sexta-feira, 18 de agosto de 2017

A COMPROVAÇÃO DA BÍBLIA





“Há mais indícios seguros de autenticidade na Bíblia do que em qualquer história profana”.

Isaac Newton (1643-1727)

Filósofo, Teólogo e Cientista inglês


Immanuel Kant (1724-1804), o renomado filósofo alemão fez a seguinte declaração: “A existência da Bíblia, como livro para o povo, é o maior benefício que a humanidade já recebeu. Qualquer tentativa para depreciá-la... é um crime contra a humanidade”.

“A influência da Bíblia de maneira alguma se restringe a judeus e cristãos... Ela é agora encarada como um tesouro ético e religioso cujo inexaurível ensino promete ser ainda mais valioso à medida que cresce a esperança de uma civilização mundial” (TheEncyclopedia Americana).

Analisemos outra questão com respeito à Bíblia Sagrada. Será que ela é historicamente exata? Alguns acham que a Bíblia não passa de uma compilação de lendas sem base histórica. Veja, por exemplo, o caso do famoso Rei Davi, de Israel. Até recentemente, a única base para atestar sua existência era a Bíblia. Embora historiadores conceituados o aceitem como personagem real, alguns cépticos tentam descartá-lo alegando que se trata de uma lenda, fruto da propaganda judaica. O que mostram os fatos?

Em 1993, encontrou-se nas ruínas da antiga cidade israelita de Dã uma inscrição que menciona a “Casa de Davi”. A inscrição era parte de um destroçado monumento do nono século a.C., erigido em comemoração a uma vitória dos inimigos dos israelitas. De repente, ali estava, fora das páginas da Bíblia, uma antiga referência a Davi. Era significativa? Comentando a descoberta, Israel Finkelstein, da Universidade de Tel Aviv, disse: “O niilismo bíblico caiu da noite para o dia com a descoberta da inscrição sobre Davi.” Digna de nota foi uma declaração do Professor William F. Albright, arqueólogo que passou décadas trabalhando em escavações na Palestina: “Inúmeras descobertas comprovaram a exatidão de incontáveis detalhes e fizeram com que se reconhecesse cada vez mais o valor da Bíblia como fonte histórica.” Perguntamos novamente: 'Diferentemente do que acontece com os épicos e as lendas, como poderia esse livro antigo ser historicamente tão exato?' Mas isso não é tudo.

A Bíblia também é um livro de profecias. (II Pedro 1, 20, 21) A palavra “profecia” talvez lhe faça logo lembrar das predições não-cumpridas daqueles que se dizem profetas. Mas deixe o preconceito de lado e abra sua Bíblia em Daniel capítulo 8. Daniel descreve a visão de uma luta entre um carneiro de dois chifres e um bode peludo que tinha “um chifre proeminente”. O bode venceu, mas seu grande chifre foi quebrado. Em seu lugar, surgiram quatro chifres. O que significa essa visão? O relato de Daniel continua: “O carneiro que visto, tendo dois chifres, representa os reis da Média e da Pérsia. E o bode peludo representa o rei da Grécia; e quanto ao chifre grande que havia entre os seus olhos, este representa o primeiro rei. E que este foi quebrado, de modo que por fim se ergueram quatro em seu lugar, haverá quatro reinos que se erguerão de sua nação, mas não com o seu poder.” (Daniel 8,3-22).

Essa profecia se cumpriu? A escrita do livro de Daniel foi concluída por volta de 536 a.C. , o rei macedônio, Alexandre, o Grande, que nasceu 180 anos mais tarde, em 356 a.C., conquistou o Império Persa. Ele era o “chifre grande” que havia entre os olhos do “bode peludo”. De acordo com o historiador judeu, Flávio Josefo, quando Alexandre Magno entrou em Jerusalém, antes de derrotar a Pérsia, o livro de Daniel lhe foi mostrado. Ele concluiu que as palavras que lhe foram mostradas na profecia de Daniel se referiam à sua própria campanha militar envolvendo a Pérsia. Poderá ler, nos livros de história geral, sobre o que aconteceu ao império de Alexandre após sua morte, em 323 a.C. Com o tempo, quatro generais assumiram o controle do império e, antes de 301 a.C., os 'quatros chifres' que surgiram no lugar do “chifre grande” dividiram o império em quatro partes. Seleuco obteve a Mesopotâmia e a Síria. Ptolomeu controlou o Egito e a Palestina. Lisímaco governou a Ásia Menor e a Trácia, e Cassandro ficou com a Macedônia e a Grécia. Novamente, temos todos os motivos para perguntar: 'Como poderia um livro predizer de maneira tão vívida e exata o que iria acontecer 200 anos mais tarde?'

A própria Bíblia responde a essa pergunta: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa.” (II Timóteo 3, 16) A palavra grega traduzida “inspirada por Deus” significa literalmente “soprada por Deus”. Deus “soprou” na mente de uns 40 escritores as informações que encontramos atualmente nos livros das Sagradas Escrituras. Os poucos exemplos – científicos, históricos e proféticos – que analisamos nos levam a uma única conclusão. A Bíblia, esse livro incomparável, não é produto da sabedoria humana, mas é de origem divina. Deus o Todo-Poderoso é seu autor. Escreveu o apóstolo São Pedro: “Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo” (II Pedro 1, 21).

São João Crisóstomo (347-407), Bispo de Constantinopla e Doutor da Igreja afirmava: “Eis a causa de todos os males – o nosso desconhecimento da Bíblia Sagrada.” Disse Jesus Cristo: “Errais não conhecendo as Escrituras Sagradas, nem o poder de Deus.” (Mateus 22, 29). 

Amar ler e estudar a Bíblia Sagrada é uma demonstração de amor ao seu autor: Deus, é levar a Boa Nova como evangelizador, ter comunhão com a Igreja de Cristo e praticar a caridade pelo mundo de paz e de justiça.

Frei Inácio José do Vale

Professor e conferencista

Sociólogo em Ciência da Religião

Formador dos Irmãozinhos da Visitação de Charles de Foucauld




DESCOBERTA SURPREENDENTE


Descoberta Surpreendente na Cidade de Davi


Comprovação científica da Bíblia Sagrada

“Eu confesso que a majestade da Bíblia me abisma e fala ao meu coração!”

Jean-Jacques Rousseau, (1712-1778), foi um importante filósofo, teórico político, escritor e compositor autodidata suíço. 



Uma escavação na cidade de Davi, em Jerusalém, deu credibilidade à exatidão histórica da passagem bíblica, após a descoberta de uma série de artefatos queimados, datados há cerca de 2.600 anos.

Uma passagem no Livro do Antigo Testamento de Jeremias diz: "No décimo dia do quinto mês, no décimo nono ano do rei Nabucodonosor, rei da Babilônia, um homem chamado Nebuzaradã, comandante da guarda imperial, que servia o rei da Babilônia, invadiu Jerusalém".


“Ele incendiou a Casa de Yahweh, o Templo do SENHOR, e o palácio real, como também todas as casas de Jerusalém”.

A escavação descobriu ossos queimados, sementes de uva, madeira e cerâmica que foram cobertos com camadas de cinzas, que remetem a cerca de 600 a.C., que é em torno do tempo em que o rei babilônico, Nabucodonosor, sitiou Jerusalém e incendiou, levando à destruição d'O Primeiro Templo (Templo de Salomão).


Outro achado interessante foi uma pequena estátua de marfim de uma mulher nua com cabelo ou peruca no estilo egípcio. A descoberta essencial, que supostamente liga a história bíblica aos artefatos, são os selos que foram encontrados neles.

Segundo os pesquisadores, os selos são característicos do final do período do Primeiro Templo, e foram usados para o sistema administrativo que se desenvolveu no final da dinastia judaica. Eles têm uma forma rosácea, e foram usados para classificar objetos, a fim de controlá-los, coletá-los e comercializá-los, bem como para armazenar rendimentos de colheitas.

“Há um livro que, desde a primeira letra até a última, é uma emanação divina, a Bíblia”.

Victor Hugo (1802-1885) foi um romancista, poeta, dramaturgo, ensaísta, artista, estadista e ativista pelos direitos humanos francês.


Esta descoberta surpreendente aconteceu depois que uma reivindicação sensacional foi feita recentemente sobre o Sudário de Turim. A análise científica do tecido mostrou que o Sudário está manchado com o sangue de uma vítima de tortura. As nanopartículas de sangue, que não são típicas de uma pessoa saudável, foram descobertas. Eles acreditam que tenha sido uma morte violenta de um homem que estava envolvido no Sudário.

Manchas do Santo Sudário são do sangue de alguém que sofreu morte violenta

O Santo Sudário é o pano de linho que, segundo a tradição, envolveu o corpo de Jesus Cristo depois da crucificação. Submetido a dezenas e dezenas de estudos e pesquisas, ele conserva mistérios assombrosos que jamais puderam ser explicados.

O estudo mais recente foi feito pelo Istituto Officina dei Materiali (IOM-CNR), de Trieste, e pelo Istituto di Cristallografia (IC-CNR), de Bari, em parceria com o Departamento de Engenharia Industrial da Universidade de Pádua, todos sediados na Itália.

Conclusão? As manchas achadas no tecido não podem ser de tinta: elas são de sangue humano, e não é de “qualquer” sangue.

A análise das partículas do tecido, mediante resolução atômica, aponta “que a fibra de linho está cheia de creatinina, [com partículas] de dimensões entre 20 e 90 nanômetros, ligadas a pequenas partículas de hidrato de ferro de dimensões entre 2 e 6 nanômetros, típicas da ferritina”. As declarações são de Elvio Carlino, coordenador da pesquisa. Vale recordar que um nanômetro equivale a um milionésimo de milímetro, ou seja: pegue um milímetro, divida-o em um milhão de partes iguais e você terá um milhão de nanômetros.

O professor Giulio Fanti, da Universidade de Pádua, complementa: as partículas observadas, “pela dimensão, tipo e distribuição, não podem ser uma obra realizada séculos depois no tecido do Santo Sudário”. O que as investigações apontam é que o tecido realmente entrou em contato com o sangue de um homem morto que tinha sofrido múltiplas e graves feridas. Segundo Fanti, “a ampla presença de partículas de creatinina unidas a partículas de ferridrita não é uma situação típica de soro sanguíneo de um organismo humano em estado normal de saúde. Um alto nível de creatinina e ferritina tem relação com pacientes que sofreram um politraumatismo severo, como a tortura. A presença dessas nanopartículas biológicas indica que o homem que foi envolvido no sudário de Turim sofreu uma morte violenta”.

O artigo que detalha o estudo foi publicado na revista científica norte-americana PlosOne, com o título New Biological Evidence from Atomic Resolution Studies on the Turin Shroud (Novas evidências biológicas a partir de estudos de resolução atômica sobre o Sudário de Turim).

O estudo confirma o que outras pesquisas e análises já tinham apontado décadas atrás. Duas dessas análises, realizadas paralelamente em 1978 por Baima Bollone na Itália e por Heller e Adler nos Estados Unidos, por exemplo, demonstraram a presença de bilirrubina nas marcas do Sudário.

Conclusão

A Obra da Criação, o ser humano, Jesus Cristo, a Igreja e a Sagrada Escritura provam de forma epistemológica a existência do Eterno e Todo-Poderoso. Estes fatores são teses mais abissais do que a profundidade dos oceanos e de uma infinidade que vai além da razão humana. O fundamento do pensamento cristão é a divina revelação, a profundidade do conhecimento da cosmovisão e a prática do amor pela dignidade da pessoa humana. A fé e a ciência andam conectadas para sabedoria colossal do crente e a sapiencialidade das suas doutrinas. Com fé, razão, paz e justiça, assim caminham os cristãos até a pátria celestial.

Frei Inácio José do Vale

Professor e conferencista

Sociólogo em Ciência da Religião

Doutor em História do Cristianismo

Formador dos Irmãozinhos da Visitação de Charles de Foucauld 

E-mail: pe.inacio.jose@gmail.com




Fontes:





https://pt.aleteia.org/2017/07/13/manchas-do-santo-sudario-sao-do-sangue-de-alguem-que-sofreu-morte-violenta/

terça-feira, 15 de agosto de 2017

TRÊS BEIJOS

15/08/17
Essa música me inspirou este texto:
Deus, Eterno, Todo Poderoso, mesmo vivendo numa Trindade, nunca recebera um beijo. Não havia quem o beijasse.
Ele criou o ser humano à sua imagem e semelhança. O ser humano podia beijar e ser beijado. Eva decerto beijou com ternura seus filhos. Mas Deus, mesmo em sua Onipotência, não recebera beijo algum. Os séculos se passaram, mas ele continuava de certa maneira isolado da humanidade, pelo menos fisicamente. Espiritualmente, é claro, nunca esteve longe de nós.
Chegou o tempo da encarnação de Jesus. Em sua segunda Pessoa, a do Filho, Deus se encarnou entre nós. Não era mais do que uma criança nos braços de uma criatura sua, de dezesseis anos, frágil, ambos sujeitos às mais imprevistas situações. Entretanto, como uma contradição aparente, Deus recebeu o seu primeiro beijo: o de Maria. Será que ela sabia que ao beijar Jesus estava beijando o próprio Deus, que com o Pai e o Espírito Santo criara o universo?
Deus precisou deixar de lado sua Onipotência para receber o seu primeiro beijo, de sua tão puríssima mãe. Que beijo gostoso! Como eu invejo ambos: Maria, por ter beijado Jesus, e Jesus, por ter sido beijado por Maria! Foi o beijo de uma mulher imaculada, um beijo de uma pessoa que nunca havia pecado. Nós também só poderemos beijar Jesus se deixarmos nossa soberba, nosso orgulho, nossa prepotência de lado e pedirmos perdão humildemente a esse nosso Senhor e Salvador.
Esse foi justamente o  segundo tipo de beijo que Jesus recebeu: o da mulher adúltera, em Lucas 7, 36-38: "... e, estando a seus pés, por detrás dele, começou a chorar. Pouco depois suas lágrimas banhavam os pés do Senhor e ela os enxugava com os cabelos, beijava-os e os ungia com o perfume" (Bíblia Católica Online)
Beijo de gratidão. Jesus a perdoara de todos os seus pecados. Foi talvez o primeiro beijo casto, puro, sincero, que aquela mulher dava em sua vida de pecados. Um beijo de arrependimento, de quem diz: “obrigado, Senhor, por ter transformado a minha vida”! Tenho inveja também dessa mulher. Que santa ousadia! Jesus se deixou beijar por alguém que havia sido pecadora. Grande notícia para nós, que tanto pecamos! Se pedirmos perdão, podemos também beijar os pés de Jesus. Poderemos nos aproximar dele e sentir sua presença salvífica em nossa vida. Recomeçaremos uma nova vida com esse “beijo“ que espiritualmente damos nos pés do Senhor com o nosso arrependimento. Nós estaremos, assim, confortando-o e reparando nossos pecados. Para isso é preciso, entretanto, o humilde reconhecimento de nossas misérias, de nossa fraqueza, de nossos pecados.

O terceiro e último beijo que Jesus recebeu foi o de Judas, na véspera de sua paixão. Beijo asqueroso, nojento, pútrido, fingido, cheio de ódio ou indignação. Lembro-me do relato da Vicka, em Medjugorje, que, inquirida por uma repórter se podia beijar o manto de Maria, esta disse que podia. No lugar do beijo a vidente viu uma mancha feia. Perguntou à Maria o porquê ficara manchado sua veste, e ela respondeu que era por causa dos pecados daquela repórter (veja isso em A VESTE) . Maria, toda pura, Jesus, infinitamente santo, não se agradam de beijos fingidos. Nosso beijo não pode ser como o terrível beijo traidor de Judas. Entretanto, como não podemos beijar Jesus com os lábios tão castos e puros de Maria, pelo menos beijemo-lo com os lábios de uma pessoa arrependida e disposta a recomeçar uma vida nova!




LETRA DA MÚSICA E TRADUÇÃO
Lyrics

Google play
Mary did you know that your baby boy will one day walk on water?
Maria, você sabia que seu bebezinho um dia iria andar sobre a água?
Mary did you know that your baby boy will save our sons and daughters?
Maria, você sabia que seu bebezinho salvaria nossos filhos e filhas?
Did you know that your baby boy has come to make you new?
Você sabia que seu bebezinho veio para dar-lhe uma nova vida?
This child that you've delivered, will soon deliver you
Essa criança que você ofereceu, logo irá oferecê-la!
Mary did you know that your baby boy will give sight to a blind man?
Maria, você sabia que o seu bebezinho iria dar visão a um cego?
Mary did you know that your baby boy will calm a storm with his hand?
Maria, você sabia que o seu bebezinho acalmaria uma tempestade apenas com sua mão?
Did you know that your baby boy has walked where angels trod?
Você sabia que seu bebezinho andava onde os anjos pisavam?
And when you kiss your little baby, you have kissed the face of God
E que quando você beija seu bebezinho, você beija a face de Deus?
Mary did you know, Mary did you know, Mary did you know
Maria, você sabia, Maria, você sabia, Maria, você sabia?
The blind will see, the deaf will hear and the dead will live again
O cego irá enxergar, o surdo irá ouvir e o morto ressuscitará
The lame will leap, the dumb will speak the praises of the lamb
O coxo vai pular, o mudo vai proclamar os louvores do Cordeiro
Mary did you know that your baby boy is Lord of all creation?
Maria, você sabia que o seu bebezinho é o Senhor de toda a criação?
Mary did you know that your baby boy will one day rule the nations?
Maria, você sabia que o seu bebezinho um dia governaria as nações?
Did you know that your baby boy is heaven's perfect Lamb?
Você sabia que o seu bebezinho é o perfeito Cordeiro do Céu?
This sleeping child you're holding is the great I am
Essa criança adormecida que você está embalando é o grande EU SOU!
Mary did you know, Mary did you know, Mary did you know
Maria você sabia? (três vezes)

Written by Buddy Greene, Mark Lowry • Copyright © Warner/Chappell Music, Inc, Capitol Christian Music Group

sábado, 12 de agosto de 2017

HOMENAGEM AOS PAIS FALECIDOS


Homenagem dos filhos, noras e netos na Missa de 7.o dia de nosso Pai – Dr. Eduardo Guenka – 15-Jun-2014

Amigos na fé em Jesus Cristo, bom dia!

No último domingo nossa família passou por uma grande provação: perdemos nosso patriarca, pai, marido, avô, sogro, conselheiro, companheiro e amigo. E de outro lado, Deus operou dois milagres e manteve aqui conosco Marcos e Aline, que se recuperam bem e participam desta celebração conosco.

Em nome de nossa família e de nosso saudoso pai, queremos agradecer a todas as manifestações de carinho, respeito, suporte e, principalmente, as orações que apaziguam nossos corações e nos ajudam a silenciar a dor e aceitar o plano de Deus com serenidade. Nada temeremos, pois Deus é nossa força, e envia seus anjos em forma de amigos que nos sustentam e amparam.

Não foram poucos os que nos ajudaram neste momento tão difícil, de todas as formas possíveis. Tudo isso nos faz meditar e regozijar o quanto é fundamental o nosso laço de irmandade em Jesus Cristo. Nossa família ficou maravilhada com tantos gestos de amor e palavras de gratidão ao legado de nosso pai. Todas essas demonstrações nos deixam extremamente tocados e com a certeza que Jesus acalentará nossos corações e abençoará nossa caminhada, como sempre o fez. Neste momento, olhamos nossos passos na areia e enxergamos apenas um par de pegadas, não são nossas, é Jesus que nos carrega em seu colo. Sentimos seu abraço carinhoso e cheio de ternura enquanto Ele suporta todo o nosso pesar. Queremos agradecer em especial a Comunidade de Santa Rosália. Aqui fomos batizados, catequizados, crismados, participamos do grupo de jovens Shaen, casamos e nossa Fé floresceu!

Pedimos que não deixemo-nos levar pelo julgamento humano acerca da forma inesperada como tudo ocorreu. O importante é a certeza que nosso pai combateu o bom combate, e está agora ao lado de quem ele mais amava: Jesus.

Nosso pai foi nosso herói sempre pronto e disponível que ajudava a todos com seu carinho e modo amoroso de dizer as coisas, nos corrigir e orientar. Pai amoroso e acolhedor, não esqueceremos jamais suas orações nos encontros familiares, no Natal, Páscoa, Ano Novo e nos aniversários. Víamos seus olhos brilharem de alegria e chorarem ao ver a família reunida ao redor da mesa como se fosse uma celebração – a celebração da vida. Sua vida foi um testemunho contínuo de sua fé em Deus, trabalhando incansavelmente pela santificação das famílias, através das Pastorais, Movimento de Emaús, Cursilho, Grupo de Palestras para Adolescentes, participação na Liturgia e na Catequese, doando seu tempo, sua voz e seu coração para o que lhe era mais caro: santificar as famílias para edificação do Reino de Deus. Suas palavras acendiam o fogo em nossos corações e acalmavam nossas almas. Sua preocupação era nos deixar a formação nos princípios e valores cristãos. Agora sentimos o peso e a força de tudo que ele fazia! Isso nos conforta e dá alento para seguir adiante.

Ainda é muito estranho, sentimos sua presença em tudo! E sua falta nos corta o coração.
Mais uma vez, com Jesus e o suporte de nossos irmãos em Cristo temos a certeza de podermos seguir adiante.

Sentimos-nos compelidos a compartilhar com vocês mais esta experiência do amor de Deus em nossas vidas. A alegria verdadeira que só Jesus Cristo pode dar tem inundado nossos corações, tanto pela certeza da vida eterna quanto pelo poder imensurável do Espírito Santo, que inspirou a tantos amigos e irmãos na fé para nos auxiliar neste momento. Diante de um sofrimento que o mundo consideraria insuportável, a presença de Deus conforta e reforça nossa fé, pois tudo posso Naquele que me fortalece. Tenham a certeza que Deus ama a todos os seus filhos e Pai perfeito que é, sempre cuida de todos os seus e nos oferece vida em plenitude. Nunca nos confia mais do que nossos humildes talentos são capazes de suportar.

Finalmente, em honra a tudo que nosso pai fez nesta vida, peço a todos que meditem sobre os pilares que ele defendia arduamente e escutem esta mensagem com atenção: a Fé inabalável em Deus, a família, os princípios de moral e ética cristãos sem concessões e a evangelização constante a serviço de nossa Igreja!


Mais uma vez, muito obrigado! Nosso abraço carinhoso a todos vocês em nome de NSJC! Deus os abençoe!




Mensagem de Santo Agostinho


A morte não é nada. Apenas passei ao outro mundo. Eu sou eu. Tu és tu. O que fomos um para o outro ainda o somos.

Dá-me o nome que sempre me deste. Fala-me como sempre me falaste. Não mudes o tom a um triste ou solene. Continua rindo com aquilo que nos fazia rir juntos. Reza, sorri, pensa em mim, reza comigo. Que o meu nome se pronuncie em casa como sempre se pronunciou.

Sem nenhuma ênfase, sem rosto de sombra. A vida continua significando o que significou: continua sendo o que era.

O cordão da união não se quebrou. Porque eu estaria fora de teus pensamentos, apenas porque estou fora de tua vista?

Não estou longe, somente estou do outro lado do caminho. Já verás, tudo está bem. Redescobrirás o meu coração, e nele redescobrirás a ternura mais pura.

Seca tuas lágrimas se me amas, não chores mais.




Ser pai é ser ...
Marcos Leandro


Ser pai é ser criança, 
aprendendo e vivendo sempre coisas novas e boas 
Pois só assim é que se cresce

Ser pai é ser filho, 
seguindo e trilhando os rumos traçados pelos pais 
Pois eles só querem o nosso bem

Ser pai é ser irmão, 
sendo um pai dos filhos mais novos e mais velhos 
Pois desta maneira se treina para paternidade

Ser pai é ser amigo, 
compreendendo e ajudando os amigos que precisam de um pai 
Pois eles retribuirão com gratidão

Ser pai é ser avô, 
observando e encaminhado os filhos a serem bons pais 
Pois eles conseguirão a maturidade

Ser pai é ser mestre, 
espalhando a sabedoria e seus conhecimentos 
Pois é assim que se constrói um mundo melhor

Ser pai é ser pai, 
orientando e encaminhado os filhos a seguirem o bom caminho 
Pois só assim se obtém a felicidade

Ser pai é ser como Cristo, 
educando e praticando seus ensinamentos 
Pois é assim que se conquista a benção de Deus

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

VISÃO DO CÉU, PURGATÓRIO E INFERNO


                                      
Em Medjugorge, Nossa Senhora levou Vicka e Jacob para verem o Céu, Inferno e Purgatório. Vídeo curto, de poucos minutos. Vale a pena ver. (pouco mais de dois minutos de duração)



Este é um pouco mais longo, com intérprete, e ela estava no Brasil e fala também sobre o que devemos fazer para agradar a Deus. (25 minutos)



sábado, 5 de agosto de 2017

EXPLICAÇÃO DA MISSA

A  explicação da missa pelo pe. Fernando Cardoso.


1ª PARTE- 02/08/17


2ª PARTE - 03/08/17


3ª PARTE - 04/08/17




4ª PARTE - 05/08/17



 5ª parte- 06/08/17




6ª parte- 07/08/17



7ª parte- 08/08/17

8ª Parte- 09/08/17




9ª parte- FINAL- 10/08/17




quarta-feira, 2 de agosto de 2017

MENSAGEM DE STA. CATARINA



31/07/2017

Santa Catarina de Sena viveu entre 1347 a 1380. Era analfabeta mas mesmo assim escreveu, ou melhor, ditou para que seus ajudantes escrevessem, 382 cartas a papas, cardeais, arcebispos, bispos, sacerdotes, monges e monjas, religiosos e religiosas, reis e rainhas, governantes, senadores, magistrados, embaixadores, comandantes militares, médicos, juízes, advogados, tabeliães, estudiosos, artistas, familiares, esposos, viúvas, encarcerados, prostitutas e leigos em geral. Escreveu (ditou) vários outros livros, entre os quais “O diálogo”, “A vida”, “As orações”. 

Pela profundidade de seu ensinamento, sua visão teológica, visão espiritual, sabedoria admirada por teólogos, padres, bispos e até pelos papas que a conheceram, foi declarada Doutora da Igreja por Paulo VI em 1970. Ela conseguiu fazer com que o verdadeiro papa, Urbano VI (havia um antipapa), que estava exilado em Avinhão, na França, retornasse a Roma e reocupasse o lugar de São Pedro. Não era freira: simples leiga da ordem terceira dominicana. Viveu numa edícula nos fundos da casa paterna, mas de vez em quando passava tempos fora de casa, em suas andanças apostólicas. Teve os sagrados estigmas (as marcas das cinco chagas) de Cristo no corpo, mas pediu que ficassem invisíveis e Deus a atendeu. Só apareceram no instante após sua morte, a 29 de abril de 1380, de derrame. Acredito que sua sabedoria e conhecimento tão profundo da teologia provém de Deus, que mantinha diálogo frente a frente com ela, como narra o livro “O Diálogo”, que temos resumido em nosso blog.

Contam-se coisas maravilhosas acontecidas com ela, impossíveis a um ser humano, em seu relacionamento com Jesus. Ela é padroeira da Itália e co-padroeira da Europa. Vestia o hábito das Irmãs da Penitência de São Domingos, da Ordem Terceira.

"Faz certa impressão – escreve São Karol Wojtyla proclamando-a co-padroeira da Europa – o tom livre, vigoroso, agudo com o qual ela adverte sacerdotes, bispos e cardeais." E também ao Pontífice (Urbano VI), a quem define "doce Cristo na terra", pede que, sem mais tardar e sem hesitações, deixe Avinhão e volte para Roma, junto ao túmulo de Pedro. Com Santa Catarina nós aprendemos a amar Jesus Cristo e sua Igreja, disse Bento XVI numa audiência.

SANTA CATARINA DE SENA E A ORAÇÃO

Na carta número 353 (são 382 cartas as que ela escreveu) ela fala sobre a oração, com que se consegue o desejo de possuir a Deus, um desejo íntimo da alma que atrai Deus e faz da alma uma só coisa com ele. A alma como que se separa do corpo e saboreia a essência divina. É o que ocorria com a santa. Aí a alma vai vencer as tentações e vai conseguir dominar-se plenamente. 

A oração, segundo a santa, pode ser de três formas: 

1- A oração contínua, que consiste no desejo santo, por meio do qual continuamos rezando durante as atividades. Esse desejo santo eleva até Deus todas as nossas ações espirituais e corporais, como atos de louvor. É, portanto, uma oração contínua, como dizia S. Paulo em 1 Tessalonicenses 5,17: “Orai sem cessar”.

2- A oração vocal, com a boca, quando recitamos a liturgia das horas, ou o rosário, ou outras preces. A oração vocal, na verdade, é própria para se chegar à terceira maneira de rezar, chamada oração mental

3- Oração mental- Chegamos a ela quando, com prudência e humildade, exercitamos a mente na oração, ou seja, ao pronunciarmos as palavras com a boca, se nosso coração não estiver longe de Deus. Quando estivermos rezando a oração vocal e sentirmos que a mente está começando a ser visitada por Deus, ou seja, está sendo atraída a pensar no Criador, precisamos, nesse momento, deixar a oração vocal e permanecer naquele ponto em que percebemos que Deus está presente. Quando nós percebermos que cessou a visita divina, se estivermos com tempo, podemos retomar a oração vocal, de maneira que nossa mente sempre esteja repleta de Deus, nunca esteja vazia. 

Se vier à nossa mente pensamentos confusos, como o de que nossa oração não está sendo agradando a Deus, pode ser tentação do demônio. Não devemos desistir da oração nem nesse caso. Continuemos firmes, pois o demônio quer é nos afastar da oração. Deus quer que a alma, nessa luta, reconheça o próprio nada. 

Continua a santa: “No esforço da boa vontade, a pessoa verá que Deus é bom. Somente ele é o doador e o conservador de todas as boas e santas decisões. Compreenderá que Deus as dá a quem ele quer”.

SANTA CATARINA DE SENA E O SOFRIMENTO

Na carta número 299, a Ristoro Canigiani, ela tenta consolá-lo porque teve a casa incendiada numa revolta partidária. Ele era Advogado e perdeu os direitos de ocupar cargos públicos simplesmente por ser amigo da santa. Na metade da carta, ela lhe fala sobre o sofrimento.

- precisamos ter paciência, ou porque o sofrimento é pequeno, ou porque o prêmio é grande, ou porque amamos a Deus, que nos permite que soframos . 

- “O tempo passado, não tendes mais. O tempo que está para vir, não tendes certeza de vivê-lo. Somente resta o instante presente. Nada mais. O sofrimento passado não volta”.

- Já o prêmio é eterno, como diz Rom. 8, 18: “Os sofrimentos desta vida não se comparam com a glória futura” 

- Deus nos permite os sofrimentos para nossa purificação e santificação, para exercitarmos nossa paciência, que nos revela se amamos ou não a Deus, se possuímos ou não a graça. “A paciência é um sinal claro de que amamos a Deus acima de tudo e ao próximo como a nós mesmos”.

SANTA CATARINA DE SENA E OS MAUS CRISTÃOS

Santa Catarina de Sena escreveu esta carta em março de 1377 ao papa Gregório XI. E você ainda diz que os dias de hoje estão maus!

"Até parece que o demônio está governando o mundo pessoalmente. O demônio nada pode, mas nós o autorizamos. Para qualquer lado me volte, só vejo que cada pessoa usa seu livre-arbítrio com vontade pervertida. Leigos, religiosos e clérigos, cheios de soberba correm atrás de prazeres, altas posições sociais, riqueza material, impureza e miséria". 

"Mas acima de todos esses males, eu vejo que é abominável a Deus o fato de que as flores plantadas no jardim da Igreja, que deveriam ser rosas perfumadas e espelhos de virtude, zelosos promotores da glória divina e da salvação das almas, emitem o mau cheiro do pecado, são egoístas, unem seus defeitos aos dos outros, sobretudo na perseguição à esposa de Cristo e à vossa santidade. Ai de mim, caímos no exílio da morte, entramos na guerra contra Deus".

MINHA FÉ= ÍNDICE

MINHA FÉ 25- AS APARIÇÕES

Na bíblia há vários relatos de aparições de Deus, de anjos e mesmo de alguns falecidos, como Moisés e Elias (na Transfiguração) e Samuel (na vidente consultada por Saul).

Eu creio que algumas aparições ocorreram, mas não todas. Muitas delas foram baseadas numa experiência forte de Deus e não na aparição mesma de Deus. A bíblia é um apanhado de tradições que corriam de boca a ouvido e pode conter muitas coisas distorcidas através das inúmeras repetições de pai para filho até que fossem escritas. Isso não atinge o fato real de que ela é inspirada por Deus. É inspirada por Deus, mas escrita por homens. 

Hoje é dia 02 de agosto e a primeira leitura fala da volta de Moisés do Monte Sinai, onde havia refeito as tábuas dos mandamentos (Êxodo 34,29-35). Sua face estava resplandescente por ter falado com Deus. As pessoas tinham medo de olhá-lo e ele resolveu pôr um véu sobre o rosto até que o brilho passasse. 

O comentário do missal cotidiano diz: "Quem se encontrou com pessoas verdadeiras santas, como o papa João XXIII, viu uma luz interior transparecer-lhe no rosto, algo indescritível que manifesta uma especial presença de Deus".

Ou seja: não é preciso ver Deus cara a cara para que você se sinta "arrebatado" ou resplandescente. Basta ter uma vida irrepreensível, despojada, humilde, em que se ama a Deus e ao próximo e se se baseia isso numa oração incessante e abundante. 

Se eu acredito que Deus falava com Santa Catarina de Sena, e isso é comprovado pela sabedoria inexplicável dessa santa, que inclusive era analfabeta (veja artigo neste blog), também acredito que Deus tenha se comunicado com outras pessoas no Antigo e no Novo Testamento.

O que eu quero dizer para vocês, aqui, é que eu creio que nós podemos "falar" com Deus e receber sua mensagem sem ser preciso vê-lo frente a frente. Creio também que isso pode ter ocorrido com muitas dessas grandes personalidades da Bíblia ou da história da Igreja, mesmo que a tradição e as lendas se misturem com a realidade e tenha chegado até nós que tiveram visões. Nem todos esses santos tiveram tais visões. Muitas delas foram experiências fortes de Deus, como nós todos podemos ter, se nos dedicarmos a Ele. Deus está sempre falando conosco, ou no pensamento ou pelos acontecimentos do dia a dia, mas principalmente, pela sua Palavra contida na Bíblia e na tradição da Igreja. 

O que é preciso nos tempos atuais é nos aplicarmos mais ao silêncio e deixarmos tantas coisas barulhentas e inúteis para lá. Só assim conseguiremos ouvir a voz de Deus que é suave como a brisa de 1ª Reis 19,11-13 e não se ouve se nos rodeamos de barulho. Mesmo uma pessoa em pecado, se fizer silêncio em seu coração e se pôr em oração, ouvirá a voz de Deus a lhe chamar.

Diz Carlos de Foucauld: "É necessário passar pelo deserto e aí se demorar, para receber a graça de Deus; é aí que se esvazia, que se expulsa de si tudo o que não é Deus e que se esvazia completamente esta pequena morada de nossa alma, para deixar o lugar inteiramente só para Deus" ("Um pensamento para cada si", dia 21/03).