientou que "a Igreja, mesmo sem nunca ter se pronunciado sobre cada uma das revelações, acolheu a autenticidade do conjunto da sua experiência interior".

Bento XVI, em 2010, a ela dedicou uma catequese de uma Audiência Geral: 
"Santa Brígida - disse - testemunha como o cristianismo permeou profundamente a vida de todos povos" da Europa.

(JSG)

quinta-feira, 19 de julho de 2018

IGREJAS VIRAM LOJAS


Igrejas transformadas em lojas 

Igrejas transformadas em lojas, bares, restaurantes, academias, centros de bem-estar, discotecas, mesquitas e passarelas para desfiles de moda. O destino de locais de culto que por diversos motivos são abandonados preocupa a Igreja. 

Fenômeno este que teve um peso maior em países como França, Bélgica, Holanda, Alemanha, Suíça, Estados Unidos e Canadá, mas muitos casos foram verificados também na Itália. E o problema não se restringe à Igreja Católica, mas também às protestantes. 

Causas do fechamento de igrejas 

As causas de fechamento de igrejas normalmente estão ligadas à diminuição das comunidades cristãs, escassez de sacerdotes, abandono da prática religiosa. 

Os locais de culto, que por diversos motivos deixam de ter este fim, representam um tema delicado, doloroso e complexo, “que não é reservado a um clube restrito de especialistas, como poderia parecer num primeiro momento, mas desperta um interesse extraordinário em muitos âmbitos”, afirmou o cardeal Gianfranco Ravasi, presidente do Dicastério para a Cultura. 

Beatrice de Andia, fundadora e presidente do Observatório da Herança Religiosa, em Paris, estima que existam cerca de 90 mil edificações religiosas na França, cerca de 17 mil das quais protegidas pelo governo por seu valor histórico ou arquitetônico, o que dá à França a maior densidade de edificações religiosas na Europa. Cerca de 10% das igrejas protegidas pelo governo estão em condição perigosa, ela diz, devido à falta de verbas públicas para preservação; o mesmo se aplica a boa proporção das demais igrejas. "No passado, eram edificações sacras, mas hoje em dia não existe esse senso do sagrado", diz Andia. 

Antigas catedrais abrigam hotéis 

Igrejas de 200 anos e até mais antigas estão fechando as portas na Europa. Os edifícios, cheios de tradição, estão sendo ocupados por livrarias, estúdios de música e até boates. Por fora, as igrejas são maravilhas arquitetônicas. Por dentro, majestosas obras de arte. São igrejas na essência, mas também prédios que se tornam alvos da cobiça imobiliária. 

Nos últimos dez anos, 200 templos, em média por mês, fecharam as portas em toda Europa. As fachadas são conservadas, mas no coração das velhas igrejas batem os martelos da modernidade. Os templos são convertidos em condomínios de apartamentos, discotecas e hotéis. 

A prefeitura de Maastricht, no sul da Holanda, também acha que foi abençoada quando herdou a velha catedral em uma das áreas mais nobres da cidade. Hoje, é uma livraria frequentada por 800 mil pessoas por ano. 

Na Grã-Bretanha, onde o número de igrejas caiu de 55 mil para 40 mil na última década, o reaproveitamento é variado. Em uma esquina em Londres, um velho templo anglicano virou um moderníssimo estúdio musical. Hoje é um santuário do som, considerado pelos papas da música um dos melhores do mundo em termos de acústica. Mas o que os sacerdotes acham disso? “É o triste sinal dos tempos”, diz o padre Jeremy, responsável por uma pequena paróquia no norte de Londres. “As pessoas até acreditam em Deus ainda, mas acham que não precisam mais ir à igreja. Esquecem o verdadeiro sentido de comunidade”. 

A rápida secularização está fazendo com que cada vez mais igrejas sejam dessacralizadas. À medida que a identidade europeia se torna mais laica, muita gente considera que a decadências das igrejas simboliza a decadência da fé. 

Conclusão 

Será que está havendo um reavivamento religioso nos Estados Unidos? Em 2005, a revista Newsweek fez uma reportagem sobre a popularidade de “ofícios religiosos com gritos, desmaios, pés batendo no chão” e outras práticas religiosas. Mas ela destacou: “Seja o que for, não se trata de um grande aumento no número de pessoas indo à igreja.” Quando se pergunta às pessoas qual é a sua religião, a resposta mais comum é: “Nenhuma”. Se algumas congregações aumentam, isso acontece porque outras estão diminuindo. A evidência mostra que as pessoas estão abandonando aos milhares religiões convencionais, com suas cerimônias, música de órgão e clérigos vestidos a rigor. 

As igrejas estão sofrendo uma fragmentação na América Latina, perdendo adeptos na Europa e mantendo o apoio nos Estados Unidos por oferecer entretenimento, emoção e a teologia da prosperidade. É claro que há muitas exceções a essas tendências, mas o quadro geral é o de igrejas lutando para manter a popularidade. O cristianismo está em declínio devido à secularização, escândalos morais, o escândalo das divisões denominacionais, ausência da pratica evangélica, ideologias materialistas, crescimento de religiões e seitas e a ganância pelo poder. O que fazer? Configurar a missionaridade no amor abissal de Deus, no amor ao próximo, na busca ardente do Espírito Santo, na Boa Nova da redenção e no serviço aos pobres. 


Frei Inácio José do Vale 
Professor e conferencista 
Sociólogo em Ciência da Religião 
Fraternidade Sacerdotal Jesus Cáritas 
Fontes: 




http://thauucs.blogspot.com/2011/11/antiga-catedral-gotica-vira-hotel-na.html 

Discoteca na igreja de São José em Milão, Itália. Esta antiga igreja que foi feita para São José foi transformada, em 2001, numa discoteca chamada "Il Gatopardo", e é uma das mais procuradas da cidade. A Igreja deixou de ser usada nos anos 70

Antiga catedral gótica vira hotel na Bélgica. A construção neogótica do final do século XIX integrava um monastério franciscano e foi transformada num hotel-boutique pelo grupo Martim. O edifício foi desconsagrado e a partir de 2009 o hotel começou a funcionar. Além da fachada imponente,l os mosaicos, vitrais e colunas foram restaurados e são os grandes atrativos do local. 












quarta-feira, 11 de julho de 2018

O MILAGRE NA TAILÂNDIA


De Tiago Gomides, facebook


Os detalhes desconhecidos e extraordinários do milagre que Jesus fez na Tailândia nos últimos dias:

1º - Eles foram encontrados e resgatados através de situações impossíveis.

2º - A corda do mergulhador britânico estava usando para guiá-los na caverna acabou, então ele subiu para pegar ar e nesse momento ele encontrou os meninos sentados na frente dele! Ele disse que se a corda fosse mais longa, teria passado direto debaixo d'água e não os encontrado!

3º - Apenas um dos meninos sabia inglês e pode comunicar com o mergulhador britânico. Ele é o único cristão do grupo, e aprendeu o idioma no projeto missionário que acontece em sua pequena igreja.

4º - A chuva se manteve discreta durante a missão de resgate por 3 dias e não afetou a operação ... choveu em áreas ao redor.

5º - Assim que o último mergulhador saiu da caverna ontem (depois de todos os garotos estarem seguros) a bomba que retirava água da caverna quebra (Teria sido um desastre!!!)

6º - Choveu a manhã toda e hoje (11/07) ao meio-dia a caverna está completamente inundada!

7º - Todos os meninos foram resgatados e em condições surpreendentes de saúde, que nem os médicos budistas "sabem como" explicar

8º - A unidade envolvida na ação de resgate: pessoas trabalhando juntas através de barreiras linguísticas e culturais. Decisões e escolhas importantes foram tomadas em consenso até a execução dos planos. O trabalho excelente e determinação de uma equipe com tantas pessoas e nacionalidades diferentes. 
A única brasileira voluntária na operação foi a missionária Tati Araújo, que traduziu para os mergulhadores, autoridades e militares estrangeiros inglês-tailandês!

9º - A igreja de Cristo em todo o mundo, se uniu para clamar a Deus por Sua intervenção. Discípulos de todos os cantos da terra oravam, na esperança que o Senhor podia fazer o impossível acontecer... e aconteceu!!!!

Sem dúvidas, Deus fez este milagre que o mundo presenciou e se comoveu!

Agora é hora de celebrar o poder e graça de Deus, que diferente dos ritos budistas, não precisou de oferendas nem sacrifícios, mas em amor, se lançou mais uma vez na história para resgatar os que estavam perdidos.

Que a nossa resposta seja gratidão e adoração ao único Deus tem quem todo o poder em suas cravejadas e ressuretas mãos.

Família Gomides

Texto traduzido e adaptado da família BenandKiesha Jones que serve no norte da Tailândia.


VEJA MAIS FOTOS NESTE LINK: 

segunda-feira, 2 de julho de 2018

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER


A violência contra a mulher 

Doze mulheres são assassinadas todos os dias, em média, no Brasil. É o que mostra um levantamento feito pelo G1 considerando os dados oficiais dos estados relativos a 2017. São 4.473 homicídios dolosos, sendo 946 feminicídios, ou seja, casos de mulheres mortas em crimes de ódio motivados pela condição de gênero. 

A Lei do Feminicídio foi criada em 2015 com base nos estudos da advogada criminalista Luiza Eluf: “A conduta é matar alguém, porém, se este alguém for mulher e, se essa mulher morrer devido às condições do sexo feminino no Brasil, ou seja, devido a subalternidade ou ao entendimento por parte do assassino, de que aquela mulher tem menos direito que ele e que aquela mulher lhe deve obediência total e ele tem o direito de vida ou morte sobre ela. Então, ele mata por esse motivo, ele estará cometendo um feminicídio”. 

Segundo a advogada, a punição do feminicídio é maior do que a do homicídio porque o motivo do assassinato é torpe e a vítima é pega de surpresa, de emboscada, à traição: “Tudo isso a nossa lei considera que torna o assassinato mais grave do que um homicídio que tenha sido praticado de outra forma e por um por outro motivo”. 

A violência contra a mulher na Copa 2018 

ONU Mulheres emitiu no dia 22 de junho uma nota pública sobre a violência de gênero durante a Copa do Mundo 2018, considerando “inaceitável a intenção deliberada de alguns torcedores brasileiros de assediar sexualmente mulheres” durante o evento esportivo. 

“Ao fazê-lo, violentaram as mulheres do mundo inteiro. Com palavras de baixo calão, eles reduziram as mulheres a objetos sexuais na demonstração de como a misoginia que, inclusive fundamenta a cultura do estupro, assume diferentes formas e não tem fronteiras, ocorrendo num evento que se propõe a promover a integração dos povos e os sentimentos de união pelo esporte”, afirmou a nota assinada pela representante da ONU Mulheres Brasil, Nadine Gasman. 

De acordo com dados divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o Brasil registrou, em média, 12 assassinatos de mulheres e 135 estupros por dia. Foram 49.497 casos levantados em 2016, número 4,3% a mais que no ano anterior. Informações são da Folha de São Paulo 

Requer de toda sociedade uma tomada urgente de consciência e ações concretas para banir de uma vez por todas essa terrível violência contra a mulher. E começa pela educação no lar, na escolar chamar atenção para esse assunto, na religião focar os dez mandamentos, na sociedade trabalhar a desconstrução da ditadura patriarcal, o governo investir em políticas públicas de forma radical em prol da mulher e o judiciário punir com rigor da lei os criminosos. A imprensa sempre publicar os organismos públicos para a mulher procurar os seus direitos. A nossa colossal solidariedade a toda mulher do Brasil e do mundo. 

Dr. Inácio José do Vale 

Psicanalista Clínico, PhD 

Escritor e Conferencista 

Professor de Pós-Graduação na Faculdade Norte do Paraná 

Membro da Sociedade Brasileira de Psicanálise Contemporânea/RJ. E da Ordem Nacional dos Psicanalistas/RJ. 

Notas: 


https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/10/1931609-brasil-registrou-135-estupros-e-12-assassinatos-de-mulheres-por-dia-em-2016.shtml 

OS SÍMBOLOS DA IMAGEM N. SRA. P. SOCORRO



Redação (Terça-feira, 26-06-2018, Gaudium Press) Já na véspera do dia 27 de junho, quando a Igreja celebra Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, transcrevemos da "Revista Arautos do Evangelho" breves comentários sobre essa tão conhecida invocação da Santa Mãe de Deus e os símbolos colocados no também muito conhecido ícone que a representa:

-Haverá alguém que nunca tenha se sentido aflito em horas de dificuldades ou na perspectiva de alguma tragédia?

-Ou haverá quem jamais tenha tido necessidade de uma ajuda, seja ela espiritual, psicológica, afetiva ou material?

Com toda certeza, não, pois o ser humano, longe de ser auto-suficiente, é contingente por natureza: não tem condições de viver sem apoio de seus semelhantes, muito menos sem a contínua sustentação de Deus, Criador do universo.

Uma carência inevitável, uma solução infalível

Para esse estado de carência inevitável, Deus nos oferece uma solução infalível: o recurso à sua e nossa Mãe. Daí ser muito apropriado o título de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, com o qual se patenteia a certeza do auxílio que Ela nos dá quando a Ela recorremos.

"Perpétuo Socorro" indica uma fonte de misericórdias que nunca se esgota, jamais se interrompe. "Nunca" significa em nenhum tempo, nenhum lugar, nenhuma circunstância. Por pior que seja a situação, por mais graves e numerosos que sejam nossos pecados, a Virgem Maria quer manter-nos continuamente sob sua insondável proteção e celestial amparo.

Um quadro rico em símbolos

O milagroso ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro mede 53 por 41,5 centímetros. É uma pintura de estilo bizantino, executada em madeira sobre fundo dourado, cor muito usada pelos artistas no antigo Império Romano quando se tratava de retratar grandes personalidades. O ouro, no caso, é um expressivo símbolo da glória da Rainha dos Céus.

Mais do que um simples retrato de Maria, a pintura reproduz uma cena.

A Virgem Mãe segura com desvelo, afeto e adoração o Menino-Deus; seu olhar, porém, não está voltado para Ele, mas para nós, seus filhos adotivos. Jesus não olha nem para sua Mãe nem para nós, mas parece querer abarcar com seu olhar divino os dois anjos que seguram os instrumentos da Paixão: à esquerda, São Miguel, de manto verde, com a lança e a esponja de fel; à direita, São Gabriel, de manto lilás, com a cruz e os cravos que perfuraram pés e mãos do Redentor.

Pormenor altamente expressivo é a sandália pendente do pé direito do Menino Jesus, segura por um fio, quase caindo. Ela é bem o símbolo da situação da alma em estado de pecado mortal: presa a Jesus por um fio, a devoção a Nossa Senhora.

Sob o manto azul, Maria veste uma túnica vermelha. Nos primórdios do Cristianismo, as virgens se distinguiam pela cor azul, símbolo da pureza, e as mães pela cor vermelha, signo da caridade. Essa combinação cromática define, pois, excelentemente Nossa Senhora, Virgem e Mãe. Nota-se também o verde no forro de seu manto. Ora, a composição dessas três cores era de uso exclusivo da realeza.

Assim, a dignidade régia da Rainha dos Anjos e dos Santos está bem representada em suas vestimentas.

Bem no alto do quadro, metade em cada lado, estão escritas, em letras gregas, as iniciais da expressão "Mãe de Deus"; ao lado da cabeça do Menino Jesus, as iniciais de "Jesus Cristo"; acima do anjo da esquerda, "Arcanjo Miguel"; e do anjo da direita, "Arcanjo Gabriel".

(in "Revista Arautos do Evangelho")

ÓBOLO DE SÃO PEDRO




Redação (Quinta-feira, 27-06-2018, Gaudium Press) Todos os anos por ocasião da festa dos apóstolos São Pedro e São Paulo, a Igreja Católica promove uma coleta mundial destinada a apoiar o Óbolo de São Pedro.

O Óbolo de São Pedro é a ajuda econômica que os fiéis oferecem ao Santo Padre, como sinal de adesão à solicitude do Sucessor de Pedro relativamente às múltiplas carências da Igreja universal e às obras de caridade em favor dos mais necessitados.

A prática teve origem no final do século VIII, após a conversão dos anglo-saxões, que "se sentiram tão unidos ao Bispo de Roma que decidiram de maneira estável fazer uma contribuição anual ao Santo Padre".

Esta coleta foi chamada 'Denarius Sancti Petri' (Esmola a São Pedro) e se difundiu pelos outros países da Europa. Em 05 de agosto de 1871 a prática foi reconhecida oficialmente e regularizada pelo Papa Pio IX através da encíclica 'Saepe Venerabilis'.

Algumas das obras de caridade financiadas com o Óbolo de São Pedro são a melhora da estrutura do Hospital Pediátrico na República Centro-africana, o alívio da crise humanitária no Haiti e a concessão de dez bolsas de estudo universitárias para os jovens desabrigados pela guerra e pelo terrorismo no Curdistão iraquiano.

No final de 2016, a Santa Sé lançou a página oficial do Óbolo de São Pedro na internet para os fiéis que desejam colaborar com as obras de caridade da Igreja. No site, disponível em italiano, inglês e espanhol, é possível acessar também mensagens do Papa e fazer doações.

Acompanhando os avanços tecnológicos, em 2017 foram criadas as contas no Twitter e Instagram desta iniciativa. No Twitter as contas estão em três idiomas: @obolus_it (em italiano), @obolus_es (em espanhol) e @obolus_en (em inglês). No Instagram há apenas uma conta: obolus_va. (EPC)

UM DOS MILAGRES DO ROSÁRIO





02/07/2018 

A bomba que os norte-americanos lançaram em Hiroshima (lançaram também em Nagasaki) em 1945 destruiu tudo o que havia num raio de um Quilômetro e meio desde o centro da explosão, com a morte de todos os habitantes dessa área, cerca de 80 mil pessoas, número que depois subiu para cerca de 140 mil, devido à radiação. 

No centro de Hiroshima vivia um grupo de oito jesuítas que há alguns anos fazia ali trabalhos pastorais, cerca de 800 metros do local da explosão. Na hora em que a explosão ocorreu, se preparavam para as tarefas do dia. Nada aconteceu com eles! Nem um só arranhão. E nenhum deles sofreu efeitos da radiação. Em 1976 todos ainda viviam. 

Em testemunho no Congresso Eucarístico da Filadélfia (Estados Unidos), nessa data de 1976, o padre Hubert Shiffer, que em 1945 tinha 30 anos, disse que naquela casa se rezava diariamente o rosário, como Maria pediu em Fátima. Eles foram examinados por cerca de 200 cientistas e nenhum deles conseguiu explicar como não morreram com a explosão e como não sofreram os efeitos da radiação. 

Diz o padre Shiffer num livro que escreveu sobre o assunto, “O Rosário de Hiroshima”: 

“Em um segundo assustador uma orgulhosa cidade de meio milhão de pessoas foi exterminada da face da terra. Nada permaneceu, a não ser um "deserto atômico", e a palavra "Hiroshima" se tornou um símbolo de destruição total”. 

Diz mais adiante: “A oração é mais poderosa que a bomba atômica”. Entretanto “Nós, adultos, nos esquecemos muitas vezes que Deus é nosso Criador e Pai. Nós preferimos ir pelos nossos próprios caminhos em vez de aceitarmos a orientação de Deus”. 

O padre lembra que Fátima não é um aviso, mas sim, uma ESPERANÇA. Realmente. Maria nos apela, em Fátima, e agora também em Medjugorje, que dediquemos mais tempo do nosso dia à oração. Nós encontramos tempo para tantas bobeiras, mas quanto à oração, nos limitamos a dizer rapidamente algumas Ave-marias ao deitarmos. 

Tenho visto, horrorizado, pessoas boas, que até vão à missa, que não rezam agradecendo a Deus na hora das refeições e não rezam nem para dormir. Às vezes limitam-se a fazer um Sinal da Cruz ao levantar-se. Já o pároco de minha infância dizia que muitos “Deitam-se burros e levantam-se cavalos!”, porque não rezam nem antes de dormir nem quando se levantam. 

Já é hora de começarmos ou capricharmos (se já rezamos) a oração do rosário diariamente. É uma arma poderosa. Você que está na internet, procure os milagres do Santo Rosário, e verá muitos no decorrer dos séculos. A oração nos dá Esperança, Fortaleza, Ânimo, Confiança absoluta em Deus, e nos obtém de Deus, por Maria nossa mãe, a proteção necessária para vivermos sob a tutela de Deus, em comunhão com o paraíso. 

Eu escrevi várias vezes em meus artigos que acredito podermos dar o dízimo do dia, a Deus, em forma de oração. Dez por cento de 24 horas são Duas horas e vinte e quatro minutos. Esse é o dízimo que deveríamos dar a Deus de nosso dia. E o Rosário é a oração que não deveria faltar em nosso dia a dia. Você leva cerca de 45 minutos para rezar um rosário todo. Não é muito tempo. É menos tempo que uma novela! Mas muitos preferem as novelas. E quando a coisa fica feia, apelam a Deus. Será que ele vai ouvir?